Pedetista anunciou que seu grupo não vota em Dino. Yglésio atribuiu o rompimento aos ataques que Weverton vinha sofrendo de Ricardo Cappelli.

Mesmo integrando a base de governo de Carlos Brandão (PSB), o deputado estadual Yglésio Moyses (PSB) afirmou ter sido coerente a decisão do senador Weverton Rocha (PDT) de romper definitivamente com o grupo do ex-governador Flávio Dino (PSB).

Na sexta (29), o pedetista anunciou que seu grupo não vai votar no ex-governador Flávio Dino (PSB) para senador nas eleições de outubro pela forma agressiva como ele e seu grupo estão sendo tratados. Por meio das redes sociais, Yglésio se posicionou e atribuiu a saída de Weverton aos constantes ataques que vinha sofrendo, a maioria disparada por um dos principais articuladores do PSB e secretário de Comunicação do Maranhão, Ricardo Cappelli.

Ricardo Cappelli já foi secretário nacional de Esporte nos governos Lula e Dilma, ex-presidente da União Nacional dos Estudantes entre 1997 e 1999 e concorreu ao cargo de vereador no Rio de Janeiro em 2008.