SANTA LUZIA

Ministério Público pede o afastamento da prefeita França do Macaquinho

Prefeita é acusada de não repassar R$ 64 milhões de contribuições para funcionários municipais nos últimos 5 anos.

A prefeita de Santa Luzia, França do Macaquinho (PP), pode ser afastada do cargo a qualquer momento. Ocorre que o promotor Leonardo Santana Modesto ingressou com uma ação pedindo o afastamento imediato e a indisponibilidade dos bens da prefeita. O pedido ocorre por suspeitas de repasses irregulares de contribuição previdenciária dos servidores municipais de Santa Luzia. A ação configura ato de improbidade administrativo.

A denúncia afirma que França do Macaquinho deixou de repassar no ano de 2017, mais de R$12 milhões de contribuições do servidores; em 2018, o valor foi superior a R$13 milhões; em 2019 foi de quase R$12 milhões; em 2020 mais de R$15 milhões; 2021 mais de R$10 milhões, totalizando mais de R$ 64 milhões não repassado em contribuições previdenciárias dos servidores municipais.

ESQUERDA UNIDA

Apoiadores de Lula no Maranhão votaram por continuidade dos “saidões de presos”

Rubens Jr, Zé Carlos e Bira do Pindaré seguiram orientação das lideranças dos partidos e votaram contra o fim das saídas temporárias de presos que são amplamente criticadas pela sociedade

Dos 18 deputados federais que representam o Maranhão em Brasília, apenas três decidiram votar contra o fim da saída temporária de presos aprovada ontem. Por coincidência, Bira do Pindaré (PSB), Rubens Júnior (PT) e Zé Carlos (PT) são apoiadores do ex-presidente Lula.

O texto contou com articulação direta do deputado federal Aluísio Mendes e foi aprovado por 311 votos favoráveis e 98 contrários. O projeto segue para o Senado, que vai analisar as alterações dos deputados.

André Fufuca (PP), Cleber Verde (Republicanos) e Márcio Jerry (PCdoB) não votaram. Jerry deveria acompanhar a orientação da bancada. Mas, muito provavelmente por saber da repercussão negativa da posição, deve ter decidido deixar a “batata-quente” nas mãos dos “companheiros”.

Veja a lista completa de como votou a bancada do Maranhão:

Aluísio Mendes (PSC) – votou pelo fim da saída temporária
André Fufuca (PP) – não votou
Bira do Pindaré (PSB) – votou contra o fim da saída temporária
Cléber Verde (Republicanos) – não votou
Edilázio Júnior (PSD) – votou pelo fim da saída temporária
Gil Cutrim (Republicanos) – votou pelo fim da saída temporária
Hildo Rocha (MDB) – votou pelo fim da saída temporária
João Marcelo (MDB) – votou pelo fim da saída temporária
Josivaldo JP (PSD) – votou pelo fim da saída temporária
Júnior Lourenço (PL) – votou pelo fim da saída temporária
Juscelino Filho (União) – votou pelo fim da saída temporária
Márcio Jerry (PCdoB) – não votou
Marreca Filho (Patriota) – votou pelo fim da saída temporária
Pastor Gil (PL) – votou pelo fim da saída temporária
Paulo Marinho Júnior (PL) – votou pelo fim da saída temporária
Pedro Lucas Fernandes (União) – votou pelo fim da saída temporária
Rubens Pereira Júnior (PT) – votou contra o fim da saída temporária
Zé Carlos (PT) – votou contra o fim da saída temporária

ALUÍSIO MENDES

Deputado do Maranhão articulou fim dos “saidões de presos”

Atuação de Aluísio Mendes foi decisiva para aprovação de Pacote Contra a Violência que inclui projetos que acabam com saídas temporárias, combatem novo cangaço e aumentam penas para roubos e furtos em calamidades públicas

A Câmara de deputados aprovou um pacote contra a violência que inclui uma série de medidas que endurecem as penas e sanções contra bandidos e o crime organizado. Entre as medidas aprovadas, está o fim da saída temporária de presos, a tipificação do crime de “novo cangaço” e pena maior para furtos cometidos durante estado de calamidade. Membro da bancada maranhense, Aluísio Mendes (PSC), teve participação decisiva na aprovação do pacote.

Presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, Aluísio Mendes articulou o regime de urgência e a votação. “Eram projetos que estavam tramitando há muito tempo na Câmara, sem perspectiva de aprovação. Colocamos a votação destes projetos como prioridade, articulamos a votação e, entendendo a necessidade deles, os demais deputados votaram pela aprovação.

O PL 6579/20 acaba com as saídas temporárias dos presos. Já o PL 5365/20 tipifica no Código Penal o crime de domínio de cidades, também chamado de “novo cangaço”. E o PL 643/20 aumenta a pena para furtos cometidos durante estado de calamidade.

O projeto que acaba com as saídas temporárias foi aprovado com 311 votos contra 98. Atualmente, a legislação permite a saída temporária aos condenados no regime semiaberto para visita à família durante feriados, frequência a cursos e participação em atividades. O projeto aprovado revoga todas essas possibilidades. O texto também obriga a realização de exame criminológico como condição para a progressão de regime. A progressão só será permitida se o exame comprovar que o preso tem autodisciplina, baixa periculosidade e senso de responsabilidade.

O projeto que cria o crime de domínio de cidades no Código Penal abrange casos conhecidos como novo cangaço, em que quadrilhas armadas invadem municípios e assaltam bancos ou empresas.

Os deputados também aprovaram projeto que aumenta as penas para os crimes de furto ou roubo cometidos em situações como incêndios, naufrágios, inundações ou desastres, o que inclui qualquer estado de calamidade pública, epidemia ou pandemia reconhecidos oficialmente.

“Com a mais absoluta certeza a sociedade está mais aliviada com a aprovação destas matérias. E iremos aprovar ainda mais projetos dessa natureza. Nosso compromisso é com o povo, não com bandido”, concluiu Aluísio.

Siga no Twitter

O novo Braide?

APÓS PANCADARIA

PT abandona campanha de Marcelo Freixo no Rio de Janeiro

Racha ocorre após pancadaria entre militantes da esquerda democrática pacifista em julho. Membros do PT e PSB se enfrentaram em um restaurante no Centro do Rio. Caso foi abafado pela imprensa nacional.

O casamento entre PT e Marcelo Freixo (PSB) no Rio de Janeiro pode estar cegando ao fim. O diretório estadual do partido do ex-presidente Lula aprovou nesta terça (2 de agosto) uma resolução para retirar o apoio à candidatura de Freixo ao governo estadual. A decisão deve passar por aprovação da direção nacional.

O abandono do PT acontece cerca de um mês após uma grande pancadaria entre membros do PT e PSB em um restaurante no Rio de Janeiro. Apesar da selvageria do caso, a imprensa nacional não divulgou o caso devidamente.

João Maurício de Freitas, presidente estadual do partido, alegou que a insistência do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em lançar Alessandro Molon candidato ao Senado promoveu o rompimento. Havia um acordo prévio da coligação para apoiar André Ceciliano (PT) para o cargo.

“Esse descumprimento de um acordo feito entre Molon e Freixo, entre o PT e o PSB, nos dividiu, com parte da esquerda atacando o nosso companheiro André, pré-candidato do PT ao Senado, numa campanha sórdida nas redes, como não se via faz anos”, diz a nota do PT do RJ.

A nota do PT ainda acusa membros do PSB de criarem um gabinete do ódio que promove uma campanha de assassinato da reputação de Ceciliano nas redes sociais. Eis os democratas pacifistas da esquerda que se matam entre si.

ELEIÇÕES 2022

Lahesio afirma que foco da campanha é o Maranhão

Candidato afirmou estar focado em propostas e não em debate ideológico.

O candidato ao governo do Maranhão, Lahésio Bonfim (PSC), disse em entrevista ao quadro Bastidores, da TV Mirante, que não pretende travar um debate ideológico nas eleições. Lahesio ainda afirmou que o Maranhão não pode mais esperar o enfretamento de problemas como miséria, infraestrutura e saúde pública.

“O Maranhão não pode mais esperar. Nós temos o maior projeto para este estado, então, não vamos tirar o foco do maranhense. Eles querem levar para esquerda, direita, mas não. Nosso foco é o Maranhão que tem as piores estatísticas: mais da metade da nossa população está empobrecida, mesmo sendo um dos estados mais ricos do Nordeste”, afirmou.

Segundo Lahesio, sua motivação para a disputa majoritária nas eleições deste ano é o Maranhão. Ele destacou que seus adversários preferem focar nesse debate nacional entre a esquerda e a direita, esquecendo dos maranhenses.

O ex-prefeito de São Pedro dos Crentes ainda afirmou que o maranhense tem sentido no seu dia-a-dia os efeitos de uma economia que não deslancha. O clima de insegurança alimentar no estado, bem como o preço dos combustíveis e gás de cozinha também foram abordados por Bonfim.

“Depois de décadas e décadas aparece um homem de uma cidade pequena com coragem que vem tomando conta das ruas, enchendo o povo de esperança e mostrando que já fez muito pelo estado. Nós nos sentimos mais que capacitados para fazer essa transformação que este estado tanto deseja”, pontuou.

R$ 9,3 milhões

Procurador quer apurar compra de respiradores fantasmas por Dino

SES pagou adiantado, via Consórcio Nordeste, mais de R$ 9,3 milhões por 70 aparelhos nunca entregues. Pasta era comandada por Carlos Lula, que deixou cargo para disputar eleição de deputado estadual

O Ministério Público de Contas que atua perante o TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Maranhão defendeu que a corte abra uma investigação ampla sobre a compra suspeita de respiradores pulmonares pela gestão do então governador Flávio Dino (PSB) para tratamento de pacientes em estado grave diagnosticados com Covid-19.

A compra foi feita no início da pandemia por dispensa de licitação e custou aos cofres públicos mais de R$ 9,3 milhões por 70 aparelhos, pagos de forma antecipada e nunca entregues à SES (Secretaria de Estado da Saúde), responsável pela negociação via Consórcio Nordeste.

A manifestação do MP de Contas, assinada pelo procurador Paulo Henrique Araújo dos Reis, orienta o tribunal a se aprofundar sobre o caso por meio da instauração de uma tomada de contas especial, tipo de processo que busca quantificar danos ao erário e identificar seus responsáveis, para apurar a gravidade das irregularidades apontadas pela área técnica da corte.

O parecer ministerial foi apresentado desde o dia 15 de março deste ano, embora o sistema do Tribunal de Contas, de forma incomum, exiba como último andamento do processo o dia 12 de novembro de 2021.

O relator é o conselheiro-substituto Antônio Blecaute Costa Barbosa. Quase cinco meses depois da manifestação do Ministério Público de Contas, ele ainda não apresentou proposta de decisão para ser votada pelo plenário da corte. Pelo regimento interno do tribunal, apenas Blecaute, por presidir o processo, pode solicitar ao presidente do TCE-MA, conselheiro Washington Oliveira, a inclusão em pauta do caso.

Além da inércia do relator, diversas outras paralisações e lentidão na investigação, mostrou o ATUAL7, também têm dificultado a conclusão do caso, iniciado há mais de dois anos. Em um outro processo de fiscalização de recursos da saúde, mas envolvendo suspeitas de irregularidades em licitações da EMSERH (Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares), Blecaute decidiu se declarar suspeito, por motivo de foro íntimo.

Relatórios apresentados pelo setor técnico do tribunal entre 2020 e 2021 apontam estragos milionários aos cofres públicos com o dinheiro dos respiradores, recursos que, se aplicados corretamente, poderiam ter salvo centenas de vidas de vítimas da Covid-19 no Maranhão. O resumo da auditoria é que a SES usou a situação de emergência causada pela pandemia para efetuar toda a negociação e repasse da verba sem transparência, com sobrepreço elevado e sem observar critérios legais no uso dos recursos públicos, principalmente em razão dos altos valores envolvidos e da relevância dos equipamentos naquele momento.

Quando o dinheiro público foi repassado antecipadamente às empresas Hempcare Pharma Representações e Pulsar Development Internacional, o governo maranhense era comandado por Dino. Ele renunciou ao cargo em abril para disputar o Senado na chapa de Carlos Brandão (PSB), que à época da compra dos respiradores fantasmas era vice-governador. Procurados, não retornaram o contato.

Como a compra dos aparelhos foi efetuada via a SES, o alvo direto da apuração, que tramita ainda como processo de fiscalização e acompanhamento de contratos, é o ex-titular da pasta, Carlos Lula –também alvo de outra investigação, no âmbito federal, pela Sermão aos Peixes.

Apesar do Palácio dos Leões ter conhecimento das suspeitas sobre a compra dos respiradores e do procedimento de fiscalização na corte de Contas, Lula deixou o comando da SES apenas em razão de exigência da legislação eleitoral, para concorrer à Assembleia Legislativa do Maranhão, como um dos candidatos do movimento RenovaBR, grupo apoiado pelo apresentador da Rede Globo Luciano Huck. O partido escolhido para a disputa é o PSB, o mesmo de Dino e Brandão. Ele também não respondeu a solicitação de posicionamento feita pelo ATUAL7.

Nos autos, por meio do escritório Rêgo Carvalho Gomes Advogados, que faz sua defesa no processo, o ex-titular da SES tentou a imposição de sigilo à apuração do TCE-MA, e falseou a LAI (Lei de Acesso à Informação) e uma instrução normativa do próprio tribunal para alegar que não tinha obrigação de divulgar contratos e demais documentos referentes à compra dos respiradores fantasmas.

Também esforçou-se para colocar sob suspeição a auditora estadual de controle externo Aline Vieira Garreto, que apontou, com base em levantamento realizado pela CGU (Controladoria-Geral da União), a diferença do valor praticado no mercado no início da pandemia e o despendido pela SES com os aparelhos pagos adiantados, mas nunca entregues.

Sobre a suspeição levantada contra Garreto, o chefe da Secretaria de Fiscalização do TCE do Maranhão, Fábio Alex Melo, já havia manifestado tratar-se “de um descalabro sem tamanho, que não merece nenhuma consideração”.

De acordo com a CGU, enquanto em compras efetuadas por estados e municípios o preço médio pago por respirador mecânico era de R$ 87 mil, os valores negociados nos dois repasses pela SES, por intermédio do Consórcio Nordeste, custaram quase R$ 165 mil no primeiro contrato e mais de R$ 218,5 mil no segundo contrato, por aparelho.

A Hempcare, microempresa recém-aberta de importação de produtos à base de maconha, mas aceita na negociação suspeita como revendedora de ventiladores pulmonares, recebeu do governo do Maranhão, por 30 respiradores, exatos R$ 4.947.535,80. Nenhum aparelho foi entregue nem o dinheiro revolvido.

Já a Pulsar recebeu R$ 4.371.840,00 por 40 aparelhos, também nenhum entregue. Após rescisão do contrato, a empresa devolveu R$ 3.877.906,31 aos cofres públicos. O valor faltante, segundo alegou Carlos Lula em sua defesa, seria em razão do deságio de R$ 493.933,69 resultante de diferença cambial pela desvalorização da moeda brasileira perante o euro no intervalo de tempo entre a pagamento e a devolução.

O ATUAL7 não conseguiu o contato das empresas.

Nenhuma das alegações do ex-secretário de Saúde do Maranhão foram aceitas pelo procurador do Ministério Público de Contas, que acompanhou integralmente as conclusões e propostas encaminhadas pelo setor técnico da corte, sugerindo a conversão dos autos em tomada de contas especial, “em fase da gravidade já amplamente debatida nos autos”.

“Ao que parece, em que pese a situação de emergência, as cláusulas implementadas foram extremamente desfavoráveis ao comprador na medida em que não se exigiu as garantias mínimas para o desfecho do contrato com a entrega dos respiradores, o que elevou sobremaneira os riscos quanto a possíveis dano ao erário. Vale dizer, ainda, que a excepcionalidade do caso não autoriza, de forma alguma, a mitigação de cláusulas tão nobres e fundamentais quanto ao resguardo da coisa pública por parte dos agentes públicos ordenadores de despesas e responsáveis pelas contratações”, destacou.

A compra dos respiradores fantasmas também entrou na mira do Ministério Público do Estado, mas acabou sendo arquivada após investigação relâmpago, sem justificativa pública plausível.

Apesar do inquérito civil haver tramitado integralmente sob movimentação processual aberta, um pedido do ATUAL7 via Lei de Acesso à Informação para acesso aos autos foi negado pelo, à época, promotor de Justiça Danilo José de Castro Ferreira, que atuava na assessoria de investigação de ilícitos praticados por agentes políticos detentores de foro, braço-direto da PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça). Recentemente, ele foi empossado no cargo de procurador de Justiça, e assumiu a 22ª Procuradoria de Justiça Cível, com atuação junto à 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão.

O MP estadual é comandado por Eduardo Jorge Hiluy Nicolau, que nas redes sociais faz questão de se mostrar alguém próximo do alto escalão do Poder Executivo. Em uma das publicações, ele aparece com Carlos Brandão em reunião onde discutiu, durante o processo eleitoral interno do MP-MA, o desejo de ser reconduzido ao cargo. Na legenda da foto em que estão de mãos dadas e se observando em sinal de parceria, escreveu: “Eu e o meu amigo Dr. Brandão, nosso futuro Governador”. Carlos Brandao é candidato à reeleição.

Pelo menos uma operação da Polícia Civil da Bahia em junho de 2020 e outra da Polícia Federal em abril deste ano foram deflagradas contra a suspeita de esquema criminoso que envolve lobistas, empresários, agentes públicos na aquisição de ventiladores pulmonares, com pagamento antecipado sem qualquer entrega dos equipamentos, pelo Consórcio Nordeste. Nas duas operações, a empresa Hempcare foi alvo.

NO ANO DA ELEIÇÃO

Justiça questiona compra de cestas básicas sem licitação por Brandão

Ação popular questiona compra de 150 mil cestas básicas, sem licitação e no período eleitoral pelo governo do Maranhão

A Justiça determinou que o governador Carlos Brandão explique a compra de 150 mil cestas básicas de alimentos com dispensa de licitação. A transação foi realizada junto ao Grupo Mateus e Brandão terá 72 horas para explicar a compra suspeita.

A ação protocolada contra a gestão de Carlos Brandão afirma aponta para um possível superfaturamento no preço das cestas básicas. A Ação contra o Governo alega superfaturamento de R$ 3.492.000,00 na compra de cestas do Mateus Supermercados.

São apontados como suspeitos no caso o governador Carlos Brandão, o secretário de Desenvolvimento Social, Paulo Casé e o subsecretário Lívio Mendonça Corrêa; o supermercado Mateus e o empresário Ilson Mateus.

A Ação Popular questiona a compra lançando suspeitas sobre a legalidade da dispensa de licitação, uma vez que já existe uma licitação semelhante em tramite com o mesmo objeto vigente.

Desconfia-se ainda que a compra junto ao Grupo Mateus se daria como forma de retribuição ao apoio político do empresário Ilson Mateus declarado à reeleição de Brandão.

CORTINA DE FUMAÇA

Brandão e Dino usam Lula para esconder fracasso no Maranhão

Comunistas querem desviar atenção do povo e evitar avaliação dos sete anos de governo

O governador Carlos Brandão (PSB) e o ex-governador Flávio Dino (PSB) tem centrado todos os esforços da campanha eleitoral na figura do ex-presidente Lula. A intenção dos dois é impedir a avaliação dos sete anos de mandato dos dois no estado e levar a discussão para um âmbito nacional.

Por si só, a tática de alienação dos maranhenses já revela o nível do que foi o governo do Maranhão entre os anos de 2015 e 2021. Contudo, também há a esperança de que o apoio do ex-presidente Lula possa impulsionar a cambaleante candidatura de Carlos Brandão.

O apoio de Lula como algum tipo de exclusividade política também não resiste a uma análise simples da história. Todos os governadores maranhenses nos últimos 30 anos foram aliados e admiradores do ex-presidente Lula. Além disso, não existe nenhum político com mandato no estado que critique publicamente o ex-presidente. Nem mesmo entre os cinco candidatos ao governo do Maranhão.

A forma de governar do PT: assistencialismo, inchaço dos gastos, endividamento, corrupção e ausência de ambiente propício aos negócios é seguida pelos 217 prefeitos e gestores públicos do estado.

O petismo fracassou no Maranhão e seu “sucesso” é meramente eleitoral. Benefícios para o Maranhão nunca aconteceram.

Dessa forma, o uso de Lula na campanha por Brandão e Dino é apenas uma tentativa de desviar a atenção para o fracasso da gesto comunista nos últimos 7 anos.

SIGA NO TWITTER

Lula e o Maranhão

DEPUTADA FEDERAL

Bolsonarista Mariana Carvalho surpreende em convenção do PSC

Vinda de Imperatriz, Mariana Carvalho foi uma das poucas que defendeu o legado do presidente Jair Bolsonaro durante discurso

Entre todas as participações na convenção de ontem (31 de julho) de ontem do PSC, a da candidata a deputada federal Mariana Carvalho foi uma das que mais chamou a atenção do presente.

Natural de Imperatriz, Mariana surpreendeu pelo número de apoiadores que a acompanharam até a capital maranhense. O único grupo que comparado ao de Mariana foi a do candidato a deputado estadual, Fernando Braide. Os dois juntos protagonizaram as maiores entradas no evento.

Em seu discurso, Mariana reafirmou o apoio ao presidente Jair Bolsonaro, senador Roberto Rocha e o voto em Lahesio Bonfim.

Experiente, Mariana vai para a sua terceira eleição. Ela já disputou em 2018 uma vaga na Assembleia, pelo PSL do então candidato Jair Bolsonaro. Em 2020, já no PSC, ela disputou a prefeitura de Imperatriz. Neste ano, Mariana tentará uma vaga na Câmara Federal. Em todas as ocasiões, Mariana esteve em partidos alinhados a Bolsonaro. Ela, inclusive, integrou a equipe do presidente quando assumiu a Coordenação Nacional do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), no governo federal.

ACERTOU

Bolsonaro frustra esquerda e não nomeia parceiro de Flávio Dino para STJ

Relações pessoais e políticas de Ney Bello com Flávio Dino foram expostas com exclusividade em todo o Brasil pelo Blog do Linhares em maio

Contrariando o lobby da imprensa e do ministro Gilmar Mendes, o presidente Jair Bolsonaro não nomeou o desembargador maranhense Ney Bello para uma das duas vagas no Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Amigo pessoal e aliado do ex-governador comunista Flávio Dino, a nomeação de Bello vinha sendo dada como certa por observadores.

Ao invés do maranhense, Bolsonaro preferiu Paulo Sérgio Domingues e Messod Azulay Neto.

As relações pessoais e políticas de Ney Bello com Flávio Dino foram expostas com exclusividade pelo Blog do Linhares em 11 de maio de 2022. De lá para cá, todos davam como certa a nomeação. Isso acontecia por conta de decisões do desembargador que, teoricamente, beneficiaram aliados do presidente.

A nomeação de Ney Bello iria fortalecer Flávio Dino. Só que ela não veio.

ELEIÇÕES 2022

Lahesio Bonfim é oficializado candidato ao Governo do Maranhão

Em convenção marcada por discursos pela luta contra a miséria e combate à corrupção, ex-prefeito de São Pedro dos Crentes deu o pontapé inicial da campanha.

O ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim, foi oficializado candidato ao governo do Maranhão na tarde deste domingo (31). Em uma convenção marcada pela espontaneidade dos presentes que lotaram a Batuque Brasil na Cohama, bairro de São Luís, Bonfim agradeceu a todos. “Eu não tenho eleitores, tenho apoiadores”, disse.

Apesar das dificuldades da campanha já relatadas por Lahesio em outras ocasiões, o comparecimento ao evento surpreendeu a todos os presentes. O espaço quase alcança a lotação máxima. Segundo a organização, não foram disponibilizados ônibus para o transporte dos presentes.

Durante a convenção foram anunciadas caravanas de todas as regiões do estado. “Eu estou com 77 anos, não tenho mais obrigação de votar, mas eu vou votar em Lahesio, porque ele vai mudar o Maranhão”, disse Antonia Cavalcante, de 77 anos. Ela estava na caravana de Bacabal.

A convenção foi marcada pela apresentação de uma chapa proporcional competitiva que deve impulsionar ainda mais a campanha de Bonfim. Além dos convencionais, participou da convenção o senador Roberto Rocha. O senador enalteceu a capacidade de liderança de Aluisio Mendes, presidente do PSC, e desejou uma boa campanha para Lahesio.

O evento também serviu para apresentar o candidato a vice na chapa, Dr Gutemberg. “Primeiro é uma honra. Gratidão a Deus por me dar essa oportunidade de participar do movimento político mais importante do Maranhão nos últimos trinta anos. Segundo agradecer ao Lahesio Bonfim pela confiança por ter escolhido meu nome, que ele tenha certeza de que terá um vice leal, fiel, um vice que prestará todos os seus serviços para que ele possa não só chegar à vitória, mas fazer um grande governo. E eu, como vereador de São Luís no quinto mandato, estou aqui disposto a germinar nossas forças e potencializar muito mais São Luís”.

O presidente da legenda e candidato à reeleição na Câmara Federal, Aluisio Mendes, afirmou que o momento marca a trajetória pela verdadeira libertação do estado. “Estou participando hoje de uma convenção PSC, PMN e AGIR, é a convenção da libertação do nosso estado. Porque o doutor Lahesio Bonfim é para transformar a vida daqueles que mais precisam no nosso estado. Hoje é o dia da libertação”.

Bastante emocionado em sua fala, Lahesio Bonfim apresentou aos presentes sua esposa, três filhos e sua mãe. O candidato do PSC afirmou que sabe das dificuldades que irá enfrentar na eleição, mas que não pretende desanimar. “Na minha vida inteira eu enfrentei gigantes, e na minha vida inteira eu os venci”, disse durante discurso.

ELEIÇÕES 2022

Aluísio Mendes lidera convenção histórica do PSC

Convenção marcou a entrada definitiva do PSC entre os protagonistas da política partidária no Maranhão

O presidente estadual do PSC, e deputado federal, Aluísio Mendes comandou na manhã deste domingo (31) a maior convenção da legenda em todos os tempos. Integrada por milhares de pessoas de todas as regiões do estado, a convenção ainda marcou o lançamento da candidatura de Lahesio Bonfim para o governo do estado e Dr Gutemberg para a vice. “A convenção de hoje coloca o PSC definitivamente entre as legendas protagonistas da política estadual”, afirmou Mendes.

CHAPA COMPLETA E COMPETITIVA

Dadas as circunstâncias impostas pela nova legislação eleitoral, que impedem as coligações entre partidos, o PSC conseguiu uma proeza nas eleições deste ano. Irá lançar chapa completa para os cargos de deputado federal e estadual. Serão 19 candidatos a uma vaga na Câmara Federal e 43 para a Assembleia Legislativa. “As duas chapas são muito competitivas e temos a esperança de sair, pelo menos, com 5 eleitos”, disse Aluísio.

No grupo que deve disputar a eleição para a Câmara Federal, além do próprio Aluísio que concorrem à reeleição, estão a empresária Mariana Carvalho, Arnoldo do Frango, Jaconias Moraes, Cláudio Furtado, Irmã Rose e a ativista Flávia Berthier. Entre outros nomes que disputam uma vaga.

Para a Assembleia, o PSC conta com nomes de peso como o ex-secretário de saúde Ricardo Murad, o deputado estadual Welington do Curso, o ex-secretário Junior Vieira e o administrador Fernando Braide.

MAJORITÁRIA

O 31 de julho também marcou a oficialização da candidatura de Lahesio Bonfim ao governo. Candidato que mais cresce nas pesquisas, o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes agradeceu a Mendes pela oportunidade de disputar as eleições. “SE não fosse pelo Aluísio, hoje nosso sonho de mudar o Maranhão não poderia se tornar realidade. Ele é o responsável por tudo isso que acontece hoje”, disse Lahesio.

FORÇA

Fernando Braide é destaque na convenção do PSC

Participação do candidato a deputado estadual no evento foi a mais aplaudida e notada pelos presentes.

O administrador Fernando Braide foi um dos destaques da convenção do PSC ocorrida neste domingo (31 de julho). Responsável por boa parte do público presente, ele é um dos postulantes ao cargo de deputado estadual na chapa da legenda.

“É com muito orgulho e responsabilidade que nos colocamos como opção de renovação para a política de nosso estado”, afirmou.

A entrada de Fernando Braide foi um dos grandes momentos da convenção. Carregado por entusiastas e seguido por centenas de pessoas, o candidato chamou a atenção.

Outros candidatos, inclusive, elogiaram a participação de Fernando Braide na disputa. O presidente da legenda, Aluísio Mendes, foi um dos que citou o vigor da campanha do administrador.

Na semana passada uma pesquisa apontou Fernando Braide como um dos cinco pré-candidatos com mais intenção de voto na capital maranhense.