Marcelo Brito informou que a classe patronal responsável pelo transporte coletivo de São Luís não cumpriu a lei municipal, que proíbe motoristas de realizar outras funções.

O Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, Marcelo Brito, informou que a classe patronal responsável pelo transporte coletivo de São Luís não cumpriu à lei municipal, que proíbe motoristas de realizar outras funções. A justificativa do sindicalista é que os servidores responsáveis por realizar o serviço de cobrança nos ônibus não formam recontratados após demissão em massa.

A lei foi sancionada em fevereiro, mas segundo o Sindicato dos Rodoviários há várias linhas de ônibus em São Luís que realizam o serviço de transporte com apenas um servidor exercendo dupla função.

Os representantes dos rodoviários conversaram com o sindicato patronal, SET, e exigiram que a lei seja cumprida por meio da reintegração dos cobradores nas linhas.

Porém, o encontro entres os servidores e os dirigentes do transporte público de São Luís não foi suficiente para resolver o impasse entre as classes. Por isso, o Sindicato dos Rodoviários adotou uma postura dura para que a lei seja imediatamente cumprida, esperando o pronunciamento da SET até esta sexta (22/07), para que medidas sejam tomadas. A expectativa é que caso as reivindicações não sejam atendidas, uma nova greve será deflagrada na próxima segunda ( 25/07), em São Luís.

“São entre 600 e 700 cobradores que foram desligados do sistema, mesmo com uma lei valendo, em favor da categoria. Não vamos tolerar esse tipo de postura dos patrões, que insistem em retirar os direitos e desrespeitam os Rodoviários. Estamos no aguardo de um posicionamento da patronal. Caso isso não aconteça, na segunda-feira (25), daremos início a todos os trâmites legais, cumprindo os prazos judiciais, para que assim, possamos deflagrar uma nova greve. Solicitamos que a Prefeitura de São Luís, por meio da SMTT, também fiscalize e cobre dos empresários, o cumprimento da lei, para que o sistema de transporte público em São Luís, volte a operar de forma adequada e sem prejudicar trabalhadores e usuários. Se os empresários não reintegrarem os cobradores no sistema, cruzaremos mais uma vez os nossos braços”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.