Ao contrário da morte após desentendimento do petista Marcelo Arruda em uma festa de aniversário que ganhou repercussão nacional, Marcello Leite Fernandes foi vítima de emboscada e morte premeditada com fortes indícios de motivação política.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Marcello Leite Fernandes foi executado em uma emboscada nesta semana em Ibotirama, na Bahia. Marcello estava em seu carro quando foi surpreendido por dois homens em uma moto que o assassinaram a tiros. No momento do crime, a vítima usava uma camisa com uma imagem do presidente estampada no momento do crime.

O ex-secretário de Fomento à Cultura André Pociuncula, que é ex-policial militar e pré-candidato a deputado federal na Bahia, afirmou que entrou em contato com policiais da região de Ibotirama e afirmou que há indícios de crime político no assassinato.

“Não há outros motivos aparentes para uma execução em praça pública a não ser divergência política”, disse.

Porciuncula também cobrou explicações do governador da Bahia, Rui Costa (PT) sobre a investigação.

De acordo com nota enviada pela Delegacia Territorial de Ibotirama, que é responsável pela investigação, as imagens da câmera de segurança foram analisadas e testemunhas já estão sendo ouvidas. A corporação diz que a apuração preliminar indica que não há indícios de motivação política para o crime.