Linhares Jr.

Notícias
E a sabotagem?

Anvisa aprova uso de vacinas e desmonta mentiras contra o Governo Federal

Liberação da CoronaVac e AstraZeneca aconteceu 9 dias após entrada nos pedidos de liberação. Situação desmonta fake news que acusavam Jair Bolsonaro de tentar intervir na Anvisa para impedir aprovação do uso dos medicamentos

Pouco mais de uma semana após os pedidos de aprovação para uso emergencial, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou os pedidos de uso emergencial no Brasil das vacinas CoronaVac, do Instituto Butantan/ Sinovac, e AstraZeneca, da Universidade de Oxford/ Fiocruz.

A atuação da Anvisa desmonta as notícias falsas e a campanha de desinformação contra o Governo Federal nas últimas semanas. Setores da mídia e da política afirmavam que Jair Bolsonaro estava intervindo na Anvisa para impedir que uso das vacinas fossem aprovados.

A apresentação do corpo técnico da Anvisa foi transparenete ao ponto de ser transmitida ao vivo pela internet. Atuação evidenciou que a entidade usou critérios técnicos e nunca foi alvo de interferência política.

Com a aprovação do uso emergencial, é esperada que a campanha de vacinação aconteça ainda nesta semana. Pessoas de grupos de risco como idosos e profissionais de saúde devem ter prioridade.

A decisão deve ser formalizada no Diário Oficial da União ainda neste domingo. O Instituto Butantan já tem 10,8 milhões de doses disponíveis para aplicação. A Fiocruz aguarda a chegada de 2 milhões de doses de vacina AstraZeneca/Oxford importadas da Índia.

O governo federal se comprometeu a distribuir de maneira exclusiva e simultânea as vacinas para todos estados e municípios, que, por sua vez, ficarão responsáveis pela logística de distribuição e aplicação dos imunizantes.

E a ciência?

29 idosos morreram na Noruega após tomarem vacina da Pfizer

Mortes no país, unidas a poutros eventos similares pelo mundo, confirmam que dúvidas sobre eficácia da vacinação relâmpago não são “negacionismo”

A Agência Norueguesa de Medicamentos está investigando a morte de 29 que receberam a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNTech. Relatórios iniciais indicam que que reações adversas comuns às vacinas de mRNA, como febre e náusea, podem ter contribuído para um desfecho fatal em alguns pacientes frágeis.

A vacinação na Noruega começou em 27 de dezembro e cerca de 42.000 pessoas receberam pelo menos uma dose do imunizante até agora.

Os testes da vacina foram considerados falhos em pacientes com doença instável ou aguda e tiveram poucos participantes com mais de 85 anos de idade.

Merecidas?

“Férias da pandemia” acabam e Flávio Dino volta ao governo nesta segunda (18)

Enquanto pandemia piorava, governador maranhense tirou férias do governo. Ativismo nas redes sociais contra o presidente, no entanto, continuou.

Após passar quase duas semanas de “férias” em um dos piores momentos da pandemia, o governador Flávio Dino (PCdoB) deve voltar ao “trabalho” na próxima segunda (18). Mesmo afastado do governo em local desconhecido, Flávio Dino foi ativo nas redes sociais em relação às suas críticas ao presidente Jair Bolsonaro. O governador maranhense é um dos que culpam Bolsonaro pela crise em Manaus e clamam por seu impeachment.

Em sua volta é esperado que Flávio Dino promova uma reforma administrativa em seu governo para preparar a gestão para as eleições de 2022. O governador deixou claro em várias ocasiões que sua principal meta neste ano será reorganizar a base governista para o próximo ano.

No curto período em que assumiu o governo, o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) direcionou todas as suas forças para ser derrotado na eleição da Federação Maranhense dos Municípios (FAMEM).

Só pode ser ironia

Prioridades

Amazonas gastou R$ 1,5 mi em decoração natalina sem licitação

Mesmo em meio à pandemia do vírus chinês, o governo do Amazonas gastou 1,5 milhão de reais com decoração natalina no ano passado. E sem licitação.

O valor, no entanto, era maior incialmente, chegando a R$ 2 milhões. Mas o governo voltou atrás e na época a Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), vinculada ao Governo do Amazonas, reviu os valores e informou que os gastos sem licitação seriam de pouco mais de R$ 1,5 milhão.

A Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural informou ter dispensado a licitação para a compra da decoração com a justificativa de se “enquadrar em uma lei que não exige o processo em casos de emergência e calamidade pública”. As informações são do G1.

Hoje, o sistema de saúde de Manaus enfrenta um verdadeiro caos. Pessoas que contraíram a Covid-19 não têm oxigênio e dependem de ventilação manual para sobreviver.

O governo federal já enviou ao Estado e municípios do Amazonas o montante de R$ 8,91 bilhões, sendo R$ 2,36 bilhões apenas para Manaus. Aonde foi parar o dinheiro?

Vale lembrar que o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), foi alvo de uma operação do Ministério Público Federal (MPF) que investiga fraudes e desvios na compra de respiradores no Amazonas.

De acordo com o MPF, com a participação direta do governador, foram identificadas compras superfaturadas de respiradores, direcionamento na contratação de empresa, lavagem de dinheiro e montagem de processos para encobrir os crimes praticados.

No esquema identificado pelo MPF e pela Polícia Federal, o governo do estado comprou, com dispensa de licitação, 28 respiradores de uma importadora de vinhos. Em uma manobra conhecida como triangulação, uma empresa fornecedora de equipamentos de saúde, que já havia firmado contratos com o governo, vendeu respiradores à adega por R$ 2,480 milhões.

No mesmo dia, a importadora de vinhos revendeu os equipamentos para o estado por R$ 2,976 milhões. Após receber valores milionários em sua conta, a adega os repassou integralmente à organização de saúde. Registros encontrados pelos investigadores comprovam a ligação entre agentes públicos e empresários envolvidos na fraude.

Hoje, quem paga a conta (e com a própria vida) pela irresponsabilidade é a população.

Insensatez

Fábio Porchat usa cadáveres do Amazonas para pedir impeachment de Bolsonaro

Humorista sugeriu a Rodrigo Maia impeachment do presidente por conta das mortes da pandemia. Porchat não fez quaçlquer menção aos escândalos de corrupção e má-gestão na saúde pública do estado.

Apesar de todas as notícias que dão conta de que a gravidade da situação no estado do Amazonas foi causada por corrupção e pela incapacidade do governo preparar-se após um ano da pandemia, o humorista Fábio Porchat afirmou que a situação deve ensejar o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Ele usou suas redes sociais para dizer que a situação basta para o presidente da casa, Rodrigo Maia, pautar o impeachment.

O humorista não fez, pelo menos até o momento, qualquer menção aos escândalos de corrupção no estado que tem ligação direto com a falta de insumos hospitalares básicos.

A crise de falta de oxigênio no Amazonas não foi observada em nenhum outro estado da federação. Além disso, decorrido quase um ano da pandemia e com todas as medidas restritivas tomadas por prefeitos e governadores, fica evidenciado que o estado foi incapaz de cuidar de seus habitantes.

A fala de Porchat soa como oportunismo político. Ao culpar Bolsonaro pelas mortes causadas por corrupção e má-gestão no Amazonas, o humorista usa cadáveres para dar vazão a seu desejo pela deposição do presidente.

Quem lacra não lucra

Após onda de censura, Twitter e Facebook perdem juntos cerca de R$ 250 bilhões

Jack Dorsey (CEO do Twitter) e Mark Zuckerberg (CEO do Facebook): Empresas registraram perdas bilionárias no mercado de ações após onda de censura ser acirrada e chegar a atingir o presidente dos EUA. Companhias brasileiras que cedem à censura nas redes sociais devem ficar atentas.

O Facebook e Twitter desvalorizaram suas ações em $51,2 bilhões (cerca de R$ 250 bilhões) no mercado. Analistas acreditam que as perdas estão ligadas diretamente a onda de censura promovida pelas empresas que chegou ao ápice de atingir o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na semana passada.

Segundo o Jornal Market Business Insider, o Facebook perdeu US $ 47,6 bilhões em valor e o Twitter caiu US $ 3,5 bilhões.

As quedas nas ações da empresa foram acentuadas no decorrer da semana e criaram uma espécie de “efeito manada” afastando os investidores das duas plataformas.

“Quando os mercados fecharam na terça-feira, a capitalização de mercado do Facebook estava US $ 47,6 bilhões abaixo do nível de sexta-feira”, explicou o jornal.

O presidente Trump declarou que os atos de censura das empresas poderiam ser catastróficos para elas. “Acho que a grande tecnologia está fazendo uma coisa horrível por nosso país e por nosso país. E acredito que será um erro catastrófico para eles”, disse.

Visivelmente abalado com as perdas, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, disse que não comemoraria e nem sente orgulho de ter banido a conta de Trump, mas que a decisão foi tomada com base nas “melhores informações que tinham sobre ameaças à segurança física dentro e fora do Twitter. A declaração pode ter sido uma medida para ‘amenizar’ os impactos econômicos que a rede social sofreu.

Enfim

Braide promete vacinação contra a Covid-19 para quarta (20)

Enquanto o governador comunista Flávio Dino tira férias em plena crise, prefeito de São Luís participou de reunião com o ministro da Saúde que determinou início da vacinação.

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), prometeu iniciar a vacinação na capital maranhense para na próxima semana. O comunicado foi feito nas redes sociais do prefeito após reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Enquanto o govern

Caiu a máscara

Coletivo Nós tentou barrar criação da Secretaria da Pessoa com Deficiência

Grupo petista manobrou para adiar na 1ª sessão da Câmara Muncipal a criação da pasta junto com a Subprefeitura da Zona Rural. Ação demonstra que atuação no Legislativo será de oposição canina, mesmo que minorias sejam prejudicadas.

Logo na primeira sessão da Câmara Municipal de São Luís o vereador Jhonatan Alves Soares (PT), que representa o Coletivo Nós, demonstrou a farsa que levou o movimento ao Legislativo Municipal. O vereador tentou a todo custo impedir a votação que iria criar a Secretaria da Pessoa com Deficiência e a Subprefeitura da Zona Rural. Duas pastas que atendem diretamente as expectativas das minorias que o famigerado grupo diz defender.

A estratégia encontrada pelo Coletivo Nós tratava-se de um pedido de vistas que iria adiar a criação da secretaria. Mesmo sabendo que após o prazo para analisar o projeto ele seria aprovado, o vereador insistiu no pedido que iria ter como único resultado o adiamento da criação de uma pasta voltada para a defesa de minorias.  

Graças ao presidente da casa, vereador Osmar Filho (PDT), a estratégia covarde do Coletivo Nós de adiar a votação foi contornada e o projeto aprovado pela franca maioria dos vereadores.

Durante a sessão causou estranheza, pelos manos aos que não conhecem o modus operanti de grupos extremistas como o Coletivo Nós, a forma ensandecida e completamente autoritária com que Jhonatan Alves tentou fazer valer sua tentativa de impedir a criação da Secretaria da Pessoa com Deficiência e a Subprefeitura da Zona Rural. 

O petista argumentou que a secretaria e a subprefeitura deveriam ter seus organogramas, quadro de funcionários, orçamento e objetivos já explicitados no decreto de criação da pasta.

Se realmente estivesse disposto a defender os interesses da população, em vez de tentar adiar a criação das pastas poderia ter se colocado na função de fiscalizador e exigir do prefeito o cumprimento dos deveres e funções das novas pastas.

Entre atrapalhar e fiscalizar, o Coletivo Nós fez a opção pela baderna e pela oposição canina que já era esperada e foi avisada neste blog.

Trabalho

Eduardo Braide começar a cumprir promessas em menos de 15 dias de gestão

Criação da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência foi promessa de campanha.

O prefeito Eduardo Braide (Podemos) anunciou Carlivan Braga como futuro titular da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. Braga é coordenador do Fórum Maranhense de Entidades de Pessoas com Deficiência e Patologia.

Atacado pela extrema esquerda durante a eleição nas redes sociais, é irônico que o prefeito tenha no fortalecimento das minorias uma de suas primeiras promessas cumpridas na gestão. Braide foi o candidato que mais deu destaque aos portadores de necessidades especiais na campanha durante o pleito.

“Estamos fortalecendo a nossa gestão com a Secretaria da Pessoa com Deficiência. Mais que a concretização do que está em nosso programa de governo, essa secretaria representa o nosso compromisso em fazer de São Luís uma cidade verdadeiramente inclusiva”, reforçou o prefeito.

Carlivan Braga possui vasto histórico na militância pela promoção das pessoas com deficiência. Assumiu diversos conselhos e tem, pelo menos teoricamente, experiência para tornar São Luís uma cidade mais acessível.

Outra ironia da história: o Coletivo Nós mostrou as garras já na primeira sessão da Câmara Municipal e tentou barrar a criação da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. Comentário no blog logo mais…

O “fascista” tenta dar voz a uma minoria e os “progressistas” tentam melar a iniciativa. Tirem suas conclusões.

Confronto

Em eleição histórica, Famem inicia hoje batalha de 2022

Disputa entre o atual presidente Erlânio Xavier e o prefeito de Caxias, Fábio Gentil, transformou-se em mais uma tentativa do vice-governador Carlos Brandão de fazer contraponto político ao senador Weverton Rocha

Desde 1996, com a eleição do então prefeito de Balsas, Luiz Rocha – que havia sido governador do estado – a eleição da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem) não ganhava tanta importância como a desta quinta-feira, 14.

A disputa entre o atual presidente da entidade, Erlânio Xavier (PDT), e o prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), virou mais uma prévia do que deverá ser a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB), em 2022.

Derrotado nas eleições municipais de São Luís, Imperatriz, Pinheiro e Timon – alguns dos principais colégios eleitorais do Maranhão – o vice-governador Carlos Brandão (PRB) tenta, desde então,  suplantar o senador Weverton Rocha (PDT) em uma medição de força pré-eleição estadual.

Tentou a Câmara de São Luís, mas não conseguiu sequer formar chapa; agora tenta tomar a Famem, apoiando a candidatura de Gentil.

Os grupos de Erlânio e Gentil articulam freneticamente e ambos garantem ter maioria para chegar ao comando da entidade.

O mais importante, porém, será a quantidade de votos que cada prefeito terá, o que demonstrará a capacidade de articulação de Brandão – que está no exercício do governo – e de Weverton, cujo PDT elegeu a maioria dos gestores.

Fábio Gentil é a nova tentativa de Carlos Brandão suplantar a força de Weverton Rocha e se consolidar como opção para o governo em 2022

Ganhando a eleição com Gentil, Brandão respira como pré-candidato a governador e pode sonhar com a cadeira de Dino em 22; se der Weverton, com Erlânio, o pedetista praticamente se consolida como principal candidato a governador e passa a ser a referência das eleições estaduais de 2022.

Por isso a quarta-feira, 14, terá uma importância histórica para o Maranhão…