A promotora Cláudia Tomelin é responsável pelo pedido de suspensão do rito cristão nas escolas municipais de Matinhos

O Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio da 1ª Promotoria de Justiça em Matinhos (interior do Paraná), quer proibir oração do “Pai-Nosso” nas salas de aula das escolas municipais. A decisão partiu da promotora de justiça Cláudia Luíza da Rosa Tomelin, que enviou ofício à Secretaria Municipal de Educação caracterizando a oração em ambiente escolar como inconstitucional.

No documento, Tomelin exige a suspensão de quaisquer tipos de orações ou rezas em ambiente escolar, bem como a prática de qualquer ato que possa constranger alunos a participarem de atos religiosos adversos das suas crenças.

Segundo a secretaria, as crianças oram o “Pai-Nosso” na formação das filas, mas a promotora não acatou a justificativa.

Segundo o site RIC Mais, a Prefeitura de Matinhos ainda não declarou quais providências serão tomadas.