Identidade de estuprador que foi preso em flagrante com vários vídeos de meninos sendo obrigados a fazerem sexo com ele é mantida em sigilo e protegida por agentes de segurança

Um professor de dança foi preso nesta sexta (26 de agosto) na cidade de Bacabeira acusado de vários crimes contra crianças. Ele abordava garotos passando-se por mulher, assediava e depois, por meio de chantagem, as estuprava. Apesar do vasto material comprobatório, que inclui vídeos, a identidade do criminoso é guardada sob sigilo pelas autoridades.

Investigações revelam que o criminoso preso hoje fazia parte de uma grande quadrilha voltada para a exploração sexual de crianças. O professor se beneficiava do acesso às escolas onde as vítimas estudavam e as escolhia.

Desencadeada hoje, a operação “Arco Íris”, realizada pela Polícia Civil do Maranhão, visava desarticular o grupo criminoso. A operação foi coordenada pela delegacia da cidade.

Além de assediarem, chantagearem e estuprarem os meninos. O grupo ainda gravava, armazenava os estupros dos menores de idade e depois divulgado.

Após serem escolhidas, as vítimas eram abordadas por meio de aplicativo de mensagem. Os estupradores seduziam as crianças e as convenciam mandar fotos nuas. De posse do material, começava a chantagem. O professor exigia que as vítimas tivessem relação sexual com ele, caso contrário, as imagens seriam divulgadas na internet.

O professor foi preso nesta sexta, durante um cumprimento de mandado de prisão e de busca e apreensão. Com ele, a polícia apreendeu celulares em que havia várias imagens íntimas de crianças e adolescentes, que moram no interior do Maranhão, como também em outros Estados.