Linhares Jr.

Notícias
Livramento

Augusto Aras pede arquivamento de inquérito contra Rodrigo Maia

Atuação do procurador, indicado por Jair Bolsonaro, pode livrar o maior sabotador do governo federal de inquérito

O procuradoria-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal que arquive inquérito contra o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Há quase 20 anos como deputado federal, Maia é alvo de três inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre recebimento de propinas das empreiteiras OAS e Odebrecht. Os casos foram abertos com base em depoimentos na Lava Jato. Augusto Aras que o arquivamento de um dos inquéritos referente a propinas da Odebretch.

FICHA CORRIDA

Os inquéritos contra Maia investigam corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por supostos recebimentos de propinas pagas pela Odebrecht e OAS em troca de benefícios. Maia teria utilizado seu mandato para incentivar a aprovação de Medidas Provisórias (MPs) que favorecem as empresas.

Segundo a Polícia Federal, com base em mensagens obtidas no celular de Léo Pinheiro, dono da empreiteira, Rodrigo Maia defendeu interesses da OAS no Parlamento em 2013 e em 2014 em troca de propinas. Em um dos exemplos dado pela PF, a ajuda consistia em propor emenda para a MP 652 que fixava regras para a aviação regional, dispositivo de texto elaborado por encomenda para beneficiar a construtora.

Maia teria recebido R$ 1 milhão em doações eleitorais, em 2014, dinheiro repassado oficialmente à campanha de César Maia ao senado – ex-prefeito do Rio de Janeiro e pai de Rodrigo Maia. O repasse foi uma tentativa de camuflar a origem da propina. Portanto, há “fortes indícios” de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, conclui o inquérito. Como Maia tem foro privilegiado, caberá ao Ministério Público Federal decidir sobre abertura de denúncia contra o parlamentar do DEM. O filho, Presidente da Câmara, nega tudo.

Outras duas investigações são frutos de delações na Lava jato que indicam pagamentos a Maia em 2008 e 2010 como doações eleitorais. Em 2008, Rodrigo e Cesar Maia pediram a Odebrecht R$ 350 mil ilicitamente, porque eles não eram candidatos naquele ano. Segundo o ex-comandante do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht (o chamado “departamento da propina”), Benedicto Junior, o dinheiro foi usado para ajudar aliados.

Em 2010 um novo pedido, desta vez foram repassados R$ 600 mil para a campanha de seu pai, Cesar Maia, ao senado. A investigação encontrou registros de R$ 400 mil no sistema do “departamento de propinas” da Odebrecht. Nestas mesmas planilhas, Maia é apontado como “Botafogo”, talvez por referência ao time que torce ou pela sala que alugava no bairro de Botafogo a empreiteira.

Existe ainda outra delação de Claúdio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, de que Rodrigo Maia recebeu R$ 100 mil, em 2013, para incentivar a MP 613. E assim desonerar a compra de matérias primas por indústrias químicas, o que beneficiou a Braskem MP 613, petroquímica da Odebrecht. Esta ainda não foi enviada ao STF.

Após fechamento de hospitais de campanha, STF manda Bolsonaro pagar mais leitos de UTI

Rosa Weber atendeu a pedidos de Flávio Dino (PCdoB) e de João Dória (PSDB) que obrigam Governo Federal a mandar mais dinheiro para estados

A ministra Rosa Weber determinou que o Ministério da Saúde financie leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com Covid-19 no Maranhão e São Paulo. A decisão acontece meses após os dois estados desativarem os chamados “hospitais de campanha” que foram custeados com recursos federais.

O Maranhão foi o primeiro estado a entrar a justiça requisitando o pagamento dos leitos de UTI. A ação do governo Flávio Dino foi seguida por João Dória dois dias depois, o que levanta a suposição de que as ações tenham sido combinadas.

Em São Paulo o governo local divulgou que a decisão irá custar aos cofres da União 3.258 leitos de UTI. Com a decisão de Rosa Weber, é esperado que o número de pedidos de outros estados e prefeituras se acumulem no STF.

Ontem (27) o governador da Bahia, Rui Costa, desdenhou da abertura de novos leitos de UTI após ser questionado sobre o destino dos recursos enviados ao estado. Disse Costa:

“Não podemos ficar remediando. Não adianta ficar abrindo mais leitos porque a população entender de forma equivocada e continuar aglomerando, achando que nós vamos continuar abrindo leitos eternamente, sempre esticando a corda. Vai dar a falsa sensação que o problema não existe e não é isso que nós queremos”

Roberto Rocha detalha os recursos federais enviados ao MA na pandemia

Senador põe fim ao debate sobre recursos federais enviados ao estado expondo minunciosamente os valores.

Senador Roberto Rocha (PSDB) fez questão de detalhar, de maneira minuciosa, a quantidade de verbas federais que o Maranhão recebeu em 2020, para o enfrentamento da pandemia. De acordo com um estudo recente feito pelo Instituto Nacional de Orçamento Público (INOP), o estado do Maranhão recebeu R$ 17.860.236.568,06 somente para o enfrentamento da pandemia em 2020.

O estudo revela com detalhes, inclusive, valores relacionados ao auxílio emergencial para cada município, suspensão da dívida com a União, repasses para compensar perdas do Fundo de Participação Estadual (FPE) e Municipal (FPM), além transferências de recursos para equipar hospitais, santas casas e hospitais filantrópicos.

Auxílio – De acordo com o INOP, pelo menos 2,7 milhões de pessoas receberam o auxílio emergencial no Maranhão. Ou seja, quase um terço da população do estado foi contemplada com recursos do Governo Federal diretamente na conta bancária. Logo, o repasse total do auxílio emergencial no Maranhão foi de R$ 8.249.893.200,00.

É importante lembrar que outros benefícios do Governo Federal, como Bolsa Família, BPC, Garantia-Safra e Seguro Defeso foram também pagos, no valor de R$ 5.617.269.000,84. Portanto, o repasse final de benefícios da União em programas federais, em 2020, foi no total de R$ 13.687.162.200,84.

Suspensão – Em 2020, o Governo Federal decidiu suspender a dívida do Governo do Maranhão e municípios do estado com a União durante o período da pandemia. Isto é, o Governo Federal deixou de receber no total de R$ 318.000.000,00 do Governo do Maranhão e dos municípios. Por consequência, com a isenção do pagamento da dívida, as prefeituras e o tesouro do Estado tiveram esse mais esse alívio no caixa para investir no combate a Covid-19.

Auxílio financeiro – Para garantir que estados e municípios brasileiros não tivessem uma perda histórica na arrecadação dos Fundos de Participação Estadual e Municipal, o Governo Federal decidiu compensar essas perdas e criou o Auxílio Financeiro Estadual (AFE) e o Auxílio Financeiro Municipal (AFM). O repasse para o Governo do Maranhão: R$ 507.876.840,52. O repasse para os municípios maranhenses: R$ 323.276.898,19. Sendo assim, o repasse total para o Maranhão foi de R$ 831.153.738,71.

Lei Complementar – Sancionada em 27 de maio de 2020, pelo presidente da República Jair Bolsonaro, a Lei Complementar 173/2020 cria oPrograma Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus. Transferência de recursos para os municípios, conforme a LC 173/20: R$ 983.899.555,29. Transferência de recursos para o Governo do Maranhão, conforme a LC 173/20: R$ 598.113.340,98. TOTAL EM REPASSES para o Maranhão: R$ 1.582.012.896,27.

FNS – De acordo com o Instituto Nacional de Orçamento Público (INOP), o Fundo Nacional da Saúde repassou ao Maranhão R$ 1.326.475.869,30 diretamente para o enfrentamento da pandemia. Nota informativa, de 3 de novembro de 2020, do Ministério da Saúde, informa que o Governo do Maranhão recebeu mais R$ 189.614.156,81 para custear exclusivamente leitos de UTI.

Aldir Blanc – O Auxílio Emergencial Cultural é um benefício financeiro destinado aos artistas e agentes da cultura, pontos e pontões culturais, e tem por objetivo fornecer proteção no período de enfrentamento da Covid-19. Ao Maranhão foram repassados do Governo Federal para os municípios oVALOR TOTAL DE  R$ 53,189.101,60.

No final das contas, o repasse de valores do Governo Federal para o Maranhão foi no total de: R$ 17.860.236.568,06.

Diante dos números vultuosos, quase 18 bilhões de Reais, o senador maranhense voltou a afirmar que não faltaram recursos federais para o Maranhão enfrentar a pandemia e que um agravamento da situação não pode jamais ser por falta de verbas federais.

“Contra fatos não há argumentos. Em 2020 não faltaram recursos federais para o Maranhão. Portanto, se o sistema de saúde do Maranhão está prestes a colapsar, a responsabilidade não é do Governo Federal.”, finalizou Roberto Rocha.

Clodoaldo Corrêa assume a coordenação de comunicação da Famem

O jornalista Clodoaldo Correa é o novo responsável pela comunicação da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) no Maranhão.

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Erlanio Xavier, nomeou o jornalista Clodoaldo Corrêa como novo coordenador de comunicação da entidade.

O novo chefe da comunicação da Famem agradeceu a confiança e disse que manterá o trabalho que estava sendo feito pelo antecessor. “Eu estou confiante que vamos manter a boa gestão de comunicação que vinha sendo feita na Famem desde que o presidente Erlanio assumiu. O trabalho do Leandro Miranda deu uma grande notoriedade ao trabalho das prtefeituras e iremos dar continuidade a este trabalho”.

O ex-coordenador de comunicação, Leandro Miranda, está de partida para Brasília-DF, onde desempenhará novas funções como correspondente do programa Ponto e Vírgula, da rádio Difusora FM.

Clodoaldo Corrêa é formado em Comunicação Social pela Universidade Federação do Maranhão e trabalhou como repórter e editor do jornal O Imparcial, correspondente no Maranhão dos jornais O Estadão, assessor parlamentar na Assembleia Legislativa do Maranhão e atualmente comanda o programa Ponto Continuando na rádio Mais FM ao lado do radialista Rogério Silva.

Após quatro anos de paz com Trump, EUA entram em guerra com Biden

“Pacifismo fake” da esquerda norte-americana não durou mais do que algumas semanas. Presidente Biden ordenou ataque que deve reinaugurar beligerância no planeta após Trump trabalhar arduamente pela paz

Após quatro anos de busca pela país na política externa norte-americana, o país voltou a ser protagonista da guerra. Na última quinta (26) o presidente esquerdista dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou um ataque na Síria.

Mentiroso, como todo esquerdista costuma ser, Joe Biden acusou o ex-presidente Donald Trump de ser belicista durante toda a campanha. Aliás, assim que foi eleito Trump foi constantemente colocado como responsável por uma possível 3ª Guerra Mundial. Passados quatro anos, Trump entrou para a história como o único presidente que não colocou os EUA em guerras nos últimos séculos.

“Esses ataques foram autorizados em resposta aos recentes ataques contra americanos e funcionários da coalizão no Iraque, e às ameaças contínuas a esses funcionários”, disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, em um comunicado.

O ataque promovido por Biden deixou ao menos 17 mortos. Já Observatório Nacional pelos Direitos Humanos na Síria informou que, até o momento, são 22 o número de vítimas. O presidente Democrata foi duramente criticado na internet por sua postura incoerente. O nome de Biden chegou a entrar na lista de assuntos mais comentados no Twitter em todo o mundo.

Bolsonaro libera R$ 2,8 bilhões para a Saúde

Recursos anunciados pelo governo federal devem ser aplicados no enfrentamento à covid-19

O presidente Jair Bolsonaro liberou um crédito extraordinário de R$ 2,861 bilhões em favor do Ministério da Saúde. A medida provisória que estipula o valor foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira, 25. A quantia deve ser aplicada no enfrentamento à covid-19.

Parte do dinheiro está reservado para ser utilizado pela Fundação Oswaldo Cruz para financiar pesquisas, treinar profissionais que atuam na rede de vigilância em saúde, comprar testes e manter o funcionamento de 173 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um centro hospitalar.

Outro montante é destinado ao Fundo Nacional de Saúde para o custeio de outras UTIs, o transporte de oxigênio, a aquisição de testes e no pagamento de bonificação para 55 mil funcionários da área da saúde que estão atuando no atendimento à população.

Existe ainda uma parcela dos recursos destinada ao Grupo Hospitalar Conceição, rede de hospitais públicos em Porto Alegre (RS) — valores que servirão para cobrir despesas com compra de medicamentos, equipamentos de proteção individual e exames para diagnósticos.

Pelo Twitter

Prioridades

Roberto Jefferson entrega PTB no Maranhão a comunistas

Deputada Mical Damasceno, nomeada por Jefferson para presidir PTB no estado, é braço da esquerda no movimento evangélico

Após a expulsão do deputado Pedro Lucas Fernandes da presidência do PTB, o presidente nacional da legenda decidiu entregar a liderança do partido no estado deputada Mical Damasceno. A parlamentar é filha do pastor e líder da Assembleia de Deus, Pedro Aldi Damasceno. Aldi já foi acusado diversas vezes, por membros da própria Assembleia de Deus, de alugar sua fé politicamente em troca de vantagens financeiras. A decisão de Roberto Jefferson de tirar Pedro Lucas da presidência da legenda para quebrar a submissão do partido à esquerda não adiantou em absolutamente nada.

MERCADORES DA FÉ

Apesar do silêncio da mídia e da classe política, Mical Damasceno é fruto das união perigosa entre religião e política que despreza completamente qualquer tipo de fé em Deus. Entre as poucas manifestações que denunciam esta espécie de depravação, há uma Carta de Repúdio divulgada antes das eleições de 2018, de autoria do então presidente Assembleia de Deus em Buriticupu, Anselmo Cardoso de Carvalho. Disse Anselmo na ocasião:

“Está mesmo apoiando politicamente um governador comunista, membro do Partido Comunista do Brasil – PCdoB? Sim, é verdade! Já pensávamos nisto. Só é mais um fracasso na vida espiritual dele (Pedro Aldi)”

“É difícil para ele (Pedro Aldi) rejeitar uma vantagem financeira”.

Ao longo dos seus anos como parlamentar, Mical Damasceno quase nunca usou a tribuna para defender os valores que deveriam, pelo menos teoricamente, nortear a atuação de um político evangélico. A deputada se omite em todas as ocasiões em que a esquerda de sabotar a família e de vilipendiar a fé cristã. Uma vez ou outra faz acenos para a ministra Damares Alves, constantemente atacada pelo governo Flávio Dino (verdadeiro líder espiritual dos Damasceno), para manter as aparências.

O fato é que com Mical Damasceno no comando do PTB o aparelhamento do partido por comunistas (mais uma vez) é inevitável.

A existência desse tipo de político enquanto representante eleita de valores evangélicos é uma espécie de depravação moral da igreja. São eleitos com um discurso que fica muito longe de seus mandatos.

E sua ascensão ao comando do PTB no Maranhão (partido de oposição ao comunismo no Brasil), é coisa completamente inexplicável.

Se realmente está alinhado ao próprio discurso, Roberto Jefferson precisa rever essa situação.   

Relembre a carta que comprova tudo o que aqui foi escrito.

CARTA DE REPÚDIO

AO MANIFESTO DE APOIO DO PR. PEDRO ALDI AO GOVERNADOR COMUNISTA DO MARANHÃO, FLÁVIO DINO.

Quero falar para os que são puramente evangélicos. De vez em quando acontece uma inovação na CEADEMA. Parecem ser coisas carnais e diabólicas.

Não faz muito tempo, um pastor, membro da CEADEMA, casou-se com uma mulher repudiada.

A Bíblia é contra este procedimento, conforme Mateus 19.9. Dos pastores que estavam reunidos, mais da metade concordaram com o casamento anti-bíblico. Só um grupo remanescente não concordou, cerca de 69 pastores. Votar em casamento com repudiado ou repudiada é anti-bíblico. Muitos pastores estavam desviados de Deus nesse dia, preferindo ficar do lado do desobediente e ficar contra a verdade.

Ei povo de Deus! Acorde, antes que seja tarde.

Não faz muito tempo, vários pastores resolveram ficar com suas esposas infiéis a eles e a Deus, e estão no ministério, na CEADEMA, porque a maioria dos pastores presente na reunião, concordaram com os infiéis. Caso se repita a infidelidades delas, não sei como ficam. Talvez eles perdoem novamente.

Os homens parecem serem bons de coração ou tem um coração sujo e não discordam do pecado de suas esposas. Eles acham que tem o remédio, que é o perdão, para não perder a esposa infiel a ele e a Deus.

E o presidente da CEADEMA? Está mesmo apoiando politicamente um governador comunista, membro do Partido Comunista do Brasil – PCdoB? Sim, é verdade! Já pensávamos nisto. Só é mais um fracasso na vida espiritual dele. Ele quis se justificar, dizendo que o Pr. Estevam apoiava politicamente o José Sarney. Porém, quem conhece o José Sarney sabe que ele não era comunista, e na verdade, ele apoiava, mas o José Sarney não era comunista, é diferente daquele que apoia um candidato que é comunista.

Pr. Pedro Aldi tinha vontade de concorrer a um cargo na CGADB. Como o Pr. José Wellington não lhe ofereceu uma vaga de candidatura, então, o Pr. Pedro Aldi se revoltou e se rebelou contra o Pr. José Wellington, apoiando um dos mais rebeldes do Brasil, a saber Samuel Câmara (nisto, ele também não teve o apoio da maioria dos convencionais). O Pr. Samuel terminou perdendo a eleição e saiu da CGADB, levando consigo cerca de 7 mil pastores.

O Pr. Pedro não saiu também porque já tem um cargo na CGADB. Portanto, supõe-se, que já não merece tanta confiança.

Mas foi o Samuel Câmara que facilitou o cargo na CGADB para o Pr. Pedro.

ATENÇÃO! Se o Pr. Pedro perder a presidência da CEADEMA aqui no Maranhão, ele pode receber qualquer convite para ganhar um cargo em outra convenção – provavelmente ele aceite, pois ele tem mania de grandeza – ele é tendente a isto. Ele, Pr. Pedro, já disse que não é político, mas em Viana, tem um político que não tem amizade com ele.

Eu, particularmente, acho que o que falta é ajuda financeira para a família dele. Veja bem! Uma promessa de candidatura, levou ele a apoiar o Samuel Câmara.

É difícil para ele rejeitar uma vantagem financeira. Ele me disse que no tempo em que o Pr. Joacy falou em si candidatar à presidência da CEADEMA, que se o Joacy ganhasse a eleição, ele poderia não ficar na CEADEMA. Hoje, ele se declara apoiar, politicamente, o governador do Maranhão, que é membro do PC do B (Partido Comunista do Brasil). Ele, hoje, está do lado dos comunistas e pode ser também um deles.

Em um país comunista, quem não apoia o governo, é preso, torturado e morto. Mao Tsé-Tung quando foi ditador na China, até o fim da sua vida, matou 77 milhões de compatriotas. E assim também foram os outros países comunistas.

Fidel Castro matou incontáveis milhares para poder se manter no governo; a antiga União Soviética, cerca de 34,5 milhões de pessoas morreram, fora os milhares que foram deportados. No nazismo de Adolf Hitler, pelo menos 6 milhões de judeus e milhões de outras pessoas. Tudo isso para manter o governo assassino no poder.

E entre os elementos que destruíram vidas, está a “santa inquisição” que matou cerca de 2 milhões de pessoas em um período que foi de Leão X a Clemente IX (papas), alguns sanguinários assassinos do catolicismo.

Tudo isso, são coisas que, nós, os verdadeiros evangélicos, repudiamos.

Essa posição do Pr. Pedro Aldi Damasceno, traz indignação à maioria dos membros da CEADEMA.

E, eu, particularmente, demonstro o meu REPÚDIO e INDIGNAÇÃO contra essa posição desagradável.

Pr. Anselmo Cardoso de Carvalho
Pastor Presidente – IEADEB

Ação

André Fufuca pede atenção de Bolsonaro para BR-222

Deputado federal André Fufuca (PP-MA)

O deputado federal André Fufuca (PP-MA) solicitou, ao presidente da República, Jair Bolsonaro, a recuperação da BR-222, no trecho entre Vitória do Mearim e Santa Inês que está intrafegável. Veja o vídeo.

Segundo Futuca, Bolsonaro garantiu a realização de reparos emergenciais por conta da chuva e em seguida a realização do serviço definitivo na região beneficiando cerca de 400 mil pessoas.

“Hoje, em café da manhã, no Palácio da Alvorada com o Presidente Bolsonaro, aproveitei a oportunidade e externei ao presidente, a difícil situação enfrentada por milhares de pessoas que precisam da BR-222, em especial, ao trecho que vai de Vitória do Mearim até Santa Inês. O mesmo garantiu que até a próxima semana, será começado os serviços para garantir trafegabilidade e com a diminuição das chuvas, o serviço definitivo. Lembrando que há um projeto de reconstrução da BR-222, entre Miranda e Santa Luzia, sendo elaborado”, destacou.

Em um vídeo postado por André Fufuca, nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse reconhecer o trabalho dos parlamentares por seus estados.

“Nós procuramos atender a todos aqueles que se dedicam pelos seus estados.Pode ter certeza que o seu pleito vai ser levado em consideração e se Deus quiser atendido o mais rápido possível”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro.

Imbróglio

Tarifa defasada do transporte público é “presente de grego” herdado por Braide da gestão passada

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), tem diante de si um verdadeiro “presente de grego”, deixado pelo antecessor, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Trata-se do inevitável realinhamento da tarifa do transporte coletivo, que deveria ter sido aplicado em setembro de 2020, conforme prevê o contrato da licitação do serviço, em vigor desde 2017, mas não foi tratado como prioridade, tantas eram as questões a resolver pelo antigo gestor no final do mandato.

Na época, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) chegou a oficializar um pedido de reposição de R$ 0,30 (trinta centavos) do preço da passagem de ônibus, o que resultaria na elevação para R$ 4,00 (quatro reais) da tarifa mais alta – a mais baixa custa R$ 3,20 (três reais e vinte centavos).

Acontece que passados quase cinco meses desde a solicitação do SET e pouco menos de dois meses da posse de Braide como prefeito de São Luís, alguns fatos novos tornam não só inevitável e urgente o realinhamento tarifário, como impõem a necessidade de recálculo do percentual de reajuste da passagem inicialmente apresentado.

Diesel disparou

Um deles é a alta do preço do óleo diesel, combustível que abastece a frota de coletivos da capital e de toda a região metropolitana. Como o valor do insumo disparou nas bombas, após sucessivos aumentos implementados pela Petrobras nas refinarias, as empresas e consórcios que detêm as concessões das linhas de transporte público da Ilha de São Luís viram seus ganhos ficarem ainda mais defasados, com risco iminente de queda brusca da qualidade dos serviços.

Outro fator que torna inevitável a readequação da tarifa é a ampliação de uma para duas horas do Bilhete Único, benefício instituído pela gestão passada que permite aos usuários de ônibus se locomoverem para diferentes destinos por determinado período pagando uma só passagem. A duplicação do tempo para uso do Bilhete Único, concedida no apagar das luzes da administração de Edivaldo, também impactou o sistema.

Para completar, está se aproximando a data-base dos rodoviários, o que obriga as empresas a repor, pelo menos, as perdas inflacionárias sofridas pela categoria em seus salários no último ano. Este, certamente, é mais um fator a pressionar o preço da tarifa de ônibus de São Luís, que, por sinal, é a mais baixa dentre todas as capitais brasileiras.

Caso semelhante

Em meio ao impasse, vale citar que várias cidades já paralisaram o serviço de transporte público, como a vizinha Teresina. Para piorar, há capital piauiense não há, até agora, perspectiva de retorno da circulação dos ônibus, já que a prefeitura local deve mais de R$ 10 milhões em subsídios às empresas do setor.

Ao prefeito Eduardo Braide, cabe buscar o melhor para a população, o que inclui, além de uma.passagem de ônibus justa e acessível, atuar para garantir o direito pleno e legítimo à mobilidade, proporcionando ao serviço meios para subsistir e livrando-o da ameaça de um colapso.

Educação

Edilázio viabiliza criação de dois cursos de ensino superior em Timon

Edilázio Jr (PSD)

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) assegurou a destinação de emenda parlamentar para o Instituto Federal do Maranhão (IFMA), campus da cidade de Timon, e viabilizou com isso a criação de dois cursos de ensino superior na instituição.

O anúncio ocorreu durante reunião com o diretor-geral do IFMA-Timon, Rommel de Sousa Neves e Thiago, diretor administrativo daquela unidade, que solicitaram a destinação de recursos.

Continuar lendo
Prioridades

Bruno Covas torra R$ 33 milhões com escola de samba com Carnaval cancelado

Mesmo após cancelamento, prefeitura de Bruno Covas continua pagando parcelas de contrato que prevê repasse de dinheiro para escolas de samba

Cancelado pelo prefeito Bruno Covas, o carnaval 2021 custou para os cofres da prefeitura – ou seja, para o contribuinte paulistano – R$ 33 milhões. Este é o valor do contrato firmado com a empresa estatal responsável pelo evento, SPTuris, e que será repassado a entidades carnavalescas da capital paulista.

Em nota, a prefeitura justificou que o contrato foi firmado em 11 novembro de 2020 – quatro dias antes do primeiro turno das eleições 2020. A prefeitura também disse que está estudando “alternativas para aplicação [das verbas] nos desfiles de 2022.

Segundo o portal G1 (grifos nossos),

“Os valores para viabilização dos desfiles de 2021 seriam repassados em sete parcelas de vencimento mensal, que seriam pagas até o mês de abril. Na ocasião da assinatura do acordo, a cidade ainda tinha a perspectiva de realizar o carnaval neste ano, com desfiles previstos entre maio e julho. Porém, na sexta-feira, 12, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou o cancelamento definitivo das festividades na cidade, em virtude do agravamento da pandemia do coronavírus.

Apesar disso, a Secretaria de Turismo reservou um dia depois do cancelamento do carnaval cerca de R$ 20,4 milhões para manter os pagamentos restantes das parcelas 3, 4, 5, 6 e 7 do acordo com a SPTuris e as entidades carnavalescas, conforme publicação no Diário Oficial do último sábado (13).”