O professor pode ser condenado a uma pena de 8 a 15 anos de reclusão.

Um professor de educação física de uma escola da rede estadual de Belo Horizonte foi indiciado por estupro de vulnerável e importunação sexual após três alunas relatarem os abusos à diretoria do colégio, depois de uma investigação da Polícia Civil de Minas Gerais.

As jovens, com idades entre 13 e 14 anos, relataram os abusos, em maio deste ano, para a direção da escola, que chamou a Polícia Militar para fazer um boletim de ocorrência sobre o caso.

Se confirmado o crime de estupro, o professor pode ser condenado a uma pena de 8 a 15 anos de reclusão.

A investigação ficou a cargo da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente da Polícia Civil, sendo responsável a delegada Thais Degoni, que indiciou o suspeito tendo como base uma decisão do Superior Tribunal de Justiça.

“O STJ decidiu que a prática de ato libidinoso com menor de 14 anos é crime de estupro de vulnerável, independentemente da superficialidade da conduta, logo, não é possível desclassificar o ato para importunação sexual”, esclareceu a delegada.