Creches que tiveram recursos liberados em 2010, quando Brandão era deputado federal, começam a ser concluídas em 2022 com chegada das eleições

A prefeita de Colinas, Valmira Miranda, é pivô de um escândalo envolvendo três creches nos povoados de Piquete, Chapadinha e Liberdade. Apesar dos recursos terem sido liberados em 2010, apenas agora as obras começaram a ser concluídas. Em vídeo a prefeita, aliada de Carlos Brandão na cidade, assume que os recursos foram conseguidos por ele quando deputado federal. Com a chegada das eleições, as obras foram retomadas em ritmo acelerado. A população suspeita que as construções tentem camuflar o escândalo envolvendo a prefeita Valmira Miranda, principal aliada do governador Carlos Brandão na cidade.

12 ANOS DE ATRASO

Os recursos foram disponibilizados ainda no primeiro mandato de Valmira Miranda, que governou Colinas entre 2009 e 2012. Na época, Carlos Brandão era deputado federal pelo PSDB. Valmira foi derrotada nas eleições de 2012.

Em 2014 o Fundo Nacional do Desenvolvimento da educação acionou o prefeito que derrotou a aliada de Brandão, Antonio Carlos, pela demora na entrega das obras. Em resposta, o prefeito afirmou que nenhum registro, dado ou documento sobre as três creches foram encontrados na Prefeitura. Para esclarecer a situação, o prefeito baixou o decreto nº 5/2013 criando uma comissão para análise de todos os contratos administrativos e suspendendo todos os pagamentos e contratos, em especial os relativos aos convênios celebrados com o FNDE/MEC.

Em 2015, anos após a liberação dos recursos e após o relato do prefeito, a Polícia Federal instaurou inquérito para apurar a responsabilidade criminal de Valmira Miranda por fraude na aplicação dos recursos destinados à construção de três creches.

A Polícia Federal investigava por que as obras estavam paradas e qual foi o destino de R$ 1.700.000 repassados para a Prefeitura.

CONFISSÃO

No inquérito da Polícia Federal, o engenheiro Felix Bispo da Silva confessou que os recursos foram usados em obras de terceiros durante a gestão de Valmira Miranda. Segundo Bispo, que representa a Construtora Sertão, as obras da unidades escolares foram abandonadas porque parte dos recursos foram desviados para outras construções públicas e de terceiros.

“Não tivemos condições de tocar as obras das creches em virtude de havermos aplicado, embora de maneira errada, parte do dinheiro oriundo das creches em outras obras públicas e de terceiros”, disse o engenheiro à Justiça Federal durante a tramitação do processo.

QUEIMA DE ARQUIVO

Com o apoio de Brandão, já como vice-governador, Valmira voltou a comandar a prefeitura de Colinas. Vídeos revelam a parceria dos dois e mostram que a prefeita assume que a consignação dos recursos se deu por intermédio de Brandão.

Em outro vídeo, Brandão assume que “colaborou” com ações na cidade com emendas “na época em que ele ainda era deputado federal”.

Com a posse de Brandão como governador, as creches que estavam abandonadas entraram em ritmo acelerado de obras.

A suspeita é que Valmira e Brandão estejam atuando para apagar os rastros do que ficou conhecido como o “Escândalo das Creches”.