Comunistas querem desviar atenção do povo e evitar avaliação dos sete anos de governo

O governador Carlos Brandão (PSB) e o ex-governador Flávio Dino (PSB) tem centrado todos os esforços da campanha eleitoral na figura do ex-presidente Lula. A intenção dos dois é impedir a avaliação dos sete anos de mandato dos dois no estado e levar a discussão para um âmbito nacional.

Por si só, a tática de alienação dos maranhenses já revela o nível do que foi o governo do Maranhão entre os anos de 2015 e 2021. Contudo, também há a esperança de que o apoio do ex-presidente Lula possa impulsionar a cambaleante candidatura de Carlos Brandão.

O apoio de Lula como algum tipo de exclusividade política também não resiste a uma análise simples da história. Todos os governadores maranhenses nos últimos 30 anos foram aliados e admiradores do ex-presidente Lula. Além disso, não existe nenhum político com mandato no estado que critique publicamente o ex-presidente. Nem mesmo entre os cinco candidatos ao governo do Maranhão.

A forma de governar do PT: assistencialismo, inchaço dos gastos, endividamento, corrupção e ausência de ambiente propício aos negócios é seguida pelos 217 prefeitos e gestores públicos do estado.

O petismo fracassou no Maranhão e seu “sucesso” é meramente eleitoral. Benefícios para o Maranhão nunca aconteceram.

Dessa forma, o uso de Lula na campanha por Brandão e Dino é apenas uma tentativa de desviar a atenção para o fracasso da gesto comunista nos últimos 7 anos.