O falecimento do Senhor Dom Luiz, embora já fosse esperado, causa o mesmo choque que causaria a morte de um ente querido, de um pai, em quem, a despeito da madureza dos filhos, ainda eram depositadas todas as esperanças devidas e o respeito reverencial.

Apesar de muito lamentarmos a perda desse pai, o falecimento do verdadeiro Príncipe católico que foi e é o Senhor Dom Luiz, homem de comunhão diária, indica-nos que o vasto Império do Brasil, prodigiosa extensão da Cristandade e da Hispanidade, ganha mais um intercessor junto de Deus.

“Rei morto, rei posto” — eis a máxima que encerra a grande sabedoria política das monarquias hereditárias, consagradoras de um poderoso espírito prático ancorado na experiência história dos povos e nos cumes da teologia cristã. Não estamos órfãos. Porque não o pode ficar, a chefatura da Casa Imperial do Brasil não está acéfala — o nosso novo Imperador “de jure” é, agora, S. A. I. R., o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança.

Servindo-o, para que Sua Alteza melhor sirva ao Brasil — aqui está a melhor maneira de servir à Pátria e sermos fieis ao Bom Combate.

Por Deus, pela Pátria e pelo Imperador.

Círculo Monárquico de São Luís

José Lorêdo de Souza Filho — Chanceler
Melhem Saad — Presidente
Lourival Souza Filho — 1º Secretário
Fábio Costa — 2º Secretário
Francisco Bezerra — Tesoureiro