Excelência

UDI Hospital conquista certificação hospitalar internacional de qualidade

A obtenção do QMentum International avalia diversos segmentos, desde fornecedores, parceiros, empresas clientes e até mesmo familiares dos pacientes atendidos

O UDI Hospital, pertencente à Rede D’Or São Luiz, acaba de conquistar uma das mais conceituadas acreditações em saúde de nível internacional, a QMentum International. A unidade hospitalar, que completará 26 anos de serviços prestados em São Luís em janeiro, passou por um rigoroso processo de avaliação e conseguiu obter a certificação.

Com a acreditação QMentum, o UDI Hospital comprova que segue práticas de gestão e assistência transparentes e seguras, com padrões de excelência internacionais, desde a identificação dos pacientes, administração de medicamentos, higienização, protocolos, entre outros procedimentos, até a alta hospitalar.

Para o paciente do UDI, a acreditação significa que ele recebe serviços de excelência, assegurados por requisitos internacionais de boas práticas assistenciais, desde a sua entrada até a sua alta. Esta excelência age de forma positiva para o sucesso dos tratamentos.

O diretor geral do UDI Hospital, Valace Portella, explica que, para a obtenção da certificação, há avaliações feitas por diversos segmentos, desde fornecedores, parceiros, empresas clientes e até mesmo familiares dos pacientes atendidos, o que dá ainda mais relevância ao processo de acreditação. Por isto, o processo não é rápido, nem fácil de ser conquistado, pois é exigida da unidade hospitalar uma série de padrões internacionais bem elevados a serem seguidos.

Ele destacou que para a certificação contou muito o exitoso trabalho de toda a equipe do hospital. “Esta acreditação é resultado dos esforços individuais de cada pessoa que faz parte do UDI Hospital”, afirmou. “A segurança do paciente e a prestação de um serviço de qualidade são nossas prioridades e a certificação QMentum é mais um passo que damos para garanti-los. Este é o nosso compromisso”, acrescentou Valace Portella, diretor geral do UDI Hospital.

Ato de coragem

Talvez prefeito de Ribamar vire herói depois que for assassinado. E olhe lá!

Eudes Sampaio pode será morto por enfrentar quadrilha que depreda cofres públicos e amarra Maranhão na miséria em qualquer apoio da mídia ou instituições.

A operação contra agiotagem deflagrada nesta quinta (3) foi iniciada após o prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio, afirmar que fora ameaçado de morte. A informação foi dada pelo delegado Renato Madsen, superintendente da Polícia Federal no Maranhão. A repercussão absurda do ato de coragem de Eudes Sampaio diz muito sobre os tempos sombrios do Maranhão.

O delegado afirmou que foi o próprio prefeito, em um ato de extrema coragem e bravura, procurou a PF para denunciar que estava sendo ameaçado de morte pelos criminosos. Daí a razão da criação da operação Ágio Final.

Pois bem, há pessoas que estão querendo culpar e criminalizar o prefeito pela denúncia. Se fosse um estupro, seria como culpar a vítima pelos atos dos estupradores. Vereadores da cidade chegaram a ter a audácia de, a invés de cobrar a prisão dos agiotas, pedir o afastamento do prefeito. Levantando suspeitas e tentando fazer oposição com base em uma operação que nasceu de uma denúncia do próprio.

É o expediente dos canalhas! Encurralados por uma situação que requer apoio irrestrito a adversários, acusam estes adversários de não serem santos. Portanto, indignos de apoio. O fato de Eudes Sampaio ser um prefeito que não foi reeleito não o torna passível de ser ameaçado de morte e muito menos minimiza suas tentativas de impedir ladrões de colocarem as garras no dinheiro da população.

E toda essa insanidade acontece mesmo quando Renato Madsen deixou claro que os criminosos exigiam o repasse de 20% a 30% de recursos do Ministério da Saúde que tinham sido transferidos para uma das contas da Prefeitura. O valor dos repasses era de aproximadamente R$ 5 milhões.

“A partir de agora começa uma nova etapa da investigação para saber quais os demais envolvidos nessa trama”, disse o superintendente da Polícia Federal do Maranhão.

A CORAGEM DESPREZADA

Antes de mais nada, suposições sobre caráter de Sampaio são argumentos indignos de qualquer atenção. A generalização de uma tentativa de extorsão e ameaça de morte só interessa aos criminosos. Toda e qualquer pessoa que levantar suspeitas sobre Eudes Sampaio está agindo, mesmo que inconscientemente, de ladrões, chantagistas e assassinos.

Eudes Sampaio cometeu o maior ato de coragem de um prefeito do Maranhão nas últimas décadas. Mesmo sabedor que dificilmente iria reeleger-se, negou aos criminosos a chave dos cofres públicos. Arriscou a própria vida duas vezes: ao negar o esquema e ao denunciar o esquema.

Não é de hoje que agiotas extorquem prefeitos pelo interior do estado e condenam milhões de maranhenses. Se há um grupo responsável pela miséria em nosso estado, são os agiotas que parasitam as prefeituras do interior do estado com, no mínimo desprezo, para não falar em anuência, das autoridades.

O ato de Eudes Sampaio (PTB) foi heróico e deveria servir de inspiração para todos os que pretendem mudar verdadeiramente o Maranhão. Como ele não é filiado ao Psol e não costuma lacrar nas redes sociais com pautas imbecis, talvez, quem sabe e olhe lá, ele vire um herói depois de ser assassinado.

Coronavírus

Aliados de Duarte Jr manobram para impedir investigação

Deputado vai receber cargo no governo para dificultar criação da “CPI do Corona Jr”, que pretende investigar crimes contra a saúde pública durante a eleição.

O advogado Duarte Jr, que nunca teve como sucesso em escritório ou foi aprovado em concurso público e mesmo assim se acha um “case de sucesso”, deve contar mais uma vez com indicação política para “vencer na vida”. Há em curso uma operação para impedir a investigação do suposto crime contra a saúde pública pelo deputado durante a campanha. A forma encontrada foi garantir um cargo no governo estadual para tirar Duarte da Assembleia e dificultar a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Corona Jr.

Já é dada como certa a nomeação de Duarte em alguma secretaria para causar constrangimento aos parlamentares que exigirem a prática dos supostos crimes.

O fato é que a cortina de impunidade, levantada pelos poderosos, visa preparar Duarte Jr para lutas futuras contra aqueles que Carlos Brandão chamou de “desertores”. Brandão sabe que o senador Weverton Rocha (PDT) possui um grupo maior e mais coeso. Dessa forma, “salvar Duarte Jr de uma investigação” é preservá-lo para batalhas futuras.

A única chance de frear o ímpeto do político mais sórdido que se tem notícia na história recente do Maranhão é a luz de uma investigação justa sobre seus atos. Aceitar o boicote da investigação é garantir a Duarte a única barreira que ele precisa para voltar a aprontar no futuro e tentar vingar-se de seus adversários: a impunidade.

E mais uma vez o “case de sucesso” irá contar com indicação política dos outros para ter… sucesso.

Fantasia comunista

Flávio Dino é surrado por Bolsonaro na capital do Maranhão

Disputa que só existia dentro da mente doentia do governador acabou com vitória retumbante do presidente.

A mente doentia do governador Flávio Dino (PCdoB) criou uma fantasia mórbida: a eleição em São Luís era uma disputa entre ele e o presidente Jair Bolsonaro. Mesmo que toda a história de Eduardo Braide deixe claro que ele não é bolsonarista, mesmo que não seja possível encontrar uma única foto ou declaração de amizade/aliança entre os dois, Flávio Dino passou todo o segundo turno acusando Braide de ser um enviado de Bolsonaro.

Dessa forma, dentro da cabeçorra sustentada pelo pescoço gorduroso do governador, a dor deve ser quase que inexplicável por ter sido surrado em seu quintal.

Nos próximos dois anos, todas as vezes que olhar para o lado, que vislumbrar o Palácio de La Ravardiéri, Flávio Dino irá lembrar que foi derrotado por Bolsonaro. E não apenas uma simples derrota, mas uma surra.

Bolsonaro não precisou lançar candidato, não precisou fazer campanha, não gravou vídeo, não mandou ministros para a rua, não ameaçou aliados de retaliação e não usou o emprego de nenhum funcionário federal como moeda de troca do voto. Santo Deus, provavelmente nem importância para a existência de Eduardo Braide até o dia da vitória Bolsonaro precisou.

Como não caracterizar uma vitória que não precisou de uma única atitude como não sendo uma surra? O desarranjo mental do governador, que antes era controlado por um projeto pessoal de poder, está à solta. E a primeira vítima foi o próprio governador: foi surrado em uma disputa que só existia dentro da sua mente delirante.

Eleições 2020

Eduardo Braide vence adversários e será o novo prefeito de São Luís

O futuro prefeito e a futura primei-dama de São Luís.

Com 100% das urnas apuradas, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) está oficializado como futuro prefeito da capital maranhense. Em um resultado que confirmou as estimativas dos institutos de pesquisa, Braide obteve 270.557 votos. O equivalente a 55,53% do eleitorado que votou no segundo turno.

Compareceram na votação 519.050 eleitores. Destes, 216.665 (44,47% dos votos válidos) preferiram votar em Duarte Jr (Podemos). Votos brancos representaram 12.179 (2,35%), nulos 19.649 (3,79%). Preferiram algum dos dois candidatos 487.222.

Veja o discurso da vitória de Eduardo Braide.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Feduardobraide%2Fvideos%2F139761784239981%2F&show_text=0&width=267

A eleição de Eduardo Braide altera a composição da bancada maranhense na Câmara Federal. Josilvado Jp, primeiro suplente da coligação PMN / PHS que elegeu Braide em 2018, deve assumir a vaga.

Batalha

A resposta da população

Imbróglio

Em assembleia geral, empresas afastam presidente do SET

Gilsinho ficará fora do cargo por 30 dias, período em que terá atos da sua gestão investigada

Em assembleia geral extraordinária realizada na manhã desta sexta-feira (27), um grupo de empresários associados ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) decidiu afastar cautelarmente o presidente (interventor) da entidade, José Gilson Caldas Neto, por 30 dias. Além do afastamento, os filiados deliberaram pela instauração de um processo disciplinar para apurar as supostas irregularidades cometidas no exercício do cargo pelo gestor e empresário, sócio-proprietário da Ratrans (antiga Gonçalves).

Para administrar o SET, a assembleia geral determinou a formação de uma junta governativa, que responderá por todos os atos do sindicato durante o período de afastamento de Gilsinho, como o empresário é mais conhecido.

O presidente ficará fora do cargo até a conclusão do processo disciplinar, cujo objetivo será investigar as irregularidades apontadas no Processo de Apuração Disciplinar a ser instaurando contra o mesmo

Uma vez concluída a investigação, está poderá culminar, inclusive, com a expulsão do mesmo do SET, a depender das irregularidades que forem constatadas.

Imbróglio sucessório

Gilson Neto assumiu a presidência do SET há cerca de dois anos, na condição de interventor, por decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MA), após uma divergência interna, levada a julgamento da corte trabalhista por um dos sócios devido à falta de consenso sobre a eleição de uma nova diretoria.

Como o imbróglio sucessório jamais foi resolvido, ele se mantém no posto desde então, de forma precária, mas já começava a se articular para tentar conquistar um mandato por via eleitoral.

Debate

Eduardo Braide vence Duarte no 1º debate do segundo turno

Debate foi marcado pela tentativa de Braide debater propostas enquanto Duarte requentava ataques de 2016

O debate realizado pela Band na noite desta quarte (25) escancarou as táticas de campanha usadas pelos candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Jr (Republicanos) no segundo turno. Enquanto Braide fazia a opção pelo debate sobre a cidade, Duarte partia para acusações requentadas das eleições de 2016.

Antes de mais, cabe um elogio a Band que conseguiu apresentar uma fórmula de debate que deixou os candidatos livres para o debate. A condução da jornalista Daniela Bandeira também foi espetacular. Tanto Duarte como Braide tiveram a chance, de uma forma imparcial e dentro de regras claras, de exporem suas ideias.

A novidade no debate ficou no segundo bloco e ápice do debate de ontem. Os dois candidatos tiveram 15 minutos para usar livremente.

O ponto baixo do debate foi o bloco em que especialistas perguntavam a um candidato e o outro respondia. As perguntas foram abstratas demais. Mas, a atuação pífia dos especialistas no primeiro bloco não comprometeu, uma vez que os candidatos pouca, ou nenhuma importância, deram a elas.

Durante o debate o que se viu foi um Duarte Jr obcecado pelo confronto. Usou 80% do seu tempo para requentar os ataques desferidos a Braide em 2016 e os outros 20% para falar sobre a cidade.

Já Eduardo Braide demonstrou incômodo no início dos debates com as provocações do adversário, mas em seguida conseguiu controlar os ânimos e dominou quase todo o segundo bloco.

Braide fez, pelo menos, 10 perguntas sobre peculiaridades da cidade que ficaram sem resposta por Duarte no segundo bloco. Na mais vexatória delas, ele questionou o adversário sobre detalhes do programa São Luís em Obras (de autoria do prefeito Edivaldo Holanda Jr). Duarte não respondeu. Questões sobre a zona rural e acessibilidade também foram desprezadas por Duarte, que usava cada segundo do seu tempo para atacar Braide.

Em certa altura do debate ficou claro que Duarte, pelo menos por conta do seu comportamento, acredita na tese de que xingar, debochar e atacar Braide será o suficiente para sua vitória. Já Braide segue tentando, fracassadamente, levar o debate para o campo das propostas. Se o adversário não quer, não haverá tal debate. Pela tentativa de tentar qualificar o debate, por ter demonstrado mais conhecimento sobre números e a situação de São Luís e por não ter se amedrontado e reagido aos ataques, Eduardo Braide venceu o primeiro debate contra Duarte Jr.

Larga o osso

Presidente biônico do SET pode ser deposto do cargo

Gilsinho, que ocupa cargo cargo há dois anos sem ter sido eleito pela categoria, é alvo de denúncias e insatisfação
Continuar lendo
Atividade parlamentar

Deputado Aluisio Mendes intercede por Instituto Federal do Maranhão

Aluísio Mendes ao lado do ministro da educação e do reitor do IFMA.
Continuar lendo
Diferença

Braide e o respeito ao próximo que Duarte não mostrou

Candidato do Podemos decidiu suspender toda sua agenda de campanha após confirmação de CoVID-19 em sua vice, postura totalmente diferente da atribuída ao adversário, acusado de fazer campanha mesmo contaminado por coronavírus

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) tomou nesta terça-feira, 24, uma decisão que todos esperaram ter sido tomada pelo seu adversário, Duarte Júnior (Republicanos), no primeiro turno.

Ao saber que sua vice, Professora Esmênia Miranda, testou positivo para a CoVID-19, Braide decidiu também se submeter ao teste e suspender toda a sua agenda, até que o resultado seja divulgado.

Braide tomou a decisão em respeito ao povo de São Luís, que corria risco de contaminação com o andamento da campanha.

A postura de Braide é totalmente diferente da que Duarte Júnior é acusado de ter tomado no primeiro turno; o deputado republicano teria continuado a campanha mesmo depois de saber que estava com CoVId-19.

Duarte Júnior circulou sem máscara e, segundo o Lacen, já contaminado pela CoVID-19, ás vésperas do primeiro turno

Pelo menos esta é a informação do laboratório Central do governo do Estado (Lacen), que divulgou o exame de Duarte, negado por ele. (Saiba mais aqui e aqui)

A argumentação de Duarte o torna o único cidadão do mundo a ter testado positivo para CoVID-19 e estar totalmente curado apenas oito dias depois.

Ele alega ter pego a doença apenas no dia 11 de novembro; e já no dia 19 estava de volta às ruas.

De qualquer forma, a postura de Eduardo Braide e a de Duarte Júnior diante do próximo também deve ser levado em conta na hora do voto.

É simples assim…

Perdeu

CNJ arquiva fake news de Eliziane Gama contra juíza de Coroatá

Senadora comunista divulgou em suas redes que juíza havia mandado prender pastor em Coroatá. Com base em relatos do próprio pastor ficou comprovada inexistência de provas que sustentassem a denúncia de Eliziane Gama no CNJ.

A campanha difamatória da senadora Eliziane Gama (Cidadania) contra a juíza Anelise Nogueira Reginato foi encerrada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em decisão sumária, o conselho decidiu pelo arquivamento de denúncia da parlamentar que acusava a magistrada de “mandar prender” pastor na cidade.

A senadora comunista registrou denúncia no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em que acusava a magistrada Anelise Nogueira Reginato de “atentado à liberdade religiosa” por sua conduta no caso. As investigações do conselho apontaram para a completa ausência de provas na denúncia.

No dia 11 de novembro um desentendimento entre o pastor Natanel Santos e a juíza Anelise Nogueira Reginato resultou na condução do pastor até a delegacia da cidade para assinatura de Termo Circunstanciado de Ocorrência. Natanael, ao contrário do que noticiou Eliziane nos dias seguintes, não fora preso a pedido da juíza. Aliás, tanto o pastor quanto a juíza, em depoimento à autoridade policial da cidade, contaram a mesma versão para o início do caso: o som estava alto demais e a juíza solicitou, enquanto cidadã, ao pastor que o abaixasse.  

As versões se contradizem nos momentos posteriores. Anelise afirma que Natanel voltou a aumentar o som, ele nega. Foi quando Anelise fez o que qualquer pessoa faz neste tipo de ocorrência: acionou a autoridade policial. Os policiais destacados para atender a ocorrência conduziram Natanael até a delegacia que se prontificou a comparecer na manhã seguinte para esclarecer o acontecimento.

POLITIZAÇÃO E ARQUIVAMENTO

Acontece que a senadora Eliziane Gama já no dia seguinte começou a noticiar em suas redes sociais que Natanael havia sido preso a pedido da magistrada. Além disso, a parlamentar alardeou que iria formalizar uma denúncia no CNJ por intolerância religiosa. Mesmo que o próprio Natanael afirmasse em seu depoimento que realmente estava com o som elevado em um primeiro momento.

A decisão da corregedora nacional do CNJ, Maria Thereza de Assis Moura, tomou como base documentação da delegacia de polícia de Coroatá. Segundo a corregedora, em nenhum momento se pode observar qualquer tentativa de Anelise de fazer sua posição de magistrada. Sendo que ela só foi identificada enquanto tal no dia seguinte ao episódio em depoimento.

A decisão da corregedora ainda evidencia o fato de que ao acionar a autoridade policial, a juíza agiu como “cidadã comum” com base no artigo 69 da lei 9.099/95. “A autoridade policial que tomar conhecimento da ocorrência lavrará termo circunstanciado e o encaminhará imediatamente ao Juizado, com o autor do fato e a vítima, providenciando-se as requisições dos exames periciais necessários”.

Coronelismo de quinta

Felipe Camarão autoriza distribuição de cestas básicas nas vésperas da eleição

Mensagens de texto mostram que funcionários anunciam distribuição de cestas básicas em escolas públicas do estado ao mesmo tempo em que convidam para reuniões políticas do secretário de educação. Enquanto Camarão faz campanha, escolas seguem fechadas.

O secretário de educação, Felipe Camarão, pode estar cometendo crime eleitoral ao usar a estrutura da secretaria de educação para fazer campanha no segundo turno das eleições de São Luís. Mensagens de texto vazadas revelam que uma escola da capital iniciou a distribuição de cestas básicas logo após uma reunião de campanha organizada por Camarão. A distribuição das cestas básicas nas escolas públicas do estado acontece na semana que antecede a realização do segundo turno em São Luís.

Os anúncios da distribuição de cestas básicas nas escolas públicas do estado são feitos por aplicativo de mensagem. Curiosamente, os mesmos funcionários que anunciam a distribuição das cestas foram os mesmos que divulgaram reunião política organizada pelo próprio Camarão.

Em contato com o blog, sem saber a razão da ligação, o funcionário assumiu a autoria das mensagens. Evidentemente ele negou a relação entre a distribuição de cestas básicas e a reunião política, ambas anunciadas por ele.

O secretário, que deveria preocupar-se com as centenas de escolas fechadas e milhões de crianças sem aulas, não está medindo forças para eleger seu candidato. Ou seja: a estrutura que deveria servir a crianças e adolescentes carentes pode estar sendo usada para fazer campanha para o candidato do secretário.

Nas redes sociais é possível ver que o funcionário público deu lugar a um militante sedento por votos. Quase todos os dias desde a segunda metade do segundo turno, Felipe posta, ou compartilha, propaganda política. E sempre fazendo a ligação com sua pasta, a educação. O assédio de Camarão a funcionários da secretaria já foi materializado até mesmo em maldições indiretas pelo Twitter aos que “ficarem neutros”.

Eleições 2020

Nova pesquisa mostra Braide com 51,28% e Duarte com 33,58%

DataM também aponta liderança de Eduardo Braide

O Instituto DataM divulgou neste domingo (22), a primeira pesquisa de intenção de votos no segundo turno da eleição para a Prefeitura de São Luís, entre os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicano)

Veja os números da pesquisa estimulada:

Eduardo Braide (Podemos) – 51,28%
Duarte Júnior (Republicano) – 33,58%
Nào sabem/Não responderam – 8,18%
Nenhum/Nulo – 6,96%

Se considerados apenas os votos válidos, Braide chega a 60,4% das intenções de votos.

Expectativa de vitória – Segundo a pesquisa DataM, 62,88% dos entrevistados acreditam na vitória de Eduardo Braide no segundo turno. 23,81% disseram que Duarte Júnior vence e 12,94% não sabem/não responderam.

Pesquisa – O levantamento do Instituto DataM foi feito entre os dias 16 e 19 de novembro e ouviu 800 pessoas. A pesquisa está registrada sob número MA-1140/2020. A margem de erro de 4 pontos para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%.

Edivaldo Holanda Jr se torna maior que Flávio Dino

Enquanto governador faz chantagens, aterroriza e coloca seus cães para atacar até os indecisos, prefeito adota postura de estadista no segundo turno

Nos últimos dias o número de denúncias por abuso de autoridade no blog se multiplica. São dezenas de funcionários de repartições estaduais que afirmam estarem sendo chantageadas em seus locais de trabalho. Ou apoiam e integram a campanha do candidato do governo, ou sofrerão as consequências.

O secretário de educação, Felipe Camarão, em uma citação garimpada na internet, chegou a dizer que a neutralidade no pleito representará uma passagem ao inferno.

Enquanto Flávio Dino tiraniza, chantageia e coloca seus cães, como Felipe Camarão, na caça de quem aceita escravizar seu voto, Edivaldo Holanda Jr adotou um tom de serenidade na eleição.

Enquanto Flávio abandonou o estado pela eleição, Edivaldo vive o ponto mais alto de sua gestão.

O latido alto de Flávio Dino e de seus cães deixa escancarada sua mesquinharia e pequenez. O silêncio de Edivaldo Holanda Jr atesta o gigantismo de um estadista.

Mesmo que faça alguma opção nos próximos dias, ninguém espera que o prefeito vista o manto da tirania e aterrorize os funcionários da prefeitura como está fazendo o governador com os funcionários do estado.

A eleição de 2020 tornou Edivaldo Holanda Jr maior que Flávio Dino. E toda a classe política já tem essa impressão, inclusive os aliados mais de próximos do governador.