Linhares Jr.

Municipalismo

Fábio Braga retoma atividade após reassumir mandato

Deputado reuniu-se com prefeito de Rosário e deve destinar apoio e recursos para gestão no município

O deputado Fábio Braga (PSD) retomou a atividade parlamentar em prol de prefeitos e do interior do estado após reassumir o mandato de deputado estadual. Nesta semana Braga reuniu-se com o prefeito de Rosário, Calvet Filho (PSC).

Continuar lendo
Corrupção

Prefeito de cidade no interior do MA recebeu auxílio emergencial

Paulo Curió, de Tufilândia, consta como beneficiário do auxílio mesmo com patrimônio declarado de meio milhão de rais.

Um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) mostra que o prefeito de Turilândia, José Paulo Dantas, o Paulo Curió, consta na lista de recebedores de uma parcela do auxílio emergencial, no valor de R$ 600,00. O documento do TCU indica que o auxílio foi solicitado pelo aplicativo da Caixa Econômica, o que pode levantar a suspeita de fraude.

O benefício é previsto para pessoas de baixa renda em virtude da pandemia do novo coronavírus. Na legislação que criou o auxílio, o governo limitou o pagamento a quem declarou, patrimônio de menos de R$ 300 mil no Imposto de Renda (IRPF).

Em 2020, quando ainda era candidato, Paulo Curió declarou ao TSE patrimônio de meio milhão de reais e, além disso, gastou R$ 117 mil. Mais uma prova de que o prefeito não tinha necessidade de solicitar o auxílio.

Segundo o Ministério da Cidadania, aqueles que burlarem a lei devem devolver os valores recebidos de forma indevida.

O Polícia Federal e o Ministério Público devem ficar de olho, e a população também, afinal, quem teve coragem de tentar ganhar com a pandemia, pode fazer muito pior com o dinheiro do povo.

É cada uma...

Presidência do Conselho de Odontologia pode ser estar sendo ocupada por analfabeto funcional

Rafael Nunes não entendeu reportagem sobre denúncia contra fura fila da Covid-19, lançou nota de repúdio contra fake news que não existiu e ameaça processar jornalista por crime que não aconteceu

O presidente do Conselho Regional de Odontologia do Maranhão, Rafael de Carvalho Nunes, lançou nota contra o jornalista Gilberto Leda. A peça pretendia ser uma espécie de defesa da categoria da matéria “Vacinação em São Luís tem até dentistas ‘furando filas’”, publicada por Léda. No entanto, serviu mais para escancarar o oportunismo que assombra a sociedade em tempos de pandemia. Caso não seja oportunismo, é provável que Rafael sofra de analfabetismo funcional.

A reportagem de Gilberto Léda diz respeito a fraudes na fila da vacinação. Já em seu segundo parágrafo evidencia ter como alvo “profissionais da área de saúde” que estão “burlando as regras para ter acesso à vacinação”. Só após delimitar toda a classe de profissinais de saúde que o jornalista (chamado insistentetemente de blogueiro pelo tirador de dentes na nota), usa dentistas como exemplo. O texto possui menos de uma dúzia de linhas e é claro em si mesmo:

“Segundo o apurado, até dentistas que atuam em consultórios estão conseguindo acesso aos imunizantes com declarações de unidades de saúde “atestando” que atuam na linha de frente contra a Covid-19”.

A notícia (e é muito constrangedor ter que explicar) trata de uma denúncia contra profissionais de saúde, inclusive dentistas, que estão conseguindo declarações atestando que fazem parte da linha de frente contra a Covid-19. As aspas utilizadas pelo jornalista deixam claro que os atestados podem ser forjados em referência direta ao que fora escrito no segundo parágrafo.

Para ter entendido o texto como um ataque contra a categoria, tudo indica que Rafael Nunes pode fazer parte do grupo de analfabetos funcionais que frequentam as universidades do Brasil. Pesquisa da Universidade Católica de Brasília, publicada pela Globo anos atrás, mostra que de 50% dos universitários não conseguem compreender o que leem.

A nota emitida pelo CRO possui 44 linhas dedicadas a ameaças e deboches contra o profissional da imprensa. Junto com Léda, o parlamentar Yglésio Moyses também é alvo dos ataques. Ao invés de tentar esclarecer os fatos denunciados, Rafael de Carvalho Nunes tenta fazer uma generalização canastrona que trata todo e qualquer dentista como integrante da linha de frente que combate à Covid-19.

É claro que devem haver profissionais da área que se enquadram na situação. Em nenhum momento de sua reportagem Léda generaliza a categoria. Deveria ser claro, pelo menos para alguém que diz ter frequentado uma universidade, que nem todo dentista faz parte do grupo de risco. E isso serve para TODOS os demais profissionais de saúde. Nem todo médico está cuidando de pacientes com Covid-19 (será que o CRM lancará nota contra mim agora?).

Rafael Nunes ainda afirma que pretende lançar mão em seu direito de resposta. Vai defender “certidão atestando” quem não trabalha em hospital? Essa eu quero ver…

A nota de Rafael de Carvalho Nunes deixa evidenciada uma triste realidade. A canalhice que aflora pegando carona no oportunismo durante essa pandemia não se resume a furar fila.

Máquina de mentiras

Imprensa mentiu sobre médico francês que defende cloroquina

Vários sites e jornais repercutiram notícia mentirosa sobre Didier Raoult. Pesquisador desmentiu fake news em suas redes sociais desmoralizando imprensa nacional.

Com base em uma notícia da Revista Época, a imprensa nacional repercutiu a notícia falsa de que o médico e microbiologista francês Didier Raoult admitiu que a hidroxicloroquina não reduz a mortalidade ou agravamento da Covid-19. A informação da revista é mentirosa e desmentida pelo próprio pesquisador em suas redes sociais.

Segundo a publicação de Época, Didier fez a afirmação em uma carta publicada em 4 de janeiro no site do Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia, da França. No mesmo dia em que a notícia foi divulgada pela revista brasileira, o médico usou suas redes sociais negando a afirmação.

TRADUÇÃO: A eficácia do HCQ + AZ na redução da duração do transporte viral, demonstrada em nosso estudo IJAA, foi confirmada, com subsequente demonstração de eficácia na mortalidade. Nunca mudamos de ideia.
Cheirinho

Governo de Flávio Dino vai gastar R$ 140 mil com “flores naturais” em 2021

Absurdo foi publicado no Diário Oficial que não delimitou uso das flores. Se for usado para comprar rosas, recursos poderão fazer a aquisição de 14 mil exemplares da flor.

O Diário Oficial do dia 14 de janeiro de 2021 traz a homologação de um pregão presencial, no mínimo, curioso. O documento atesta que o governo de Flávio Dino irá gastar R$ 140.649,05 para adquirir “flores naturais”. A secretaria responsável pelo pedido é a Casa Civil, ligada diretamente ao governador. A empresa responsável pelo pedido será a R.V.N. Serviços e Comércio Ltda.

Levando-se em conta valores de mercado, se o dinheiro do pagador de impostos for usado na compra de rosas vermelhas, o governador poderá fazer uma piscina com pétalas de 14 mil rosas.

Contudo, Flávio Dino pode ser mais exigente e exigir a compra de orquídeas, uma flor mais nobre. Dessa forma o governador poderá desfilar em um corredor com 1500 flores. A ornamentação também pode ser usada nos bancos da praça Pedro II para ornar encontros de casais apaixonados que acontecem por aquelas bandas.

Antes de assumir o governo, Flávio Dino costumava criticar a ex-governadora Roseana Sarney  pela compra de lagostas. Quem diria que 6 anos após prometer “revolucionar o estado” e fracassar desgraçadamente na promessa, o governador termine seu mandato gastando nosso dinheiro comprando flores naturais.

São Luís

Furar a fila da vacinação pode render 1 ano de cadeia e perda do emprego

Prefeitura tem o controle de todos os vacinados e já informou que irá enviar dados ao Ministério Público em caso de denúncias

Por todo o Brasil estouram denúncias de que alguns fasários tentam furar as filas das vacinações passando-se por membros dos grupos de risco. Como não poderia deixar de ser diferente, a ação dos criminisos pode estar acontecendo em São Luís. Acontece que o sistema criado pela prefeitura da capital torna impossível a impunidade de quem cometer o abuso. Todos os vacinados são catalogados e registrados. Além do mais, é exigido documento comprovando a situação.

Nesta semana um deputado levantou a suspeita de que profissionais de saúde que não atuam na linha de frente estarem “furando a fila”. Caso a denúncia seja atestada, as consequências podem ser devastadoras aos autores.

Vale ressaltar que a fraude denunciada pelo deputado só ode acontecer de uma forma: com a falsificação de documentos que atestem a pessoa como sendo integrante do grupo prioritário para a vacina. A prefeitura mantém os arquivos que podem ser solicitados pelo Ministério Pùblico parta abertura de inquéritos.

A legislação prevê detenção de até um ano ou multa a quem infringir as regras impostas pela Prefeitura de São Luís. A lei tem fundamentação no princípio “destinado a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa”.

Caso o responsável pelo ato seja agente, funcionário da saúde pública ou exerça a profissão de médico, farmacêutico, dentista ou enfermeiro, as penas podem ser agravadas em 1/3.

Além do mais, não é descartada perda do registro da categoria.

Atuação

Marcial Lima se reúne com feirantes do bairro da Cohab

O vereador Marcial Lima conversou com trabalhadores e moradores da região. Parlamentar discutiu alternativas para melhorar alguns dos problemas de trânsito na localidade.

O vereador Marcial Lima (Podemos) esteve reunido, esta semana, com feirantes do bairro da Cohab, em São Luís. O objetivo foi discutir alternativas para melhorar alguns dos problemas de trânsito que afligem os comerciantes daquela localidade.

A reunião contou com a presença do titular da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), Cláudio Ribeiro. Durante o encontro, foi debatido o impasse existente entre os agentes de trânsito e os feirantes da região, em virtude da ausência de um estacionamento adequado, pois o atual está sendo ocupado, provisoriamente, pelos comerciantes, enquanto dura a reforma do Mercado da Cohab.

Por causa da falta de um local adequado para o estacionamento, o trânsito na região se torna desorganizado, o que acaba também impactando nas vendas dos comerciantes. Para resolver essa situação, ficou acordado que será definido, imediatamente, um novo local para o estacionamento de motocicletas, enquanto que, os agentes de trânsito organizarão o fluxo de veículos no entorno da feira, evitando assim, que sejam cometidas irregularidades.

Ao fim do encontro, o vereador Marcial Lima (Podemos) avaliou positivamente, não apenas a reunião, mas também a postura do secretário da SMTT, Cláudio Ribeiro, que foi ao local, juntamente com a sua equipe, para estabelecer um diálogo.

“O secretário foi muito atencioso. Ele esteve in loco com a sua equipe. Andamos pelo local e conversamos com as pessoas, ao longo de duas horas. Foi uma reunião muito proveitosa”, destacou Marcial Lima.

Sinais

Edivaldo Holanda Jr inicia articulação por 2022

Encontro com o presidente da Assembleia, Othelino Neto, é sinal evidente da inserção do ex-prefeito nos debates e articulações que antecedem próxima eleição.

O ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, reuniu-se nesta quarta (21) com o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB). A reunião marca o período “pós-prefeitura” e a inserção de Edivaldo no debate sobre as eleições de 2022.

Othelino elogiou o ex-prefeito pelo trabalho na capital. “Eu já havia tido a oportunidade de congratulá-lo durante a sessão de fechamento dos trabalhos desta Casa, mas, agora, pude fazê-lo pessoalmente, em sua visita que muito me honra.

O deputado ainda deu indícios de que a conversa entre os dois não foi mera agenda social. “Tivemos uma conversa muito proveitosa, na qual também pudemos falar sobre o atual momento em que vivemos com a chegada da vacina contra a Covid-19 e, ainda, sobre o atual cenário político e de projetos futuros para o Maranhão”, disse Othelino Neto.

Após o vice-governador iniciar uma de “guerra fria civil” dentro do grupo contra o senador Weverton Rocha que ousa colocar-se como opção do grupo em 2022, a figura conciliadora de Edivaldo Holanda Jr pode ajudar na pacificação do ambiente. Não é segredo que o ex-prefeito tem trânsito entre todas as correntes do governo e chega até mesmo a ser uma espécie de unanimidade política.

Vitória

Fufuca é eleito presidente do Consórcio Intermunicipal Multimodal

Fufuca Dantas

O prefeito de Alto Alegre do Maranhão, Fufuca Dantas (PP), foi eleito o novo presidente do Consórcio Intermunicipal Multimodal (CIM) para o biênio 2021/2022.

“Agradeço aos colegas prefeitos que me elegeram por unanimidade para presidir o Consórcio Intermunicipal Multimodal pelos próximos anos. Temos agora a missão de renovar, democratizar, modernizar e garantir a transparência para nossa entidade. Contem com a gente”, disse o prefeito e presidente eleito, Fufuca Dantas.

Apesar de criado em função do modal ferroviário, com foco nos municípios afetados pela Estrada de Ferro Carajás, o Consórcio Intermunicipal Multimodal é uma associação que trabalha pelo desenvolvimento social e econômico dos municípios associados a nível multimodal, por meio de orientações sobre recolhimento de tributos municipais, compensações socioeconômicas e ambientais, parcerias e convênios.

De acordo com a Lei no 11.107, de 2005, o consórcio de direito público constituído por municípios brasileiros que têm interesse comum de melhorar a qualidade de vida da população, com a missão de prestar mútua assistência para promover o desenvolvimento.

Atualmente, no CIM estão associados 26 municípios, sendo 25 no Maranhão e 01 no Pará.

Começou

Calvef Filho acompanha início da vacinação em Rosário

O prefeito de Rosário, Calvet Filho (centro), iniciou a campanha de vacinação no município

O prefeito Calvet Filho acompanhou nesta quarta-feira (20), o início da vacinação da população de Rosário contra o coronavírus.

A moradora do bairro São Simão, localizado na zona Rural, Angela Maria Moraes Nazar foi a primeira rosariense a receber a dose da CoronaVac.

Rosário recebeu por meio do Governo do Maranhão e Ministério da Saúde 155 doses da vacina CornonaVac.

De acordo com o Plano Municipal de Saúde, nesta primeira etapa serão vacinados inicialmente os profissionais da saúde que estão na linha de frente no combate ao coronavírus.

Hipocrisia

Universidades públicas do Maranhão protegem estupradores e assediadores

Caso da estudante na UEMA de Caxias levanta dúvida sobre defesa velada de assediadores e estupradores nas universidades maranhenses. Como o caso do estudante de psicologia Thiago Silva Prazeres (esquerda), preso pela Polícia Civil acusado de pedofilia, estupro e extorsão.

Uma estudante do curso de enfermagem do pólo da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) em Caxias afirma que foi estuprada em 2019. O caso corria em sigilo e foi tornado público apenas neste ano, após a vítima sentir-se injustiçada e denunciar a omissão da reitoria em relação ao caso. A jovem abandonou a universidade e, por muito pouco, não cometeu suicídio.

Casos semelhantes aos da estudante são muito mais comuns em universidades públicas do Maranhão do que se imagina. Contudo, eles contam com um aliado inusitado: o sigilo das reitorias que escondem os casos e protegem os supostos estupradores e assediadores. Além, é claro, da falta de cobrança dos ditos “movimentos progressistas” pela transparência na exposição dos casos.

Na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por exemplo, são incontáveis os registros de denúncias por assédio e estupro abafadas em processos mantidos sob sigilo. O mais recente deles envolve um professor e líder do movimento negro da UFMA. Ele acusado de usar o cargo para manter relações sexuais forçadas com alunas, algumas menores de idade. O caso, como de costume, corre sob “sigilo” e a identidade do suposto assediador também é mantida sob sigilo.

Um professor do departamento de economia também é suspeito de ter cometido estupros contra menores de idade antes de ingressar no quadro da UFMA. Progressista que frequentemente se coloca como crítico da “cultura do estupro”, ele foi apontado como autor de diversos casos e é suspeito de continuar os assédios até hoje.

O sigilo dos processos administrativos e o silêncio dos movimentos estudantis e sociais em relação aos casos pode ter relação com a falta de exposição dos casos pelas vítimas. Abandonadas pelas instâncias oficiais e pelos movimentos, muitas optam pelo silêncio. Como no caso da estudante de Caxias, que passou anos assistindo aula com o suposto estuprador até decidir abandonar o curso.

Não é de hoje que universidades públicas têm servido de esconderijo para assediadores e estupradores. Geralmente eles se camuflam em “movimentos sociais” para poder cometerem seus crimes. Assim como no caso do professor da UFMA ligado ao movimento negro, em 2016 foi preso o pedófilo Thiago Silva Prazeres, estudante de psicologia.

A universidade também incentiva atividades que correlacionam a prática abusiva de sexo em suas dependências. No mesmo ano em que Thiago Silva Prazeres foi preso, a UFMA sediou o “I Encontro da Juventude Porra Louca”. Durante o encontro, o jovem Kevin Rodrigues Ribeiro foi morto a facadas. Até hoje a UFMA disponibiliza em seu portal uma reportagem elogiosa sobre o evento que culminou com a morte.

Thiago, que era conhecido na UFMA por militar na esquerda, inclusive em movimentos feministas, foi preso com o irmão acusado de pedofilia, extorsão, ameaça e armazenamento de imagem pornográfica de menor.

Outro caso emblemático que revela a proteção de universidades a estupradores foi o de Pedro Ícaro de Medeiros. Estudante de filosofia, ele foi acusado de estelionato, agressões e estupro. O caso teve como palco a Universidade Federal do Ceará, mas possui muitas similaridades aos casos no Maranhão: a proteção encontrada por estupradores e assediadores dentro das universidades.

A omissão dos movimentos feministas das universidades também chama a atenção. Apesar de saberem da existências destes processos, eles nunca pressionaram as reitorias pela transparência e exposição das denúncias.

Vergonha alheia

Eduardo Braide imita espetáculo grotesco de Flávio Dino

Prefeito chegou a usar até o “coletinho” do governador no início da vacinação que mais pareceu um show de horrores

Os sensatos sempre irão esperar um ato de mesquinharia de Flávio Dino. Após seis anos de “libertação gloriosa do Maranhão das garras malignas dos sarneys”, o governador fracassou miseravelmente, não cumpriu nenhuma promessa e piorou o que encontrou. Estes são fatos!

Primeiro eleito da nova geração de políticos maranhenses, todos esperam de Eduardo Braide o inverso de Flávio Dino. Ao invés de parasitar a máquina para aliados, espera-se efetividade administrativa. Ao contrário dos constantes espetáculos entorno de realizações miseráveis, o ludovicense aguarda realizações verdadeiras. E a infeliz atuação do governador nas redes sociais… Bem, essa aí não precisa de comentários.

Nesta semana o governador Flávio Dino decidiu imitar João Dória e espetacularizar a vacina. Preparou um circo, vestiu um colete, tratou de aglomerar muita gente como manda o protocolo e mandou brasa.

Vai ser preciso explicar a baixaria que é transformar uma campanha de vacinação contra uma praga que já matou centenas de milhares de pessoas em ato polítiqueiro? Creio que não…

Poucas horas depois do show de Flávio Dino, que se vangloriou de uma situação que foi possibilitada por seus adversários. Sim! Flávio Dino tentou roubar uma realização de adversários. A vacina foi produzida graças a Dória e distribuída graças ao governo Bolsonaro: ambos adversários de Flávio Dino. Mas, isso é assunto para um áudio vindouro.

Voltando ao assunto. Poucas horas após o espetáculo de Flávio Dino, Eduardo Braide apareceu em situação muito parecida realizando o mesmo ritual bisonho. Coletinho, passinho para o lado para ficar bem na foto e pose de quem é responsável por aquilo.

Braide errou ao imitar o governador. Queria fazer marketing? Pelo menos que fizesse de forma autêntica. Que colocasse o primeiro curado para vacinar a primeira pessoa. Que colocasse o médico mais antigo da rede municipal para fazer a tarefa. Não que imitasse de forma mentecapta um governador mentecapto.

Graças ao Bom Deus Flávio Dino não ficou sabendo dos planos de Eduardo Paz no Rio de Janeiro (que montou um posto de vacina no Cristo Redentor). Se soubesse, muito provavelmente iria armar uma barraca no meio da ponte do São Francisco com queima de fogos (superfaturada, é claro) e baile funk. Será que ao lado, na Bandeira Tribuzzi, teríamos Braide com show sertanejo?

Pois é…

Abra o olho, prefeito. Você não foi eleito para ser a cópia de uma imitação.