Rodoviários alertam que vão parar o sistema de transporte público caso a insegurança continue.

Um total de 506 roubos a coletivos já ocorreram na Grande Ilha desde janeiro deste ano até a última quarta-feira (18), segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Somente no ano passado, 1.608 coletivos foram alvos de bandidos e registrando uma média mensal de 134 casos.

Os dados da SSP ainda revelam que, apenas, no mês de janeiro deste ano houve o registro de 119 roubos a coletivos na Região Metropolitana de São Luís. Em fevereiro, um total de 96 casos; março, 113; abril, 115 e ainda houve o registro de 63 casos entre primeiro de maio até o último dia 18.

Enquanto, ao longo dos cinco primeiros meses do ano passado, 592 ônibus foram alvos de bandidos na Grande Ilha. Apenas, no primeiro mês de 2021, o registro foi de 104 casos. No mês de fevereiro, 101; março, um total de 124 roubos a coletivos; abril, 134 e 129 ao longo do mês de maio.

Ação do sindicato

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, por meio de nota, esclareceu que em relação ao caso do motorista esfaqueado, ocorrido na noite do dia último dia 18, adotou de imediato todas as medidas cabíveis para garantir o atendimento ao trabalhador que sofreu ferimentos nas mãos e no pescoço e está fora de perigo. 

A entidade também já cobrou das forças policiais providências para que os criminosos sejam identificados e presos. Na manhã desta quinta-feira (19), por determinação do presidente do sindicato, Marcelo Brito, ofícios foram expedidos  e encaminhados para os órgãos envolvidos, principalmente, Secretaria de Segurança Pública, para que a prática seja combatida com mais rigor em toda a Grande São Luís.

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão também alerta que se a insegurança dentro dos coletivos continuar, todos os rodoviários cruzarão os braços e o sistema de transporte público em São Luís irá parar até que o serviço volte a ser seguro para os trabalhadores e usuários.

Combate

O secretário de Segurança Pública (SSP), coronel Sílvio Leite, declarou que as forças de segurança desenvolvem ações intensificadas de forma diária para combater esse tipo de empreitada criminosa na Grande. Uma desses trabalho é a operação Catraca que é deflagrada pela Polícia Militar.

Sílvio Leite também afirmou que somente neste ano já ocorreram mais de 92 mil abordagens como também houve várias apreensões e prisões durante incursões policiais na Ilha. Ainda neste ano vai ser instalado o Batalhão Motopatrulhamento destinado a realizar abordagens.