Ex-presidente afirma que não disse o que disse e acusa Bolsonaro de espalhar fake news.

 O ex-presidente Lula tenta desmentir o que ele mesmo disse — e que está gravado em vídeo. O ex-presidente defendeu limites para o consumo da classe média. Primeiro, o ex-presidente desferiu uma crítica: “Nós temos uma classe média que ostenta um padrão de vida que nenhum lugar do mundo a classe média ostenta. Nós temos uma classe média que ostenta um padrão de vida que não tem na Europa, que não tem em muitos lugares, as pessoas são mais humildes. Aqui na América Latina, a chamada classe média ostenta muito um padrão de vida acima do necessário”.

Em seguida, Lula defendeu limite para o consumo da classe média: “É uma pena que a gente não nasce e a gente não tem uma aula: o que que é necessário para sobreviver? Tem um limite que pode me contentar como um ser humano. Eu quero uma casa, eu quero casar, eu quero ter um carro, eu quero uma televisão, não precisa ter uma em cada sala. Uma televisão já tá boa”, disse o ex-presidente. “Eu quero um computador, eu quero um celular, ou seja, na medida que você não impõe limite, você faz com que as pessoas comprem um barco e 400 milhões de dólares e comprem um outro para pousar o seu helicóptero”.

O ex-presidente diz que tudo não passa de “fake news”, difundidas por seu adversário, Jair Bolsonaro. “Para tentar desviar o foco dos escândalos de corrupção do seu governo, o presidente Jair Bolsonaro mobiliza radicais e para disseminar fake news e falas descontextualizadas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A mentira de agora é que Lula teria sugerido limitar o poder de compra da classe média”, diz texto um publicado pelo no site do petista. Lula está inovando, se empenhando agora em desmentir ele mesmo.