Entre os motivos está, além das sanções em represália a Guerra na Ucrânia, a desvalorização do rublo.

Os impactos das sanções ocidentais à Rússia fizeram-se sentir também na lista das maiores fortunas do mundo divulgadas anualmente pela revista Forbes. Segundo a publicação americana, o país governador por Vladimir Putin perdeu 35 bilionários entre 2021 e 2022. Entre os motivos citados pela revista, além das sanções em represália a Guerra na Ucrânia, está a desvalorização do rublo.

Mesmo os que continuaram na listagem, que reúne os 2.668 mais ricos do planeta, viram suas fortunas estagnarem ou caírem. Os 83 bilionários russos restantes valem ‘apenas’ U$ 320 bilhões no total, menos U$ 263 bilhões do que ano passado. Na média, os magnatas russos perderam 27% de sua riqueza entre 2021 e 2022.


Entre bilionários russos que tiveram as maiores perdas estão: Leonid Mikhelson (-$ 10,9 bilhões), Alexey Mordashov (-$ 15,9 bilhões), Gennady Timchenko (-$ 10,7 bilhões), Vagit Alekperov (-$ 14,4 bilhões), Suleiman Kerimov (-US$ 11,4 bilhões) e Tatyana Bakalchuk (-US$ 10,9 bilhões).Outro que viu a sua fortuna diminuir foi Roman Abramovich, dono do clube de futebol Chelsea.

Ao todo, a Forbes listou 2.668 bilionários, um total menor do que no ano passado: 329 pessoas tiveram um “downgrade”, o maior número de quedas desde 2009. A fortuna somada dos bilionários também encolheu para US$ 12,7 trilhões, contra US$ 13,1 trilhões em 202