Racha ocorre após pancadaria entre militantes da esquerda democrática pacifista em julho. Membros do PT e PSB se enfrentaram em um restaurante no Centro do Rio. Caso foi abafado pela imprensa nacional.

O casamento entre PT e Marcelo Freixo (PSB) no Rio de Janeiro pode estar cegando ao fim. O diretório estadual do partido do ex-presidente Lula aprovou nesta terça (2 de agosto) uma resolução para retirar o apoio à candidatura de Freixo ao governo estadual. A decisão deve passar por aprovação da direção nacional.

O abandono do PT acontece cerca de um mês após uma grande pancadaria entre membros do PT e PSB em um restaurante no Rio de Janeiro. Apesar da selvageria do caso, a imprensa nacional não divulgou o caso devidamente.

João Maurício de Freitas, presidente estadual do partido, alegou que a insistência do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em lançar Alessandro Molon candidato ao Senado promoveu o rompimento. Havia um acordo prévio da coligação para apoiar André Ceciliano (PT) para o cargo.

“Esse descumprimento de um acordo feito entre Molon e Freixo, entre o PT e o PSB, nos dividiu, com parte da esquerda atacando o nosso companheiro André, pré-candidato do PT ao Senado, numa campanha sórdida nas redes, como não se via faz anos”, diz a nota do PT do RJ.

A nota do PT ainda acusa membros do PSB de criarem um gabinete do ódio que promove uma campanha de assassinato da reputação de Ceciliano nas redes sociais. Eis os democratas pacifistas da esquerda que se matam entre si.