Segundo o petista, realizar atos em frente ao Congresso Nacional “não move uma pestana de um deputado” e que ir até a casa dos congressistas surte mais efeitos.

O ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), disse que trabalhadores e movimentos sindicais devem “mapear endereços” das casas dos deputados e enviar “50 pessoas” para “incomodar a tranquilidade” deles.

A declaração foi feita nesta segunda (4) em evento de lançamento da Plataforma da CUT para as Eleições 2022, na sede central da Central Única dos Trabalhadores, em São Paulo.

Segundo o petista, realizar atos em frente ao Congresso Nacional “não move uma pestana de um deputado” e que ir até a casa dos congressistas surte mais efeito.
“Quando a gente está dentro do Plenário [da Câmara] a gente não sabe se está chovendo lá fora, se está caindo canivete aberto, se está caindo granizo, a gente não sabe se estão xingando a gente ou xingando o presidente. Você só vai saber dos atos quando chegar em casa e ligar a televisão”, declarou.

De acordo com o ex-presidente, é preciso mudar a forma de fazer pressão no Congresso. “O deputado tem casa. […] Então se a gente, ao invés de tentar alugar um ônibus, gastar uma fortuna, para vir para Brasília, que às vezes não resulta em nada, se a gente pegasse, mapeasse o endereço de cada deputado e fosse 50 pessoas para a casa desse deputado.

“Não é para xingar não, é para conversar com ele, conversar com a mulher dele, conversar com o filho dele, incomodar a tranquilidade dele. Eu acho que surte muito mais efeito do que a gente vir fazer manifestação em Brasília”, declarou o petista.

Lula ressaltou a importância das eleições para o Congresso Nacional e voltou a dizer que o atual Legislativo é o “pior da história”. Disse que a votação para deputados e senadores é necessária para fazer uma “contrarreforma”.