ELEIÇÕES 2022

Drama pessoal de Roberto Rocha facilitou eleição de Flávio Dino

Abandono da campanha para ajudar filho a lutar contra o câncer facilitou vitória do comunista na eleição para o Senado

Logo após a divulgação dos resultados do primeiro turno das eleições deste ano, o ex-governador Flávio Dino (PSB) e seus entusiastas comemoraram a expressiva votação do comunista. Acontece que o principal adversário de Dino, o senador Roberto Rocha (PTB), passou boa parte da eleição atormentado pelo drama do filho, Paulo Roberto. Ele faleceu hoje.

O drama familiar de Roberto Rocha nas eleições de 2022 foi uma espécie de repetição trágica do que aconteceu em 2018. Também naquela ocasião, o senador decidiu abandonar a campanha para dedicar-se à saúde do filho. Neste ano a situação repetiu-se.

Neste aspecto, o entusiasmo pela “vitória esmagadora” despreza a influência decisiva de um drama pessoal.

Aliás, mesmo sabedor das dificuldades em que enfrentava o adversário, o ex-governador Flávio Dino foi incapaz de qualquer mínimo gesto de civilidade.

O abandono de Rocha da campanha nas últimas semanas das eleições chegou ao conhecimento de Flávio Dino. O que deixou o resultado da eleição, que já era difícil para Rocha, impossível de ser revertido. Mesmo assim, o comunista evitou qualquer declaração pública de conforto ou solidariedade.

OUTRO CASO

A insensibilidade do ex-governador esquerdista não foi ato isolado neste ano. No dia da eleição, o empresário Fernando Lucena morreu. Ele era marido da candidata ao governo, Raquel Lyra (PSDB).

Atordoada, a tucana solicitou a sua adversária, a esquerdista Marília Arraes, que atrasasse em um dia a retomada.

Arraes negou o pedido da adversária.

LIDERANÇA

Aluísio Mendes agradece prefeitos e anuncia caravana pelo interior do Maranhão

Aluísio consolidou-se como liderança municipalista no Maranhão

O deputado federal reeleito Aluisio Mendes (PSC) reuniu-se nesta segunda-feira (11) com prefeitos integrantes de seu grupo político. O evento dá início a uma série de outras ações do parlamentar para agradecer a expressiva votação nas eleições deste ano. Mendes conseguiu 126.577, tornando-se o sexto deputado com mais votos em todo o Maranhão.
Eleito pela 1ª vez em 2014, Aluísio Mendes vem em constante crescente nos seus números e conseguiu elevar pela segunda vez consecutiva sua quantidade de votos. Neste ano ele obteve 20 mil votos a mais que em 2018.

Além de figurar entre os mais votados do estado, Mendes foi premiado pelo Ranking dos Políticos com o título de melhor parlamentar do Maranhão no mandado 2018-2022 em setembro deste ano.
Ele já havia sido considerado o melhor deputado nos anos de 21 e 22.

Participaram da reunião os prefeitos: Itamar (Alto Parnaíba); Zequinha (Apicum-Açu); Dr. Washington (Bacuri); Herlon Costa (Belagua); Bermuda (Campestre do Maranhão); André Portela (Capinzal do Norte); Airton Marques (Carutapera); Aldo Lopes (Cururupu); Josimar da Serraria (Gov. Nunes Freire); Raimundo Zuca (Joselândia); Raimundinho Lidio (Paulino Neves); Nilson do Cassó (Primeira Cruz); Cociflan (Ribamar Fiquene); Calvet Filho (Rosário); Zezildo (Santa Helena); Bigú (Santo Antonio dos Lopes) Wallas Rocha (São Benedito do Rio Preto); Mecinho (São João Batista); Dr Júnior (São Luís Gonzaga); Romulo Costa (São Pedro dos Crentes); Dr Orlando (Senador Alexandre Costa), Edesio Cavalcanti (Turiaçu) e Prof. Clemilton (Urbano Santos). Além da participação da deputada estadual eleita Iracema Vale.

Mendes aproveitou a oportunidade para, além de agradecer, reafirmar seu apoio aos prefeitos. “Em 2023 estaremos juntos novamente, com trabalho e melhorias para os municípios, hoje já começamos nossas conversas para decidirmos o que é prioridade em cada cidade, e assim que liberado, faremos as indicações.” Disse Aluisio.
O deputado ainda afirmou que pretende realizar uma caravana pelo interior do Estado, no mês de novembro, como forma de agradecimento à população que o confiou com mais um mandato.

GUINADA À DIREITA

Yglésio declara guerra contra Flávio Dino e diz que vai votar em Bolsonaro

Deputado surpreendeu colegas ao manifestar apoio a presidente e afirmar vai lutar contra interferência do ex-governador no Maranhão

O deputado estadual reeleito Yglésio Moyses (PSB) surpreendeu os presentes hoje na Assembleia Legislativa durante discurso considerado bombástico pelos colegas. O parlamentar declarou apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e afirmou que irá lutar contra a influência do ex-governador Flávio Dino no estado.

Durante o discurso, Yglésio expôs o suposto desprezo de Flávio Dino para com os deputados e deputadas. “Perdemos 24 colegas que foram embora porque não tiveram apoio. Deputado ía falar com ele e não conseguia”, disse.

“O que eu puder fazer para essa interferência externa desse senhor acabar aqui dentro da casa, eu quero. Porque ele acha que deputado é lixo. O parlamento é só figurativo”, disse.  

Apesar das palavras duras contra Flávio Dino, Yglésio sinalizou que pretende manter-se na base de apoio ao governador Carlos Brandão. O rompimento, dessa forma, se daria apenas com o comunista eleito senador.

Yglésio também falou do fracasso das gestões petistas em relação às contas públicas. Diferente do presidente Bolsonaro que “apear de ser maluco, coloca pessoas competentes nos cargos”, afirmou.

ELEITORES FIÉIS

Lula teve 80% dos votos entre presidiários do Brasil no 1º turno

Vitória do petista entre comunidade carcerária que ainda tem direito ao voto foi esmagadora. Se dependesse da vontade dos presos, Lula teria sido eleito no primeiro turno para governar o país.

Levantamento do site O Antagonista mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve 80,59% dos votos dos presos em situação carcerária com direito a voto no Brasil. Foram analisados resultados em 222 seções instaladas em presídios, totalizando 14.653.

O candidato do PT teve 8.883 votos e venceu em 208 seções. Jair Bolsonaro (PL) teve 1.741 votos e levou a melhor em apenas 13 seções. Em uma seção houve empate entre os dois. Já Simone Tebet (MDB) teve 152, Ciro Gomes (PDT) 150, Soraya Thronicke (União Brasil) conseguiu 58, e Felipe D’Ávila (Novo) 21. Padre Kelmon (PDT) teve 10 e Vera Lúcia (PSTU) 6. Leo Péricles (UP) e Eymael (DC) tiveram 1 voto cada.

Segundo a legislação brasileira, apenas presos em situação provisória, sem sentença transitada em julgado, têm o direito a voto. A proporção da votação, no entanto, pode servir como base para identificar a predileção dos demais presidiários pelo petista.

Em Limoeiro (PE), maior seção destinada a presos provisórios, com 264 eleitores, Lula obteve uma vitória esmagadora. Foram 248 votos, ou 98,4% do total. Nas duas menores seções, em Manaus e Pimenta Bueno (RO), o petista também levou a melhor entre os sete votantes em cada máquina.

Em 2018 o PT também foi o vencedor entre os votos dos criminosos do país. Levantamento do jornal O Globo, na ocasião, mostrou que, no segundo turno, Fernando Haddad venceu nos presídios com 82,4% dos votos.

6 DIAS DEPOIS

Governador é afastado do cargo por corrupção após reunião com Lula

Aliado de Renan Calheiros em Alagoas, Paulo Dantas foi alvo de operação da Polícia Federal e foi afastado do cargo pela justiça 6 dias após reunião em que elogiou petista e confirmou aliança

Candidato à reeleição em Alagoas e disputando o segundo turno, o governador Paulo Dantas (MDB) foi alvo de uma operação da Polícia Federal na manhã desta terça (11 de outubro). O Superior Tribunal de Justiça (STJ) também determinou o afastamento do cargo de governador. A situação acontece apenas 6 dias após uma reunião com o ex-presidente Lula em São Paulo para declarar apoio.

A operação Edema cumpriu 31 mandados de busca e apreensão. Entre os endereços alvos da operação estão a Assembleia Legislativa e a sede do governo. Aliado de Renan Calheiros (MDB), Paulo Dantas foi encontrado pela Polícia Federal em um hotel de São Paulo. Os agentes vasculharam a bagagem do governador e recolheram seu telefone.

Além do afastamento do governador e das buscas, também foram apreendidos bens e valores que alcançam R$ 54 milhões.

Os alvos são suspeitos das práticas dos crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro. Eles estão proibidos de manter contatos entre si e frequentar os órgãos públicos.

Dantas tenta a reeleição e, no primeiro turno. ficou à frente da disputa contra Rodrigo Cunha (União).

PARANÁ

Ministério Público quer proibir oração do Pai Nosso em escolas

A promotora Cláudia Tomelin é responsável pelo pedido de suspensão do rito cristão nas escolas municipais de Matinhos

O Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio da 1ª Promotoria de Justiça em Matinhos (interior do Paraná), quer proibir oração do “Pai-Nosso” nas salas de aula das escolas municipais. A decisão partiu da promotora de justiça Cláudia Luíza da Rosa Tomelin, que enviou ofício à Secretaria Municipal de Educação caracterizando a oração em ambiente escolar como inconstitucional.

No documento, Tomelin exige a suspensão de quaisquer tipos de orações ou rezas em ambiente escolar, bem como a prática de qualquer ato que possa constranger alunos a participarem de atos religiosos adversos das suas crenças.

Segundo a secretaria, as crianças oram o “Pai-Nosso” na formação das filas, mas a promotora não acatou a justificativa.

Segundo o site RIC Mais, a Prefeitura de Matinhos ainda não declarou quais providências serão tomadas.

MARANHÃO

Judiciário maranhense solta quase 1 mil presos para o Dia das Crianças

Libertados nesta terça (11 de outubro), presos ficarão uma semana livres e devem retornar apenas na próxima segunda (17 de outubro)

Foram libertados nesta sexta (11 de outubro) 934 presidiários do sistema prisional maranhense para o Dia das Crianças. Todos serão beneficiados com a saída temporária por preencherem os requisitos da Lei de Execução Penal. A autorização é concedida por ato motivado do juiz da execução, ouvidos o Ministério Público e a administração penitenciária.

A decisão foi tomada pelo juiz titular da 1ª Vara de Execuções Penais da Comarca da Ilha de São Luís, Rommel Cruz Viégas. Ele já encaminhou ofício à Secretaria de Administração Penitenciária autorizando a saída temporária dos apenados do regime semiaberto para visita aos seus familiares em comemoração à semana do Dia das Crianças de 2022.

Soltos às 9h, os presos devem retornar aos estabelecimentos prisionais até as 18h do dia 17 de outubro.

Conforme o artigo 122 da lei, os condenados que cumprem pena em regime semiaberto poderão obter autorização para saída temporária do estabelecimento, sem vigilância direta, para visita à família (inciso I) e participação em atividades que concorram para o retorno ao convívio social (III). A ausência de vigilância direta não impede a utilização de equipamento de monitoração eletrônica (tornozeleira), quando assim determinar o juiz da execução. Segundo a legislação, não terá direito à saída a pessoa condenada que cumpre pena por praticar crime hediondo com resultado morte (§ 2º, incluído pela Lei nº 13.964, de 2019).

Aluísio Mendes destaca papel de articulação entre governo e Congresso

Deputado federal Aluísio Mendes considerou Lahesio Bonfim o maior vencedor das eleições deste ano no Maranhão

Em entrevista ao Ponto Final desta segunda-feira (10), o deputado federal, Aluísio Mendes (PSC), eleito para mais um mandato na câmara federal no pleito 2022, avaliou o primeiro turno das eleições no estado. Clique aqui e ouça a entrevista na íntegra.

Para Aluísio a maior vencedor dessa disputa foi o ex-prefeito do município de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim, que concorreu ao governo do Maranhão. Para o deputado, a vitória se deu pois Lahesio saiu de uma figura pouco conhecida para o mais votado dentre o que pleiteavam a chefia do executivo estadual.

Sobre seu papel na Câmara Federal, Aluísio Mendes destacou sua capacidade de dialogar com os dois lados, tanto direita quanto esquerda, e aponta que esse é o seu diferencial para a aprovação de projetos importantes para o país.

“Eu sou talvez hoje o único representante do governo Bolsonaro que tem pela interlocução com a esquerda, muito em função daquele voto dado contra o impeachment. Então eu sou um deputado federal hoje da base do governo, vice-líder do congresso, vice da câmara que tem amplo e total diálogo com a esquerda com PT, principalmente, então isso me capacitou para nos momentos mais difíceis do Congresso Nacional poder abrir portas importantes para aprovação de projetos de interesse do país. Talvez por essa questão eu tenha sido escolhido vice-líder no congresso e na Câmara Federal e tenha sido mantido durante esses quatro anos a despeito da troca de várias cadeiras”, disse Aluísio Mendes.

APÓS AS ELEIÇÕES

Milhares de profissionais da saúde estão com salários atrasados no Maranhão

Atraso nos salários após as eleições pode ser o primeiro sintoma de uma grave crise fiscal nas contas do Governo do Maranhão

Funcionários da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), Instituto Acqua, Instituto de Apoio ao Desenvolvimento da Vida Humana (IADVH) e outras empresas e órgãos do sistema de saúde estão reclamando de atraso nos salários. A situação tem preocupado enfermeiros, médicos e técnicos. “Eles sequer dão uma previsão”, disse uma enfermeira que pediu sigilo.

Até o mês passado, todos os pagamentos eram feitos até o dia 5. A quebra na rotina pegou muitos profissionais da saúde desprevenidos que contavam com a pontualidade nos pagamentos. Profissionais ouvidos pelo blog reclamaram do que, segundo eles, seria “falta de consideração do governo”. “Poderiam ter avisado. Mas, passou a eleição, né?”, disse um técnico,

Os atrasos reforçam a tese de que o Governo do Estado do Maranhão caminha para um colapso fiscal em um futuro não muito distante.

Neste ano, o Governo Federal, por meio da Secretaria do Tesouro Nacional, informou um calote de R$ 337 milhões pelo governo do Maranhão. As dívidas tiveram que ser pagas pelo Governo Federal. Os empréstimos contraídos por estados quase sempre têm a União como uma espécie de fiadora.

Ainda na tarde desta segunda (10 de outubro), alguns pagamentos isolados começaram a ser feitos. A expectativa é que a situação seja normalizada até o fim da semana. Oficialmente, os departamentos de recursos humanos afirmam que problemas no sistema ocasionaram os atrasos. Contudo, há o temor de que o retardo no pagamento dos salários sejam efeito do início do esgotamento financeiro das contas após 8 anos de gestão irresponsável das contas públicas.

POR QUE MUDOU?

Aliada de Lula no 2º turno, Simone Tebet reclamou de golpe do PT no 1º

Três meses antes declarar apoio ao ex-presidente, Simone Tebet acusava conspiração do petista que tentava impedir sua candidatura em programa de rádio

Uma das maiores entusiastas da campanha de Lula (PT) no 2º turno, Simone Tebet (MDB) reclamou de uma tentativa de golpe em sua candidatura antes da eleição. A declaração foi dada em julho deste ano em entrevista à Jovem Pan News na qual falou sobre uma tentativa de golpe em sua candidatura por infiltrados. “São os mesmos velhos parlamentares ou políticos do MDB que estiveram há 10 ou 12 anos atrás com o PT. E eles queriam levar o MDB para o PT. Foram ministros de Estado do Lula. E eu dizia ‘não’, não temos que ir pra lado, temos que ter candidatura própria”, disse.

Naquele mesmo mês, o dirigente emedebista Hugo Wanderley Caju, ligado a Renan Calheiros (MDB-AL), recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir a anulação da convenção que iria definir a candidatura de Tebet.

Prefeito de Cacimbinhas, no interior alagoano, e delegado da convenção, Caju criticava o fato do evento partidário ser virtual, por meio da plataforma “Zoom” e argumentava que não havia como garantir que o voto fosse secreto nesse tipo de votação.

Segundo os advogados de Caju na época, “grave irregularidade, notadamente relacionada à garantia do sigilo do voto, representando violação às disposições estatutárias do MDB”. Ao recorrer à Justiça Eleitoral, Caju afirmou que a plataforma virtual “não é capaz de atender ao sigilo das informações por ela veiculadas” e não é “recomendada para garantir a lisura das votações dessa natureza”.

Além dele, outros 11 aliados de Lula tentaram no MDB sabotar a candidatura de Tebet ao declarar apoio ao petista em jantar.

Tebet, que hoje apoia Lula, acusava o ex-presidente de ser o mentor da conspiração. “[Lula] Ele deu a senha, ele deu a senha quando disse para um jornal: ‘Olha, a Simone não é carta fora do baralho. Tem que ficar de olho’. Não passou uma semana e alguns dentro do partido resolveram que não podia ter mais candidatura própria. Ele deu a senha porque ele quer matar essa eleição no primeiro turno. Ele não vai matar essa eleição no segundo turno”.

Lula afirma que tumultos irão voltar em seu governo e que comunicação será censurada

DECEPÇÃO

Votação de Duarte Jr compromete projeto para Prefeitura

Apesar de uma superestrutura de campanha, ex-presidente do Procon teve votação mediana e não conseguiu atingir nível de Eduardo Braide em 2022, Eliziane Gama em 2014 e Edivaldo Holanda Jr em 2010

Se comparado a políticos que disputaram a Câmara Federal antes das eleições na capital, o deputado estadual Duarte Jr (PSB) pode ter seus planos de disputar a Prefeitura de São Luís em 2024 comprometidos pelo resultado obtidos nas urnas em 2022. Candidato natural ao cargo de prefeito, a votação na capital maranhense é baixa em relação a outros políticos que seguiram o mesmo roteiro antes de disputar, e vencer, as eleições na capital. Tanto Edivaldo Holanda Jr (2010) quanto Eduardo Braide (2018) tiveram desempenho muito acima do de Duarte Jr antes de disputarem, e vencerem, as eleições de 2012 e 2020. Até mesmo Eliziane Gama, humilhada nas eleições de 2016, teve desempenho superior ao de Duarte nas eleições de 2014.

Apontado como um dos grandes favoritos antes das eleições de 2022, Duarte Jr obteve 111.019 votos. A votação garantiu a oitava colocação na classificação geral, ficando atrás de Detinha (PL), Pedro Lucas Fernandes (UB), Josimar Maranhãozinho (PL), Juscelino Filho (UB), André Fufuca (PP), Aluísio Mendes (PSC) e Marreca Filho (Patriota).

O ex-presidente do Procon foi quase ultrapassado por nomes menos expressivos, como o comunista Márcio Jerry (PCdoB) e a engenheira Amanda Gentil (PP).

MAIS RECURSOS, MENOS VOTOS

Quatro anos atrás, quando seguiu o caminho da Câmara Federal antes de tornar-se prefeito, Eduardo Braide ficou em segundo lugar com 189.843 votos. Apenas 6 mil votos atrás do primeiro colocado, Josimar Maranhãozinho.

Nas eleições passadas, Braide declarou receitas de R$ R$448.760,00. Neste ano, o site do TSE registra recursos que ultrapassam R$ 2 milhões de reais n campanha de Duarte Jr. Mais especificamente R$2.140.128,50.

A distância entre Duarte e a primeira colocada nas eleições deste ano, Detinha, foi de cerca de 50 mil votos. Detalhe: se Braide tivesse disputado as eleições deste ano e alcançado a mesma votação, seria o primeiro colocado.  

Especificamente em São Luis, Braide obteve quase o dobro dos votos de Duarte Jr na capital maranhense. Foram 131.553 votos de Braide em 2018 contra 76.264 votos do ex-animador de festas infantis em 2022.

Até mesmo se comparado com o ex-prefeito Edivaldo Holanda Jr, que disputou as eleições para a Câmara Federal em 2010, o desempenho de Duarte Jr nas eleições deste ano é baixo.

Nas eleições daquele ano, Edivaldo Holanda Jr era oposição à governadora Roseana Sarney (MDB) e estava em vias de romper com o prefeito da capital, João Castelo (PSDB). Mesmo em situação completamente desfavorável, Edivaldo Alcançou 104.015 votos.

Em São Luís, Holanda alcançou pouco mais de 70 mil votos. Ou seja: na oposição, disputando um eleitorado menor e sem a mesma estrutura, Edivaldo teve um desempenho parecido com o de Duarte Jr.

Humilhada nas eleições de 2016 para a Prefeitura, Eliziane Gama também teve desempenho superior ao de Duarte Jr nas eleições para a Câmara Federal em 2014. Eliziane teve 133.575 votos no total.

Só em São Luís, a esquerdista evangélica conseguiu mais de 80 mil votos. Muito mais que o ex-presidente do Procon.

Assim como Braide e Edivaldo, não dispunha de estrutura de superestrutura de campanha como Duarte Jr.

POLÊMICA

MDB não concorda com critérios do TRE que definiu eleição de deputados federais

Revisão dos dados pode garantir a Hildo Rocha uma vaga na Câmara Federal

Nesta quinta (06 de setembro), o MDB protocolou questionamento sobre o cálculo da Justiça Eleitoral. O partido discorda do cálculo que definiu os deputados federais eleitos no estado. Dessa forma, o partido quer que seja refeito o cálculo da distribuição de vagas no pleito para a Câmara dos Deputados, já que o partido entende que houve um erro na “na distribuição das vagas destinadas para as sobras”.

Nas eleições do último domingo o MDB conseguiu eleger apenas a ex-governadora Roseana Sarney. Caso a tese seja aceita, poderia eleger mais um, o deputado Hildo Rocha, nesse caso pela sobra.

O MDB entende que os partidos que não conseguiram alcançar o quociente para eleger um deputado federal, algo em torno de 250 mil votos, não poderiam entrar na disputa para pleitear a eleição de um candidato pela sobra.

“O Requerente [MDB] obteve 301.583 votos válidos para os seus candidatos a deputada e deputado federal, atingindo o quociente eleitoral que foi de 205.917. Ficou com sobra de 95.666 votos válidos. Ocorre que na distribuição das vagas destinadas para as sobras ocorreu erro/inconsistência, a causar prejuízo ao Requerente e, sobretudo, ao princípio da representação proporcional de que cuidam o art. 45 da Constituição da República e do art. 84 do Código Eleitoral, assim como ao parágrafo único do art. 1º, também da Constituição da República. Com efeito, pelo regramento contido no Código Eleitoral, participam da distribuição das vagas referentes à sobra primeiro os partidos que atingem o quociente eleitoral e somente depois é que os demais participam. O Requerente, pela não aplicação da regra, foi preferido em uma vaga, haja vista que atingiu o quociente eleitoral e ficou com sobra de 95.666 votos válidos que é superior ao percentual mínimo exigido, ao passo que partidos que não atingiram o quociente eleitoral foram contemplados com vagas”, diz o MDB, na ação assinada pelo advogado Marcos Lobo.

Caso a reclamação do MDB seja acatada, dois deputados eleitos, mas sem que os partidos tenham alcançado o quociente eleitoral, Cléber Verde (Republicanos) e Márcio Honaiser (PDT), poderiam perder as vagas, beneficiando Hildo Rocha e Clayton Noleto (PSB), numa eventual nova distribuição de vagas.

MEMÓRIA

PSOL apaga texto que acusava Lula de tirar verba da educação de site

Artigo explicava como petista havia operado para retirar R$ 32,9 bilhões da educação por meio de emendas na Constituição

Um artigo que constava no site do PSOL de São Paulo com o título Governo Lula tirou 32,9 bilhões da educação foi tirado do ar e não consta mais na página nesta sexta-feira (7). O texto havia sido publicado em março de 2009, antes do fim do segundo governo de Lula (PT), e fazia críticas à continuidade da Desvinculação das Receitas da União (DRU) na gestão petista.

Criada em 1994 com o nome de Fundo Social de Emergência (FSE), a DRU foi instituída para estabilizar a economia logo após o Plano Real e, na prática, permite que o governo aplique os recursos destinados a áreas como educação, saúde e previdência social em qualquer despesa considerada prioritária e na formação de superavit primário. A DRU está em vigor até o fim de 2023.

Na época do artigo publicado pelo PSOL, estava em discussão no Congresso a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 277, de 2008, que retirava a vigência da DRU sobre recursos da educação de forma gradual. A retirada até chegou a acontecer, mas a desvinculação voltou a valer sobre os recursos da educação com a promulgação da Emenda Constitucional 93, de 2016.

No texto excluído do site do PSOL paulista, a sigla dizia que dados sistematizados por Salomão Ximenes, membro da associação Ação Educativa, apontavam que os “números atualizados pelo IGP-DI mostraram que a educação perdeu 32 bilhões e 909 milhões de reais com a continuidade da DRU no governo Lula”. O texto era assinado pelo então secretário geral da sigla, Luiz Araújo.

Em outro ponto do artigo, o partido que faz parte da coligação de Lula declarou que “no final de 2006 foi aprovada a Emenda Constitucional n° 53 e criado o Fundeb” mas que, entre 2007 e 2008, “já dentro da vigência do Fundeb, quando os recursos teoricamente deveriam ter aumentado e a sangria provocada pela DRU deveria ter diminuído, o que se verificou foi a sua intensificação”.

PÁGINA DESAPARECEU

Em consulta ao site Wayback Machine, que reúne versões anteriores de páginas da internet, é possível constatar que o endereço do artigo no site do PSOL de São Paulo aparecia como disponível até o fim da noite desta quinta (6). Na manhã desta sexta, no entanto, ao tentar acessar o texto, o site retorna com a mensagem “página não encontrada”.

ELEIÇÕES 2022

Após auditoria em 560 boletins de urna, TCU não encontra nenhum dado incorreto

O Tribunal de Contas da União não encontrou nenhuma inconsistência de dados nas 560 urnas auditadas. O TCU fez a conferência do processo de votos para os cargos de senador, governador e presidente da República. A auditoria começou no domingo, 2, ao fim da votação, e a fiscalização foi feita por 15 equipes, que conferiram os boletins de urnas coletados e enviados pelos 54 auditores do TCU que estavam nos Estados.

Todo o processo terminou na segunda-feira, 3, e apresentou resultado satisfatório. No relatório da conclusão da auditoria, o ministro do TCU Bruno Dantas parabenizou o trabalho desenvolvido pela equipe e afirmou que a fiscalização foi um sucesso, evidenciando, mais uma vez, a transparência do sistema eleitoral brasileiro. Inicialmente, o tribunal iria checar 540 boletins de urna, mas 20 boletins foram colhidos a mais pelos auditores nos Estados. O TCU ainda vai checar 4.161 boletins de urnas impressos. Esses serão enviados pelos Correios ao tribunal. O objetivo também é atestar a veracidade dos dados divulgados pelo TSE no primeiro turno das eleições. O resultado dessa checagem maior deve ficar pronta em novembro.