O presidente da Assembleia Legislativa e deputado estadual, Othelino Neto (PCdoB), emitiu um comunicado afirmando que é necessário transparência no Poder Legislativo.

O presidente da Assembleia Legislativa e deputado estadual, Othelino Neto (PCdoB), anulou o concurso do Poder Legislativo após denúncias de fraudes no processo de avaliação dos candidatos.

O deputado emitiu um comunicado nesta segunda ( 20 de junho) nas redes socias afirmando que é necessário “transparência e a absoluta lisura de todos e quaisquer atos de gestão do Poder Legislativo”.

“Em razão dos registros e denúncias de falhas de execução, fiscalização e segurança na aplicação da prova objetiva, bem como pela correta interpretação sobre a LGPD, quando da divulgação do Resultado Preliminar, decidi anular a primeira etapa do Concurso da Assembleia Legislativa”, disse.

As provas objetivas do concurso público da Assembleia Legislativa do Maranhão para provimento de cargos do quadro de pessoal foram realizadas no dia 1º de maio, em mais de 20 locais, entre escolas e universidades de São Luís.

DENÚNCIAS

Na última terça ( 12 junho), o deputado estadual Yglésio Moisés ( PROS) denunciou uma suposta fraude operada por uma quadrilha no concurso público da Assembleia Legislativa do Maranhão.


“Parece que a quadrilha da fraude dos ‘concursos’ voltou a atacar. Inadmissível. Inadmissível. Inadmissível. Genro de desembargadora, esposa de advogado de alto coturno na cidade, irmão de ex-prefeita. Desrespeito gritante. Maranhão condenado”, disse Yglésio Moisés.


Yglésio afirmou que as mesmas famílias beneficiadas em um concurso público realizado em Paço do Lumiar, desta vez, foram atendidas no certame da Assembleia. “Em comum, uma conhecida fraudadora de concursos chamada Elmira, e muito provavelmente um advogado”, declarou.