Candidato a governador também pretende atuar no governo do Maranhão de forma inovadora, focando no combate à corrupção, na geração de emprego e na ampliação de investimentos.

O pré-candidato a governador do Maranhão, Lahésio Bonfim (PSC), participou nesta terça – feira (09) da série Sabatina/Imirante, do Grupo Mirante. Durante uma hora, o candidato do Partido Social Cristão respondeu a perguntas sobre infraestrutura e saúde pública.


Lahésio Bonfim destacou que pretende atuar no governo do Maranhão de forma inovadora, focando no combate à corrupção, na geração de emprego e na ampliação de investimentos nas áreas de infraestrutura e turismo.


“Há mais de 40 anos, o Brasil conseguia fazer grandes obras… hoje em dia você não vê mais grandes obras no país e nem no estado no Maranhão, sabe por quê? Por conta da corrupção. A corrupção (…) tem matado sonhos, a corrupção tem matado as grandes obras no país. Quando você fala em grandes obras, todo mundo já fica assustado. Investir em aeroportos, investir em infraestrutura, você também está investindo no turismo. (…) O turismo é a maior indústria geradora de emprego do mundo. Se você investe infraestrutura, você está investindo em geração de emprego”, disse o candidato.


O médico e ex-prefeito de São Pedro dos Crentes explicou também a importância dos prefeitos do Maranhão no seu futuro governo. Ao falar da condição da saúde pública do estado, Lahésio Bonfim mencionou as dificuldades que as prefeituras enfrentam para cuidar dos próprios cidadãos, ressaltando que pretende modificar a atual estrutura dos serviços públicos de saúde a fim de evitar as filas nos hospitais nas grandes cidades.


“’O Lahésio governador tem um projeto: descentralizar a saúde do nosso estado’, porque esse governo (do Estado) centralizou. Ele tirou (verbas) das cidades pequenas, aquelas que tinham até hospitais que funcionavam, e colocou tudo nos (hospitais) regionais. (…) Os prefeitos não têm mais dinheiro para investir na saúde nos seus hospitais. Porque esse governo (do Estado) tirou das cidades e levou para os grandes centros. As pessoas se acumulam nas filas nas grandes cidades. Nós precisamos descentralizar os serviços públicos de saúde no estado no Maranhão. Nós vamos chamar os prefeitos, conveniar com seus hospitais. Nós vamos pedir para os prefeitos fazerem os procedimentos mínimos necessários para manter o bem-estar das suas populações nas suas cidades, explicou.