Humor? Nem tanto…

Ministério Público? Esquece!

Gramado do Castelão custa ao governo Dino o dobro do gasto no Maracanã do RJ

Com um custo de mais de R$ 1.3 milhão pagos pelo Governo Flávio Dino, manutenção do campo do estádio maranhense custa o dobro dos recursos que são usados pelo Flamengo na manutenção do gramado do maior estádio do país.

O jornalista Daniel Matos revelou na manhã desta terça (27) um fato grave: o custo de manutenção e conservação DO GRAMADO do Castelão é superior a R$ 1,3 milhão. Para piorar a situação, o campo é considerado um dos piores do Brasil por jogadores e técnicos dos clubes que disputam o Campeonato Brasileiro da Série B.

Segundo o Diário Oficial do governo, o preço exato do contrato, firmado entre a Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel) e a empresa B M de Almeida Eireli, é de R$ 1.342.113,04 (um milhão, trezentos e quarenta e dois mil, cento e treze reais e quatro centavos).

Após ver a matéria do jornalista Daniel Matos, fiz uma pesquisa para saber se o valor era realmente elevado. Em termos comparativos, o governo Flávio Dino está gastando o dobro do que é investido anualmente para manter o gramado do estádio do Maracanã, um dos maiores do Brasil. Atualmente o custo do estádio carioca é cerca de R$ 700 mil por ano.

O fato é que se Flávio Dino usar o gramado do Castelão criar custos de R$ 1 milhão, R$ 5 milhões, R$ 10 milhões ou R$ 1 bilhão, nada vai acontecer. Nem Ministério Público e muito menos a Justiça irão fazer algo. Nunca antes na história do Maranhão um governo foi tão livre para “gastar” o dinheiro do pagador de impostos das formas mais irresponsáveis possíveis.

Todo mundo bem

Deposição de Flávio Dino pode unir classe política no Maranhão

Réu no Supremo Tribunal Eleitoral por acusações de ter montado uma estrutura para roubar eleições, condenação de comunista tem poder de pacificar política no estado

Nas eleições de 2018 o governador Flávio Dino não poupou esforços para vencer a eleição ainda no 1º turno. Denúncias dão conta de que a vitória esmagadora de Dino só foi possível mediante à criação de uma estrutura de ataque à democracia. Os crimes chegaram ao TSE e o governador corre o risco de perder o mandato e ficar inelegível. Sua cassação poria fim a um período de hegemonia política e beneficiaria tanto adversários quanto aliados. A deposição de Flávio Dino deveria ser uma prioridade da classe política maranhense.

DEMOCRACIA SOB ATAQUE

O esquema consistia em uma série de ações ilegais baseadas no uso da estrutura do governo para compra de votos que foi desde a criação de dezenas de cargos de capelães e até o desvio de recursos da saúde para asfaltamento de estradas.

Os crimes cometidos pelo Coligação Todos Pelo Maranhão, formada por Flávio Dino e Carlos Brandão, foram denunciados por advogados da Coligação Maranhão Quer Mais. Mesmo com provas robustas do cometimento de crimes, a justiça local inocentou o governador e seu vice. (Saiba mais sobre a denúncia detalhada aqui).

Acontece que nas instâncias a situação mudou de figura. Flávio Dino foi obrigado a exonerar 47 servidores nomeados na suposta “Farra dos Capelães” que supostamente foi montada para comprar o apoio de pastores que costumam comercializar o voto dos fiéis. A decisão pela exoneração aconteceu em 26 de fevereiro deste ano e foi ordenada pelo ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão de Marques ligou o sinal vermelho no Palácio dos Leões que começou a tratar o caso com mais atenção.

Os supostos crimes comandados por Flávio Dino nas eleições de 2018 também podem ser observados nas eleições de 2016 e 2020. Ocasiões em que o governador fez uso indiscriminado da máquina pública para eleger prefeitos. O depudor do governador chegou ao ponto de que no passado, em plena crise da pandemia, ele convidava eleitores para glomerarem em comícios em suas redes sociais.

BOM PARA TODOS

O jeito autoritário de governar de Flávio Dino garantiu a ele e a seu grupo mais próximo uma hegemonia política que incomoda tanto aliados quanto adversários. Por medo das represálias de um governador que sempre ameaça aliados e persegue adversários, o silêncio acabou sendo a única forma de defesa dos incomodados com a situação. Por conta desta situação, a possibilidade de deposição do comunista é festejada no íntimo de 8 em cada 10 políticos do Maranhão.

Em caso de condenação, Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão ficam automaticamente inelegíveis por 8 anos. Se a decisão for tomada faltando menos de seis meses para o fim do mandato (meados de 2022), deputados estaduais serão instados. Caso seja tomada antes, serão chamadas novas eleições.

O efeito imediato da cassação de Flávio Dino é o desmonte da estrutura política criada para que secretários de governo tomem os mandatos de deputados estaduais e federais nas eleições do ano que vem. O número de pré-candidatos entre secretários é inédito e evidencia o projeto de poder do governador. No ano que vem Flávio Dino pretende deixar sem mandato muitos dos que hoje chama de aliados.

Além de evitar uma ofensiva do governo contra deputados, a cassação de Flávio Dino também beneficia membros do seu próprio grupo e de adversários.

O fim da hegemonia de Flávio Dino beneficiaria diretamente aliados que correm perigo com a manutenção do poder. Casos do senador Weverton Rocha, Luciano Leitoa, Othelino Neto, Josimar de Maranhãozinho, André Fufuca, Juscelino Rezende, Neto Evangelista e outros que hoje não fazem parte dos planos em médio e longo prazo.

Já os adversários, esmagados nos últimos 6 anos pela máquina comunista, teriam a chance de se reorganizar.

Caso o silêncio dê lugar a ação, a situação do governador pode se complicar no TSE e seu reinado de autoritarismo pode render sua deposição.

Cobrança

Simplício Araújo “enquadra” Eduardo Braide no caso Havan

Prefeito de São Luís, que deveria ser o primeiro a defender a geração de emprego e renda na capital, foi o último a sair em defesa da liberdade econômica na cidade. Secretário de Indústria e Comércio cobrou mais ação e menos discurso.

O secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo (Solidariedade), confrontou comentários do prefeito Eduardo Braide (Podemos) em suas sobre o caso Havan. Após semana de silêncio profundo em relação à polêmica, Braide usou suas redes sociais para saudar a chegada da loja após ataques de grupos de extrema esquerda anti-emprego.

Apesar de ser prefeito de São Luís e, pelo menos teoricamente, o mais interessado na atração e negócios para a cidade, Eduardo Braide foi o último a sair em defesa da Havan contra os ataques de extrema esquerda anti-emprego.

Após a manifestação tardia do prefeito, o secretário Simplício Araújo lembrou que São Luís não que o Plano Diretor e Lei de Zoneamento impedem a instalação de novos negócios. A questão é considerada delicada para a administração municipal pois a Lei de Zoneamento é de 1994 e o Plano Diretor de 2006. Ambos são, segundo especialistas, os maiores entraves para o desenvolvimento econômico de São Luís.

Em contato com o blog, Simplício afirmou que o prefeito deveria agir mais na melhoria da legislação ao invés de “jogar para a platéia”. “É muito fácil posar de defensor da liberdade econômica nas redes sociais enquanto não trabalha na melhoria da legislação que iria garantir mais emprego”, disse Simplício.

Simplício usou as palavras do próprio Eduardo Braide para apontar o erro dos ex-gestores e cobrar postura diferente de Braide. Falharam na modernização do Plano Diretor e da Lei de Zoneamento Jackson Lago, Tadeu Palácio, João Castelo e Edivaldo Holanda Jr.

Twitter...

Ignorante

Flávio Dino defende aumento de impostos em live

Festival de barbaridades econômicas também afirmou que governo tem direito de gastar mais do que arrecada, que inflação não deve ser problema, menos liberdade da iniciativa privada e todas as ações que faliram Argentina, Cuba e Venezuela.

O governador Flávio Dino (PSB) promoveu uma verdadeira aula de ignorância econômica e um festival de fake news em uma live promovida pelo canal Outras Palavras no Youtube. Já no início da transmissão o governador enalteceu sua política tributária no Maranhão. Segundo o próprio, gestão tributou os mais ricos e eximiu os mais pobres. Como é de conhecimento público, Flávio Dino cortou impostos da maior empresa doe estado, o Grupo Mateus. Além disso, promoveu seguidos aumentos de ICMS que transformaram a gasolina e a energia elétrica cobradas no estado nos mais caros do país.

DESCONHECIMENTO

Flávio Dino defendeu que a economia deve ser subjugada ao estado em diversas ocasiões durante a live. Para Flávio Dino, “gastar apenas o que se arrecada é uma mentira de economistas”. A fala é corroborada pelo aumento da dívida no estado após 6 anos de gestão comunista, quando o estado viu sua dívida quase que dobrar.

Além disso, Flávio Dino também afirmou que “liberais de verdade” não defendem menos poder do governo em relação à economia. A defesa de impostos também foi ferrenha durante a live.

Em certa medida o governador ainda defendeu a impressão de moeda indiscriminadamente pelo Banco Central. A medida, como qualquer economista ainda no início dos estudos sabe, faz explodir a inflação. O modelo foi seguido pela Venezuela que vê o índice alcançar absurdos 9.585,5% anuais e na Argentina, que em piucos meses de governo esquerdista, já tem mais de 50% de inflação ao ano.

RESULTADO

Muito mais do que uma prova da total ignorância do governador em relação à economia, a entrevista de Flávio Dino serve para mostrar o que trouxe o Maranhão ao mais completo desastre econômico após a passagem dele pelo governo.

O ponto positivo da entrevista é que o governador Flávio Dino não esconde sua orientação ideológica na economia: o estado serve para tirar o seu dinheiro. Inclusive, Flávio foi categórico ao afirmar que “imposto não é roubo”.

VEJA O CONTEÚDO DA LIVE:

Reconhecimento

Luciano Hang lidera disputa pelo SEnado

Popularidade do investidor cresce mesmo com ataques da extrema esquerda anti-emprego

Alvo de uma campanha comunista anti-emprego por agitadores sociais de extrema esquerda no Maranhão nas últimas semanas, o empresário Luciano Hang aparece liderando as intenções de voto na disputa por uma vaga no Senado em Santa Catarina nas eleições do ano que vem.

Hang tem 22,9% das intenções de voto. São mais de 5 pontos à frente do segundo colocado, Raimundo Colombo (17,3%). Na sequência, aparecem os candidatos: João Rodrigues, 7,9%; Dário Berger, 5,3%; Kennedy Nunes, 4,8%; Ideli Salvatti, 4,3%; Napoleão Bernardes, 3,1%; Gelson Merisio, 2,9%; Celso Maldaner, 2,6%; Daniel Freitas, 2%; Jorge Seif Junior, 0,5%.

O levantamento ouviu 1.514 entrevistados entre os dias 15 e 19 de julho. A margem de erro é de 2,5% e o grau de confiança é de 95%.

Ladrão de vacina

Flávio Dino omite compra de viaturas com recursos enviados por Bolsonaro

Volume de recursos enviado pelo Governo Federal entre 2019 e 2021 supera a marca de R$ 60 milhões. Nunca antes o Governo do Maranhão havia recebido valores dessa magnitude no combate ao crime.

O governador Flávio Dino (PSB) escondeu durante a cerimônia de entrega de 122 viaturas distribuídas às Polícias Militar e Civil que a ação só foi possível graças a recursos enviados ao Maranhão pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As novas unidades serão utilizadas em 63 cidades do Maranhão. Entre 2019 e 2020 o Maranhão recebeu mais de R$ 40 milhões em recursos para o combate da criminalidade. Nunca na história o estado havia recebido um volume tão grande de recursos a serem empregados no combate ao crime.

Em 2021 já foram enviados mais R$ 19 milhões ao estado. Somados com os valores de anos anteriores, o Maranhão recebeu em dois anos e meio mais de R$ 60 milhões. Apesar do volume inédito, tanto o governador Flávio Dino quanto o secretário de segurança pública, Jefferson Portela, omitem a atuação de Jair Bolsonaro no envio de recursos ao estado.

Apesar de tentarem esconder a responsabilidade de Jair Bolsonaro no aumento de verbas para a luta contra a criminalidade no estado durante o festival de entrega na Praça Maria Aragão, os comunistas não conseguiram esconder completamente o mérito do Governo Federal. Pela lei, as viaturas são obrigadas a ter adesivo mostrando origem dos recursos. Os valores são oriundos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e referentes aos eixos de Enfrentamento à Criminalidade Violenta e Valorização dos Profissionais de Segurança Pública. 

DINHERO PARA O CRIME, NÃO CONTRA O CRIME

No Portal da Transparência do Governo do Estado não consta detalhadamente o montante de recursos empregados nas 122 unidades de viaturas do tipo pick-up. Uma busca no sistema revela que a Secretaria de Segurança Pública tem um custo médio com aluguel de viaturas de R$ 1 milhão por mês.

Os veículos entregues nesta semana são considerados subequipados por policiais. Enquanto outros estados contam com viaturas blindadas que dispõe de computadores, acesso à internet e até câmeras de reconhecimento facial, as unidades entregues pelo governador contam apenas com cela de isolamento e rádio comunicador. Das 122 veículos, 71 irão à Polícia Militar e 51 para a Polícia Civil.

Podcast

Comunismo “anti-Estátua da Liberdade” no Maranhão

Corrupto de estimação

Flávio Dino mantém acusado de corrupção no Governo

Em uma semana Francisco Nagib teve casa e empresas alvo de operação da Polícia Federal e viu o Ministério Público bater nas portas do Detran (comandado por ele). Apesar dos pesares, segue firme no cargo.

Apesar de ser alvo de várias operações policiais em um curto espaço de tempo e ser investigado pela Polícia Federal e Ministério Pùblico, ex-prefeito de Codó e atual diretor do DETRAN do Maranhão, Francisco Nagib, é mantido no cargo pelo governador Flávio Dino.

Na semana passada a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na empresa e na residência de Francisco Nagib. A operação investigava desvios de recursos praticadas por empresas sediadas em Codó, Boa Vista/RR e Brasília, principalmente com as verbas do Covid-19 disponibilizadas pelo Governo Federal.

Na manhã desta sexta (16), o Grupo de Atuação de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) realizou operação no próprio Departamento de Trânsito do Maranhão (Detran), comandado por Nagib. As suspeitas recaem sobre a empresa Infosolo Informática S.A (atual Logo IT S.A), de Brasília. Há suspeitas de que a empresa esteja cometendo atos de corrupção.

A empresa já foi alvo de operação pelo Gaeco do Paraná. Os proprietários da empresa montaram negócios em diversos estados, como Maranhão, Minas Gerais e Paraná.

Grana...

Eliziane Gama recebeu mais de R$ 2 milhões do Fundo Eleitoral em 4 anos

Senadora, que tenta fazer média criticando Fundo Eleitoral, viu dinheiro público em suas eleições subir de R$ 150 mil para R$ 1.2 milhão em apenas quatro anos.

Após a polêmica votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias acontecida ontem, a senadora maranhense Eliziane Gama (Cidadania) usou as redes sociais para se colocar contra o uso de recursos públicos em campanhas eleitorais. Acontece que em quatro anos a política recebeu mais de R$ 2 milhões em recursos públicos em suas campanhas de 2014, 2016 e 2018.

Na última eleição a senadora recebeu cerca de R$ 1.2 milhões em recursos públicos. Nas eleições de R$ 2016, quando disputou a eleição de prefeita, ela recebeu outros R$ 800 mil. Dois anos antes, quando disputou o cargo de deputada federal, Eliziane foi agraciada com mais de R$ 150 mil.

Em quatro anos, a senadora que hoje se coloca contra o aumento de recursos públicos nas campanhas, pulou de R$ 150 mil para R$ 1.2 milhão. Alguém acredita que ela realmente seja contra o aumento de recursos públicos em campanhas eleitorais?

Todos os dados que mostramn que a senadora é contra o Fundo Eleitoral apenas na frente das câmeras podem ser acessados no site da Justiça Eleitoral:

Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais (tse.jus.br)

Sistema de corrupção liderado por Flávio Dino nas eleições de 2018 vai para o TSE

Governador é acusado de criar “mensalão dos pastores” e de desviar recursos da saúde para “asfalto sonrisal”

O sistema de corrupção eleitoral montado nas eleições de 2018 pelo governador Flávio Dino (PSB) deve ser debatido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A estrutura criminosa, que consistia na “Mensalão dos Pastores” e no “Asfalto Eleitoral”, deu entrada na corte.

O ESQUEMA

No Mensalão dos Pastores, também conhecido como “Farra dos Capelães”, o governo é acusado de distribuir cargos no serviço de capelania do Estado em troca do apoio de lideranças religiosas. Alguns dos indicados chegavam a receber cerca de R$ 20 mil por mês. SãoA denúncia afirma que 50 cargos foram distribuídos em troca de apoio. Caso confirmada a denúncia, o esquema gerou uma espécie de “mensalão” que pode ter chegado a custar R$ 1 milhão por mês e, de lá para cá, deve ter abastecido o esquema com mais de R$ 50 milhões.

Além do pagamento de propina a líderes religiosos por meio de cargos públicos, Flávio Dino também é acusado usar um programa de asfaltamento de rodovias e vias urbanas de forma irregular nas eleições de 2018. No “Asfalto” eleitoral Uma parcela significativa dos recursos distribuídos a prefeitos foi retirada da Saúde.

“Somente no período compreendido entre 4 a 6 de julho de 2018, ou seja, às vésperas do início do período eleitoral e das condutas vedadas, o governador Flavio Dino determinou a transferência de recursos públicos no vultoso valor de R$ 72.338.034,61, destinado a Saúde de 75 municípios aliados ao governo do Estado do Maranhão”, diz parte da ação.

A denúncia é conduzida pelos advogados Admar Gonzaga e Anna Graziella Neiva e já acumula uma vitória importante. Ação proposta pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, foi apreciada como precedente no STF e suspendeu o esquema de nomeações de capelães pelo governador.

Força, Silvan!

Silvan Alves é internado após sofrer AVC

Apresentador do lendário programa Bandeira 2 da TV Difusora foi acometido por AVC na manhã desta quinta (15)

Silvan Alves, um dos mais conhecidos jornalistas maranhenses na atualidade, está internado após um sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A crise aconteceu na manhã desta quinta (15).

Inicialmente Silvan foi atendido em uma UPA e, em seguida, transferido para o Hospital Carlos Macieira, em São Luís.

Silvan atualmente apresenta o lendário programa Bandeira 2 na TV Difusora. O jornalista ainda atua em programa de rádio.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é causado pelo entupimento ou rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro. Em alguns casos provoca a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea. É uma doença que acomete mais os homens e é uma das principais causas de morte, incapacitação e internações em todo o mundo.

Covidão

Tribunal de Contas fecha o cerco contra Flávio Dino

Crescem suspeitas de corrupção na compra dos respiradores que nunca foram entregues

Apesar de tratada pelo Ministério Público Estadual como bobagem, a compra de respiradores que nunca foram entregues pelo Governo do Maranhão está na mira do Tribunal de Contas do Estado. O chefe da secretaria de fiscalização, Fábio Alex Melo, age heroicamente na tentativa de descobrir aonde foram os recursos e qual a origem do suposto esquema.

Alex Melo tem uma das poucas autoridades a demonstrar incômodo com os quase R$ 5 milhões gastos na compra de respiradores que nunca foram entregues. Para piorar, ainda há indícios de que além de não serem entregues, o valor pago nos equipamentos também fora superfaturado.

Alex tem defendido que o TCE faça uma “tomada de contas especial” no processo. Caso sua tese seja aceita, o novo processo irá rastrear danos ao erário público e identificar seus responsáveis na compra de 70 respiradores.

As suspeitas em relação ao preço foram levantadas pela Controladoria Geral da União (CGU), que analisou compras de 377 entes federados entre estados e municípios. Cerca de 75% das aquisições realizadas foram de até R$ 135.000,00 por respirador. Já o Maranhão pagou quase R$ 200 mil, em média, por cada um dos aparelhos.

Além de pagar mais por produtos que nunca foram entregues, o governo de Flávio Dino também é acusado de esconder os gastos. Denúncia feita pelo site Atual7 revela que o Portal da Transparência não divulgou, como exigido pela lei, os custos da operação.

O relatório de instrução assinado pelo Melo deve ser julgado em breve pelo TCE e tem o conselheiro-substituto Antônio Blecaute como relator.

Esclarecimentos

Anac irá investigar redução de voos no Maranhão a pedido de deputado

Aluísio Mendes quer explicações sobre diminuição na oferta de voos e aumento das passagens aéreas no estado

Por inciativa do deputado federal Aluísio Mendes (PSC), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) irá questionar companhias aéreas sobre a respeito da redução da malha aérea em São Luís e Imperatriz. O requerimento foi apresentado e aprovado na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle. “É um problema sério que merece ser investigado mais profundamente. E não é um problema só do maranhão, mas de todo o país”, disse Aluísio.

Aluísio quer saber as razões que levaram as companhias aéreas a reduzir o número de voos e aumentar o preço das passagens. Para o deputado, mesmo com a pandemia a população não pode ser prejudicada duplamente pela ação das empresas. “Nós entendemos que as empresas passam dificuldade, mas não se pode jogar no colo do consumidor a conta”, disse.

A iniciativa do parlamentar da bancada maranhense foi prontamente aceita pelos demais membros da comissão que chegaram, inclusive, a pedir a extensão do pedido de esclarecimento não só para o Maranhão, mas para todo o Brasil.