Comunista teme que rejeição de cristãos a bandeiras esquerdistas como aborto, negacionismo espiritual, materialismo e idolatria do Estado prejudiquem seu projeto de poder

O ex-governador Flávio Dino está amedrontado com a descrença dos evangélicos do Maranhão com sua candidatura. Com o avanço da internet e descentralização da informação, cristãos começam a ter acesso a informações que colocam a ideologia comunista como antagonista da fé cristã. Negação da existência de Deus, negacionismo espiritual, defesa do materialismo, aborto, idolatria do Estado, perseguição religiosa e tantas outras características que despertaram a desconfiança de políticos sabidamente de esquerda. Flávio Dino teme que os sentimentos despertados pela ideologia que ele sempre defendeu, o comunismo, o prejudiquem.

DESPERTAR

A cada dia que passa cresce entre cristão, principalmente entre evangélicos, a certeza de que cristianismo e esquerdismo não são comportamentos que podem ser colocados em harmonia. Por muito tempo, inclusive, o cristianismo foi perseguido por comunistas que consideravam a religião “o ópio do povo”.

Contudo, com o monopólio dos meios de comunicação, muitos fatos eram esquecidos e escondidos do grande público. Situação que sofreu um revés com a democratização da informação causada pela internet.

Hoje qualquer cristão sabe que é impossível equalizar cristianismo com esquerdismo. E este é o motivo do desespero de Flávio Dino. Sempre garantido na vassalagem de alguns líderes religiosos que tratavam de alienar seus fiéis em troca de cargos no governo, Flávio Dino nunca demonstrou a preocupação que tem nas eleições de 2022.

DECADÊNCIA

A ascensão de líderes políticos que verdadeiramente defendem o cristianismo deixou muito dificultosa a tarefa de apontar comunistas como melhores opções eleitorais por vendilhões da fé. Isso tem preocupado Dino.

O ex-governador sabe que poucos minutos na internet são suficientes para, até o mais leigo dos cristãos, entender que as vitórias das bandeiras defendidas por Flávio Dino em outros países representaram a consolidação da perseguição e decadência cristã.

A “Carta de Flávio Dino ao Povo de Deus” é ato de desespero.