Ygor Catatau foi chamado de “macaco” nas redes sociais após partida contra a Ponte Preta.

O atacante Ygor Catatau foi atacado nas redes sociais após perder um gol no empate contra a Ponte Preta. Segundo o Sampaio Corrêa, o atleta
foi chamado de “macaco” em sua conta no Instagram por um (a) seguidor (a) não-identificado.

Após as mensagens, o perfil apontado pelo Sampaio foi apagado. O ato de racismo é considerado crime no Brasil e está sujeito ao cumprimento de pena que varia de um a três anos de reclusão.

Catatau não se pronunciou sobre o assunto até o momento. Porém, o vice-presidente do Sampaio, Perez Paz, afirmou que o clube está unido em busca de soluções. “Vamos fazer a denúncia junto aos órgãos competentes e fazer tudo ao alcance para identificar o IP de onde saiu a publicação”, disse.

A Bolívia publicou uma nota alertando a gravidade do caso.

“O racismo fere e agride. Atitudes racistas não podem encontrar espaço em uma sociedade que visa a harmonia e o bem comum”, diz um trecho.

O Tricolor volta a campo na segunda (27 junho) contra o CSA (AL), às 20h, pela Série B do Brasileiro, no Estádio Castelão.

LEIA A NOTA DO SAMPAIO

O racismo fere e agride. Atitudes racistas não podem encontrar espaço em uma sociedade que visa a harmonia e o bem comum.

O Sampaio Corrêa repudia os comentários racistas e criminosos proferidos contra o nosso atleta Ygor Catatau, na noite dessa última quinta-feira (23).

Comentários criminosos dessa natureza contribuem para um mundo intolerante, sem perspectivas, e precisam sem combatidos com firmeza.

O Sampaio Corrêa é o time do povo e se orgulha por ter tido, ao longo dos anos, guerreiros negros que ajudaram a construir sua rica história. Aqui, o racismo não tem vez, e será sempre repudiado por todo aquele que verdadeiramente entende o significado desta causa.