Notícias sobre “riqueza” do candidato foram consideradas inverídicas por desembargador que ordenou retirada imediata de textos nos blogs.

A Justiça determinou aos blogueiros Jeisael Marx, John Cutrim, Luis Cardoso e Jeremias Ribeiro a retirada de fake news publicada contra Lahésio Bonfim. A decisão foi tomada, nesta quinta-feira (18), após constatação de caráter inverídico e difamatório das matérias sobre o patrimônio do candidato.

O desembargador eleitoral Ronaldo Desterro determinou a exclusão imediata do material publicado no dia 26 de julho e determinou multa diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento da decisão.

A Justiça Eleitoral tomou decisão favorável ao candidato Lahésio Bonfim, após entender que a conotação empregada nas matérias possui “claros contornos de falso ideal, do que decorre evidente prejuízo à imagem do candidato”.

O desembargador também reconheceu que a declaração de bens utilizada pelos blogs, referente ao ano de 2020, possui “bens em duplicidade (…) a majorar indevidamente o valor total do patrimônio do candidato e assim subtrair à matéria o atributo da veracidade”.

A defesa do candidato Lahésio Bonfim demonstrou que os blogs se utilizaram de uma imagem manipulada, com “emenda ou quebra”, evidenciando que a foto foi editada para constar itens repetidos e assim falsificar o valor total da declaração de bens.

Qualquer repetição da matéria haverá pedido de extensão dos efeitos da decisão. “Ante o reconhecimento da Fake News, será requerida a extensão dos efeitos”, disse a defesa do candidato.

O juiz Ronaldo Desterro concluiu que “a matéria publicada pelos representados contém fatos sabidamente inverídicos ou gravemente descontextualizados. (…) a notícia é grave e evidentemente prejudicial à imagem do candidato, do que decorre o perigo de dano irreparável ou de difícil reparação”.