Notícias
Eleições 2022

Escutec 3: Simplício Araújo correndo por fora

Pré-candidatura do secretário de Indústria e Comércio, recém-chegado na disputa, ganha força e supera previsões.

Segundo a pesquisa, o secretário de Indústria e Comércio Simplício Araújo alcançou 7% das intenções de voto. No cenário mais provável da disputa, que não conta com a candidatura da ex-governadora Roseana Sarney, Araújo tem a metade das intenções de voto de Carlos Brandão.

Membro do terceiro pelotão ao lado de Roberto Rocha, Lahesio Bonfim e Josimar de Maranhãozinho, Simplício Araújo é o único pré-candidato com sustentação apenas no discurso.

Por ser recém-chegado na disputa, os números demonstram que a pré-candidatura é competitiva. Se manter a curva de crescimento, pode chegar aos dois dígitos ainda este ano.

O candidato do muro

Escutec 2: O fator Holandinha em 2022

Mesmo sem grupo ou anunciar pré-candidatura, Edivaldo Holanda Jr apareceu bem na pesquisa Escutec.

No cenário em que todos os candidatos são colocados na pesquisa Escutec, o ex-prefeito Edivaldo Holanda Jr aparece no segundo lugar tecnicamente empatado com o senador Weverton Rocha. Os números surpreendem porque em absolutamente todos os cenários jovem político aparece no segundo pelotão ao lado de Carlos Brandão e Weverton Rocha.

Após deixar a prefeitura, Edivaldo Holanda Jr não fez questão de buscar guarita em nenhum grupo político. Chegou, inclusive, a flertar com o PTB da deputada Mical Damasceno como candidato bolsonarista. As negociações não fluíram e Edivaldo deve embarcar no partido do deputado federal Edilázio Jr, o PSD. Edilázio faz parte da base do presidente Bolsonaro.

Convidado por Gilberto Kassab, que já manifestou interesse em apoiar Lula, Holandinha pode ser o único representante “em cima do muro” em relação às eleições nacionais no estado.

Detalhe: Edivaldo Holanda Jr nunca perdeu uma eleição e parace estar disposto a ir na contramão da ex-governadora e anunciar muito em breve sua pré-candidatura.

Eleições 2018

Escutec 1: Roseana Sarney vai cometer o mesmo erro?

Nas eleições de 2018 Roseana Sarney só decidiu sair candidata seis meses antes do pleito. O erro ajudou Flávio Dino a eleger-se no 1º turno e a ter liberdade para fazer seus dois senadores.

Os números da Escutec divulgados no último fim de semana por O Estado do Maranhão mostram que a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) seria a pré-candidata mais competitiva no atual momento. Seria caso fosse pré-candidata. Apesar de liderar m todos os cenários, Roseana ainda não tem uma decisão formada sobre 2022. A indecisão é um erro.

Nos meses que antecederam as eleições de 2018, a ex-governadora titubeou em assumir a candidatura. Inacreditavelmente, a maior política da história do Maranhão esperou até maio de 2018 (seis meses antes do pleito) para assumir oficialmente a candidatura.

A ação foi errada e a realidade se encarrega de mostrar. Por meses como “candidato único”, e com a máquina governamental na mão, Flávio Dino venceu as eleições daquele ano no primeiro turno com folga e ainda teve liberdade para colocar Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania) nas duas vagas do senado.

A indecisão de Roseana foi a melhor aliada de Flávio naquele ano.

Aliados da ex-governadora acreditam que ela tende a cometer em 2022 o erro de 2018: manter a candidatura apenas no imaginário da população o máximo possível. Só que dessa vez, sem candidatura.

A intenção seria manter-se em evidência e depois partir para uma eleição fácil para a Câmara Federal. Acontece que o inverso é muito mais eficiente. Roseana não é obrigada a ser candidata em 2022 se sair pré-candidata em 2021. Os holofotes até a eleição serão muito mais luminosos com ela já “decidida”.

Seus adversários serão represados, seus possíveis aliados irão sonhar com uma aliança diplomática e seria uma das generais do processo.

Quer seus adversários concordem, ou não, quer seus aliados discordem, ou não, e querendo Roseana aceitar a realidade, ou não, ela está, ao lado de Flávio Dino, no patamar de figura política mais proeminente no Maranhão. E o comunista não é candidato ao governo. Ela vai estar entre os três melhores colocadas que faça algo, ou não. Se fizer, estará entre os dois.

Manter a pré-candidatura apenas na esfera da possibilidade quando se está na liderança é um péssimo negócio.

Pesquisa Escutec

Escutec mostra novos números para senado, governo e presidência

O instituto Escutec, em parceria com o jornal O Estado, divulga nesta edição a primeira e mais completa pesquisa de intenções de votos sobre as eleições de 2022.

O levantamento – que ouviu 2,4 mil eleitores entre os dias 24 de junho e 1º de julho, em todas as regiões do Maranhão – traz cenários para as disputas pela Presidência da República, pelo Governo do Maranhão e pelo Senado, e confirma que o governador Flávio Dino (PSB) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) seguem como principais lideranças políticas do estado.

Os números mostram, ainda, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) segue rejeitado pelos maranhenses – no Maranhão, ele já foi derrotado em 2018 na disputa presidencial.

Recém-alçada ao posto de presidente estadual do MDB, Roseana lidera todos os cenários para o governo. No primeiro deles, espontâneo – quando não são apresentados os nomes dos possíveis candidatos – , ela parece com 11%, contra 6% de Flávio Dino e 3% tanto do vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), quanto do senador Weverton Rocha (PDT).

Roberto Rocha (sem partido) e Simplício Araújo (Solidariedade), têm 2% cada. Neste cenário, aparecem, ainda, Neto Evangelista (DEM), Lahesio Bonfim (PSL), Josimar de Maranhãozinho (PL), Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (PSB), todos com 1%.

No primeiro cenário estimulado, com uma lista de pré-candidatos, Roseana também aparece na frente, com 25% das intenções de voto. Nesse caso, ela é seguida pelo senador Weverton Rocha, com 14%, e pelo ex-prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (sem partido), com 12%. O vice-governador Carlos Brandão tem 10%. N sequência aparecem Roberto Rocha (8%), Simplício Araújo (5%), Josimar de Maranhãozinho (3%) e Lahesoo Bonfm (3%).

No segundo cenário estimulado, com menos candidatos, Roseana vai 30%, contra 16% de Weverton e 14% de Edivaldo Júnior. Carlos Brandão vem na sequência, com 12% e Simplício com 6%.

O terceiro cenário estimulado, ainda mais restrito, tem Roseana com 31%, seguida por Weverton (18%), Brandão (13%) e Simplício (7%).

Num cenário sem Roseana, Weverton lidera, com 22%, à frente de Edivaldo Júnior (18%), Carlos Brandão (14%) e Simplício (75).

Senado – Para o Senado, foram pesquisados dois cenários: um com a presença da ex-governador Roseana, e sem Dino; outro com o atual governador, mas sem a emedebista.

No primeiro deles, Roseana aparece com 25% das intenções de votos, contra 18% de Roberto Rocha, 12% de Othelino Neto (PCdoB) e 6% de Josimar.

No segundo, Dino é quem está na frente, com 50%, seguido por Roberto Rocha (21%) e Josimar de Maranhãozinho (5%).

O Escutec também consultou as intenções de votos dos maranhenses para presidente: o ex-presidente Lula (PT) ficou na frente de Jair Bolsonaro (sem partido), por 57% a 20%. Aparecem, ainda, Ciro Gomes (6%), Sergio Moro (4%), João Dória (2%), João Amoêdo (1%) e Guilherme Boulos (1%). Os pré-candidatos Eduardo Leite e Henrique Mandetta foram incluídos no levantamento, mas não pontuaram.

Já era esperado

Partido Novo se une a PT e PSOL por impeachment de Bolsonaro

Alinhamento do partido à esquerda já era esperado desde que seu fundador, João Amoêdo, coeçou a fazer oposição ainda no cpomeço do governo de Bolsonaro

O Partido Novo embarcou definitivamente no bloco esquerdista que faz oposição ao presidente Jair Bolsonaro e decidiu apoiar formalmente o impeachment. Como justificativa, o partido afirma que Bolsonaro é culpado pelo avanço da pandemia da Covid-19.

“Na avaliação do Novo, alguns dos crimes cometidos são omissões e péssimas ações na gestão da pandemia, descaso com a aquisição das vacinas e possível prevaricação em denúncia de esquema de corrupção na compra do imunizante Covaxin”, diz nota divulgada pelo partido.

Segundo o presidente do partido, Eduardo Ribeiro, as recentes suspeitas com relação à compra de vacinas pesaram na decisão. “Não bastasse o descaso com a compra das vacinas, surge então a suspeita de um grande esquema de corrupção, o que é completamente inaceitável”, diz Ribeiro.

Cinco anos de espera

Estuprador homicida: Lucas Porto é condenado a 39 anos de prisão

Criminoso foi condenado pelos crimes de estupro e homicídio 5 anos após ter violentado e assassinado a publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto

O assassino da publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, Lucas Leite Ribeiro Porto, foi condenado na madrugada a 39 anos de prisão em regime fechado. A vítima foi encontrada morta em 2016 no apartamento onde morava, no bairro Turu, em São Luís.

As investigações chegaram rapidamente a Lucas Porto, cunhado da vítima, como principal suspeito. O assassino chegou a confessar a autoria e afirmou que teria matado Mariana por causa de uma atração não correspondida que ele sentia por ele.

Lucas Porto está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, desde 2016.

Ao todo, 21 testemunhas foram ouvidas, entre as de defesa e acusação. Entre elas, estavam seis assistentes técnicos contratados pela defesa de Lucas Porto.

A tese defendida pelo promotor de Justiça, Março Aurélio Ramos Fonseca, foi de que Lucas Porto estuprou Mariana Costa e depois a matou. Os jurados acataram as acusações e ele foi condenado dando fim a uma espera de seis anos da vítima por justiça.

Tradição

Reportagem sobre vacinas vencidas da Folha de São Paulo é falsa

Notícia levou Brasil ao pânico foi desmentida por prefeituras, governos e Ministério da Saúde.

Na semana passada a população do Brasil ficou estarrecida com reportagem da Folha de São Paulo sobre a aplicação de 26 mil doses vencidas de vacina do laboratório. A notícia foi desmentida por todos os prefeitos, governadores e, mais recentemente, pelo Governo Federal.

A matéria falsa divulgada pelo jornal afirmava que as vacinas vencidas eram oriundas de lotes importados da Índia pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ou adquiridos por meio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Além do número de doses vencidas, a matéria enganosa da Folha trazia até o número de cidades que haviam recebido os imunizantes. Foram 1.532 municípios brasileiros. Até um ranking foi criado e elevou o pânico em algumas cidades. Maringá (PR), Belém (PA), São Paulo, Nilópolis (RJ) e Salvador (BA) teriam sido as cidades que mais aplicaram vacinas vencidas

No momento, a vacina da AstraZeneca é a mais usada contra Covid no país, respondendo por 46,2% de toda a imunização.

Matéria enganosa

Logo após a matéria da Folha de São Paulo, iniciou-se uma corrida de prefeituras e estados para desmentir os números e as informações do jornal. Por último, o Ministério da Saúde informou que nenhuma dose vencida de vacina contra a covid-19 foi repassada aos estados e ao Distrito Federal. A pasta acrescentou que o prazo de validade dos imunizantes é rigorosamente acompanhado desde o recebimento até a distribuição.

A prefeitura de Maringá (PR), apontada pela reportagem como o município que mais teria aplicado doses vencidas, também afirmou que nenhuma dose fora da validade foi usada. Segundo o secretário de Saúde, Marcelo Puzzi, há divergências no preenchimento de dados no sistema eletrônico do SUS.

A Secretaria de Saúde do governo do Distrito Federal também disse que é improcedente a informação sobre aplicação de vacinas vencidas.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro declarou que recebeu do Ministério da Saúde todos os lotes de vacinas dentro do prazo de validade. Informou, também, que está verificando se houve aplicações de doses vencidas.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que os lotes que estariam com prazo de validade expirado não foram feitos no Brasil. O órgão pertence ao Ministério da Saúde e é responsável pela produção nacional dos imunizantes da AstraZeneca contra a covid-19.

Notas do Linhares

ONU Genocida?

Brasil supera ONU na compra, distribuição e aplicação de vacinas

Números oficiais mostram que enquanto ONU/OMS distribuiu cerca de 90 milhões de doses, governo federal já superou a marca de 135 milhões enviadas aos brasileiros

Enquanto o Brasil atingiu nesta quinta ( 1º) a marca de 135 milhões de doses de vacinas distribuídas, o Consórcio Covax Facility, liderado pela ONU/OMS, no mesmo período enviou 92 milhões de doses. O comparativo dos números mostra que 5568 municípios do Brasil já receberam doses de imunizantes. Já dos 180 membros dos países que aguardam vacinas da ONU/OMS, apenas 134 receberam vacinas.

O COVID-19 Vaccines Global Access (Covax Facility) é uma iniciativa criada ainda no início da nova pandemia para garantir que os países mais pobres também tivessem acesso à vacina. Formada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela Comissão Europeia e pelo governo da França, um ano e meio após a pandemia a Covax tem enfrentado grandes dificuldades no cumprimento de seus propósitos.

BRASIL

Além de comprar mais e distribuir mais, o governo Bolsonaro também já aplicou mais vacinas. Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa e comprovados pelo Ministério da Saúde mostram que 101 milhões de brasileiros já foram vacinados. Sendo que 74,5 milhões tomaram a primeira dose e outros 26,58 milhões tomaram a segunda dose ou dose única.

Os números que comprovam a superioridade do governo brasileiro em relação à Covax Facility podem ser encontrados no site da UNICEF e no site do Ministério da Saúde.

NÚMEROS NO SITE: COVID-19 Vaccine Market Dashboard | UNICEF Supply Division
NÚMEROS NO SITE: Ministério da Saúde – Governo Federal do Brasil — Português (Brasil) (www.gov.br)
Ministério Público? Onde?

Governo do MA volta a usar estrutura para espionar prefeitos

Vídeo mostra secretário de governo sando estrutura e funcionários públicos para fins políticos dois anos após escândalo do ofício que colocava PM para monitorar politicamente adversários.

Em 2019 um ofício vazado da Polícia Militar do Maranhão em que a tropa era instada a espionar adversários políticos do governo causou polêmica. O escândalo não resultou em nenhuma união e caiu no esquecimento. Passados dois anos, membros do governo voltam a protagonizar situação semelhantes às vésperas de uma eleição. O secretário de Estado da Articulação Política do governo estadual, Rubens Júnior, foi gravado em reunião em que solicitou abertamente a funcionários do governo que espionem prefeitos e deputados no interior do Maranhão.

O evento aconteceu ontem (1º) e contou com a presença de superintendentes regionais de articulação política. A ordem foi expressa: “Quem é o prefeito que tá do lado da gente, e quem não tá; quem é o prefeito que fala bem da gente, e quem fala mal. Porque, para mim, todos falam bem? Ele vão falar mal para mim? Mas para vocês eles falam a verdade”, disse.

A tarefa dos agentes pagos com recursos públicos consistiria em produzir relatórios sobre o desempenho político de deputados, do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e até mesmo do governador, que disputará o cargo de senador em 2022.

Sabedor de que o uso da estrutura e de funcionários do governo garante vantagem política aos dispostos a usá-la de forma indevida, Rubens ainda afirmou: “Esse monitoramento político ninguém no Maranhão tem condições de levantar melhor do que vocês”.

Mais um

PSD negocia para ter Edivaldo Júnior como candidato

Edivaldo pode ser mais um nome na já extensa lista de pré-canbdidatos ao governo.

Com chegada prestes a ser anunciada no PSD, o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, negocia candidatura para o governo do Maranhão nas eleições de 2022. Antes das conversas com o partido do deputado federal Edilázio Jr, Edivaldo havia sido cogitado como candidato pelo PTB. O convite para ingressar no PSD foi feito pelo próprio presidente nacional do partido, o ex-ministro Gilberto Kassab.

A filiação de Edivaldo deve acontecer no mesmo dia em que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, irá também se filiar ao partido.

Edivaldo tem dito aos mais próximos que só vai começar a andar pelo Maranhão após o cenário da pandemia ter melhorado, principalmente em respeito as famílias maranhenses que já perderam entes para a Covid-19.

Covid-19

70 mil doses de vacinas já foram aplicadas em Timon

O município de Timon atingiu marca importante quanto ao indicador de vacinômetro contra o novo coronavírus, cuja soma engloba a 1° e 2° dose

Timon aplicou mais de 70.000 doses durante toda a campanha contra a Covid-19.

Nesta segunda e terça-feira (29) já foram aplicadas quase cinco mil doses para a faixa etária de 38 anos ou mais, e pessoas com deficiência permanente, trabalhadores da educação, com comorbidades, gestantes e puérperas com 18 anos ou mais. Na oportunidade, o secretário de Saúde, Marcus Vinícius Cabral destacou.

“Mais de 46% da população com 18 anos ou mais já foi vacinada no município com a 1°dose. A cidade recebeu dois grandes eventos da campanha: o Dia D, onde vacinou mais de 5.000 pessoas e o Arraial da Vacinação onde mais de 6.000 pessoas receberam a vacina. O mês de junho ultrapassou a marca de mais de 32.000 doses aplicadas”.

A campanha segue todas as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e as notas técnicas definidas pela Secretaria de Saúde do Estado, com 40 grupos prioritários inclusos na imunização.

Eleições 2022

Fux enxerga caminhos e pode impedir a candidatura de Lula

Ministro teria declarado a interlocutores a possibilidade de barrar o petista, mencionando o uso do princípio da moralidade, dentro da Lei da Ficha Limpa

O ministro e atual presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, ainda observa meios de reverter a decisão do ministro Edson Fachin e impedir a candidatura de Lula em 2022.

A informação foi divulgada nessa terça-feira (29) pelo Canal MyNews. De acordo com informações da matéria divulgada, Fux teme a possibilidade do ex-presidente ser eleito e acirrar os ânimos com as Forças Armadas, cuja opinião do ministro não é compartilhada pelos demais magistrados da Corte.

“[…] ao contrário do publicado, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, jamais se manifestou sobre as condições de elegibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com as legislação, cabe à Justiça Eleitoral com base nas regras vigentes avaliar se um candidato preenche ou não os requisitos para ser eleito”, respondeu a assessoria de Luiz Fux.

Para os outros ministros, seria difícil justificar juridicamente, tendo em vista a revogação das condenações contra Lula.

ALEMA

Empresário Pacovan será convocado em CPI dos Combustíveis

Josival Cavalcante da Silva, conhecido como Pacovan, foi convocado na sessão da quarta-feira (30) em pedido feito pelo deputado estadual Duarte Júnior

A CPI dos Combustíveis da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão autorizou a convocação do empresário Pacovan na sessão de quarta-feira (30).

A justificativa para a convocação deve-se pelo fato de Rafaely de Jesus Souza Carvalho, depoente da última sessão da Comissão e representante da Rede de Postos Joyce, ter afirmado que não seria dona das empresas, e sim Pacovan. Depois dos anos que trabalhou no escritório que administrava os três postos de combusíveis da rede, entre o período de 2016 a 2019, ela não teria mantido vínculo com as empresas e que a propriedade dos postos sempre foi de Pacovan, a quem emprestou o seu nome por agradecimento.

“Agora, durante oitiva na CPI dos Combustíveis, a Sra Rafaelly Carvalho confessou atuar como laranja na rede de postos Joyce e que as empresas são totalmente controladas pelo Sr Pacovan, que já foi condenado por crimes contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro”, disse o parlamentar Duarte Júnior, assegurando que as investigações constataram uma série de movimentações suspeitas na rede de Postos Joyce, entre elas, a venda de combusíveis sem comprovação da compra através de notas fiscais.

Na próxima terça-feira (6), às 14h30, no Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão, o empresário Pacovan deve ser ouvido.

Pulou do barco

Lahesio Bonfim nega ser “bolsonarista” em entrevista

Após crescer politicamente ligando sua imagem a Bolsonaro, prefeito de São Pedro dos Crentes renuncia aliado e se apresenta como isento nas eleições maranhense em 2022

Pré-candidato ao governo do Maranhão, o prefeito Lahesio Bonfim negou ser “bolsonarista” em entrevista no Bom Dia Mirante. “Eu não quero ser rotulado como bolsonarista”, disse o mandatário de São Pedro dos Crentes.

A declaração de Lahesio pegou de surpresa os apoiadores do presidente que viam nele uma representação do presidente nas eleições maranhenses de 2022 no estado.

A pergunta do jornalista Clóvis Cabalau foi direta. “Como o senhor vê essa comparação de político alinhado a forma de fazer política do presidente?”.

Por cerca de 5 minutos da resposta, Lahesio iniciou sua resposta afirmando que seu jeito de fazer político é parecido, mas não é o mesmo do presidente Jair Bolsonaro. “É o jeitão, não é nem mesmo parecido com o jeito do presidente”, disse o prefeito.

Lahesio Bonfim, que ficou conhecido principalmente pela votação de Jair Bolsonaro em sai cidade em 2018, afirmou colocou-se em uma posição superior ao próprio presidente na entrevista. “O prefeito de São Pedro dos Crentes já virou uma esperança em todo o Maranhão”.

Além da própria resposta e do enaltecimento pessoal, em nenhum momento Lahesio fez questão de defender ou levantar algum tipo de bandeira do presidente Jair Bolsonaro. Ele chegou, inclusive, a afirmar que faz parte de grupos de whatsapp de apoio formado por eleitores do PT, Lula e Ciro Gomes.

A entrevista em que Lahesio nega ser bolsonarista pode ser assistida AQUI