A Delegacia da Mulher investiga as denúncias de assédio. As vítimas relataram que o suspeito mantinha uma postura de trabalho inadequada, durante as sessões estéticas, além de importunações em redes sociais e mensagens de caráter libidinoso.

Nessa semana, um tema chamou atenção nas redes sociais em São Luís. Diversas mulheres acusaram um homem identificado como Anderson Moreira Carvalho de praticar assédio sexual durante sessões estéticas. À medida que os casos foram sendo relatados, outras clientes também disseram que foram assediadas. Anderson atuava como massoterapeuta no bairro Cidade Operária, em São Luís, e era conhecido por realizar sessões de massagem em sua residência.

A Delegacia da Mulher investiga as denúncias de assédio. As vítimas relataram que o suspeito mantinha uma postura de trabalho inadequada, durante as sessões estéticas, além de importunações em redes sociais e mensagens de caráter libidinoso.

Em entrevista a TV Mirante, uma das vítimas, que não teve a identidade revelada, relatou que, por medo de represálias, adiou em um ano a denúncia de assédio. “O massoterapeuta a procurou, nas redes sociais, sugerindo um encontro no qual ela estivesse com roupas íntimas.“Ele me mandou mensagem […] me oferecendo uma parceria, para fazer quatro sessões de massagem modeladora e linfática […] achei muito estranho a atitude dele de me pedir pra ir sexy […]’’, disse a vítima.

Segundo apurou o Blog, a conta do Instagram de Anderson foi derrubada. A delegada Kazumi Tanaka, responsável por analisar o caso, informa que o volume de denúncias, a partir das redes sociais, repercutiu na necessidade de formalizar a investigação do caso.

“Primeiro, nós tivemos conhecimento através de redes sociais […] várias outras mulheres colocaram que passaram pelos mesmos problemas […] ou seja, as manipulações de natureza sexual; de cunho sexual. Quando o objetivo delas era, apenas, o tratamento estético […]”, concluiu.