Segundo a ONU, pelo menos 2,2 mil civis morreram desde o início da campanha militar russa na Ucrânia em 24 de fevereiro, que também causou várias baixas nas fileiras de ambos os Exércitos.

A ofensiva russa na Ucrânia, que deixou milhares de civis e soldados mortos, completou dois meses neste domingo (24/04), sem que as partes tenham conseguido avançar nas negociações para estabelecer um cessar-fogo.

Segundo a ONU, pelo menos 2,2 mil civis morreram desde o início da campanha militar russa na Ucrânia em 24 de fevereiro, que também causou várias baixas nas fileiras de ambos os Exércitos. Até agora, a Rússia reconheceu 1.351 mortos, enquanto a contagem da Ucrânia está entre 2,5 mil e 3 mil baixas.

As Nações Unidas alertaram que o número real de civis mortos pode ser muito maior do que os dados atualmente disponíveis devido à falta de acesso às áreas onde os combates ainda estão acontecendo. Enquanto isso, as partes em conflito estimaram o número de mortos no lado inimigo em mais de 20 mil.

As hostilidades e a incerteza também fizeram com que mais de cinco milhões de pessoas fugissem da Ucrânia nas últimas oito semanas, segundo a ONU, enquanto centenas de milhares chegaram à Rússia vindos dos territórios das autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, bem como de outras partes da Ucrânia, de acordo com fontes oficiais russas.