Empresa deve perder dois milhões de assinantes neste ano. Queda acontece, principalmente, em relação à conteúdo de viés político de extrema esquerda do serviço .

A Netflix registrou pela primeira vez, desde 2011, uma forte queda no números de assinantes. Somente entre janeiro e março deste ano a empresa registrou uma perda de 200 mil assinantes.

Na tarde desta quarta, as ações atingiram recorde histórico negativo após despencarem mais de de 30%, pior série desde outubro de 2014.

A empresa culpou a inflação, a guerra na Ucrânia e a concorrência feroz pela queda de assinantes e pela projeção de perdas maiores à frente. Porém a queda acontece, principalmente, por causa da insistência da empresa em promover conteúdo de viés político de extrema esquerda. Assinantes da plataforma migram para outras empresas concorrentes em busca de projetos que não retratem somente à visão esquerdista do mundo.

A lacração teve resultado inverso, no primeiro trimestre deste ano, a base global de assinantes da Netflix se manteve na casa dos 221,6 milhões, mas a companhia projeta que perderá mais 2 milhões de clientes no segundo trimestre deste ano.