Antes considerado o mais promissor dos pré-candidatos de oposição, ex-prefeito acumula ataques contra membros da oposição, tira o foco de Flávio Dino e tumultua ambiente de união criado contra comunista

Os constantes ataques a membros da oposição pelo ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSL), têm chamado a atenção de aliados e observadores mais atentos. A postura do ex-prefeito, e também pré-candidato ao governo, é vista como danosa à formada para impedir que Flávio Dino (PSB) seja eleito senador e derrote seu candidato ao governo, Carlos Brandão (PSB). Atitudes já são aplaudidas e incentivadas publicamente por membros da campanha do ex-governador.

Na semana passada, enquanto toda a oposição cobrava explicações do uso de helicóptero da Polícia Militar por Flávio Dino em sua pré-campanha, Lahesio deu entrevista a um jornal alinhado ao governo e atacou membros da oposição.

O resultado da intervenção desastrada de Bonfim foi a criação de m clima de instabilidade entre os adversários do comunista e a saída do escândalo da pauta política.

Antes do evento do último fim de semana, Bonfim já havia atacado o presidente de seu partido, deputado federal Aluísio Mendes; o senador e principal adversário de Flávio Dino nas eleições deste ano, senador Roberto Rocha; o presidente nacional do PTB, ex-deputado federal Roberto Jefferson e até mesmo o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PSD).

TALEBÃS, BARBEIRAGENS E FAKE NEWS

Aliados mais experientes culpam um grupo que cerca Lahesio pelas ações que enfraquecem a oposição e fortificam Dino. Segundo eles, o grupo incentiva Bonfim a atacar todos de forma indiscriminada, espalhar notícias falsas e divulgar pesquisas forjadas. O grupo é chamado nos bastidores como “talebãs”.

Alguns interlocutores do blog afirmam que o grupo tenta incutir na cabeça de Bonfim que ele é um enviado do próprio Deus para salvar o Maranhão. A postura paralela ao fanatismo religioso foi responsável pela criação do apelido de “Os Talebãs de Lahesio”. O grupo é tratado com galhofa pelos membros mais experientes da campanha.

Apesar disso, a influência negativa devastadora dos Os Talebãs de Lahesio na campanha não é negada por ninguém.

“Ele está começando a ter a fama de mentiroso. Porque acerta algumas estratégias e dias depois vai e faz tudo diferente”, disse uma fonte ao blog.

“É muito preocupante ver que uma campanha tão promissora e um candidato tão bom está sendo sabotado pela influência de débeis mentais”, continuou outro aliado em conversa com o blog.

O fato é que as ações equivocadas na campanha se acumulam. E elas vão desde ataques gratuitos a uma rede de divulgação de fake News.

Em julho do ano passado, Bonfim criou uma confusão na campanha quando disse, em entrevista à TV Mirante, que não era bolsonarista. A declaração foi bombástica na campanha e forçou Lahesio a desculpar-se. Contudo, o episódio foi o primeiro de uma série de declarações ao longo do último ano.

Poucos meses atrás, blogs ligados ao grupo divulgaram a notícia falsa de que o prefeito Eduardo Braide havia procurado Bonfim para negociar a entrada da esposa, Graziela Braide, como vice na chapa de Bonfim. A notícia é requentada até hoje. Detalhe: Graziela não possui filiação partidária e não pode ser candidata nem se quisesse.

Ainda no começo do ano também foram divulgadas pelo grupo pesquisas que apontavam Bonfim como líder na disputa pelo governo. Os levantamentos viraram motivo de campanha.

No mês passado, toda a oposição decidiu unir-se entorno do senador Roberto Rocha na disputa pelo senado contra Flávio Dino. O acordo foi selado em uma reunião que contou com a participação de Bonfim. Poucos dias após o acertado, Lahesio apareceu com o pastor Bel (que é acusado por um suposto escândalo sexual em que foi gravado se masturbando) e declarando apoio a ele na disputa pelo Senado Federal.

Ao ser questionado sobre o acordo do seu partido para apoiar Rocha, Bonfim disse que o presidente da legenda, Aluisio Mendes, não tinha “procuração para falar por ele”. A declaração soou como uma bomba uma vez que o PSC foi o único partido eu deu espaço a Lahesio após ele ser expulso e perder várias outras legendas.

Após a repercussão negativa, Bonfim mais uma vez teve que se desculpar e gravar vídeo declarando apoio a Rocha.

VAI FUNDO!

As barbeiragens já começam a ser aplaudidas por membros da equipe de Flávio Dino. Após a declaração desastrosa do fim de semana, o secretário de comunicação do governo, Ricardo Cappeli, usou as redes sociais para incentivar Bonfim no ataque aos outros membros da oposição.

Cappeli, que é o homem forte de Flávio Dino no governo, tem incentivado Bonfim a atacar outros membros que disputam as eleições para assumir o protagonismo na oposição.

A intenção é fragilizar as demais candidaturas e destruir o clima de união contra Flávio Dino que se criou após a formação do consórcio Anti-Flávio Dino em apoio a Roberto Rocha.

Bonfim, sabe-se lá por que, parece atender ao chamado e colocar fogo na oposição.