Deputado André Janones afirmou que presidente usou STF para barrar aplicação do piso da enfermagem no Twitter. Logo após a publicação, conclamou militância para espalhar mentira contra Bolsonaro.

Nesta segunda-feira (5), o deputado federal André Janones (Avante-MG) usou o Twitter para disseminar a informação falsa de que o partido do presidente Bolsonaro estaria por trás da suspensão da lei do piso salarial dos enfermeiros. Admitindo não ter certeza da informação, o deputado chegou a pedir para que os seguidores viralizassem a fake news.

“Mamadeira de piroca se combate com outra mamadeira de piroca! Printem isso e viralizem pelo zap! Vou fazer live também. Façam chegar em TODO o Brasil! Olho por olho, dente por dente!”, disse o parlamentar ao defender o uso da mentira contra Bolsonaro.

A lei do piso salarial, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no início de agosto, foi suspensa pelo ministro do STF, Luis Roberto Barroso, no último domingo, a pedido da Confederação Nacional da Saúde (CNSaúde) e de outras entidades que alegam inconstitucionalidade da lei.

“Quem julga é o Xandão!”

Mês passado, Janones acusou o empresário catarinense, Luciano Hang, de matar a própria mãe. Em seguida, debochou de um possível processo, pois quem o julgaria seria o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes. 

“Luciano, pode vir com o processinho mas lembra que eu tenho foro privilegiado, tá? Quem julga é o Xandão!”, escreveu o parlamentar, no Twitter.

Dias antes de o ministro Alexandre de Moraes ordenar busca e apreensão contra empresários por supostas conversas “antidemocráticas” em um grupo fechado de WhatsApp, o deputado Janones insinuou ter conhecimento prévio de uma medida judicial que seria tomada contra Hang. 

Rachadinha

Mês passado, Fabrício Ferreira, ex-assessor de Janones, acusou o parlamentar de forçar seus assessores a darem parte de seus salários, prática chamada de “rachadinha”.

O ex-assessor afirmou em entrevista para a Jovem Pan: “Um dos assessores que estavam falando comigo citou que ganhava em torno de 9 mil e era obrigado a passar 60% do salário para o deputado”.

Voto impresso

O nome de Janones ficou nacionalmente conhecido através das redes sociais, em 2018, quando atuou temporariamente como porta-voz dos caminhoneiros durante uma greve da categoria.

Após revelados os interesses políticos do então advogado, os caminhoneiros dispensaram o apoio de Janones.

Apesar da grande repercussão da greve dos caminhoneiros, foi durante a votação da PEC do voto impresso, em agosto de 2021, que o deputado ganhou fama.

Na ocasião, o ex-petista fez questão de imprimir o comprovante da votação para provar que votou contra o voto impresso.  

“Minha assessoria de plenário me presenteou com o meu voto impresso. Não dá nem tempo de se alegrar, vamos agora pra barrar o distritão”, disse Janones no Twitter. 

“Semana que vem ele vai organizar uma carreata para protestar contra a poluição causada pelos automóveis”, comentou um perfil no Twitter.