Empossado em 13 de março, Gabriel Boric não atendeu expectativas por reforma política e é rejeitado por 53% do país.

De acordo com sondagem do Cadem divulgado nessa terça (26/04), rejeição a presidente chileno Gabriel Boric dispara um mês depois da posse e sua reprovação já alcança 53% da população.

O resultado a maior deterioração de popularidade recente na história do Chile, sendo que, após vencer o candidato da direita José Antonio Kast por 55,9% a 44,1% dos votos, Boric iniciou o mandato com aprovação de 50% e rejeição de apenas 20%. Empossado em 13 de março, Gabriel Boric não atendeu expectativas por reforma política.

A alta inflação de 9,4% anual registrada em março, recorde dos últimos 13 anos no Chile, além do anseio da população por uma reforma geral e reformulação do modelo de educação para um sistema público e gratuito nas universidades do país contribuem para desgastar a imagem de Boric, especialmente entre as camadas mais pobres da população.