A greve já dura mais de um mês e por determinação da Justiça, há circulação de 60% dos ônibus. Uma nova paralisação total não está descartada.

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (STTREMA) convocou nesta segunda (21) todos os trabalhadores, dentre eles motoristas e cobradores, para participarem da Assembleia Geral que será realizada nesta terça (22).

A reunião acontecerá em dois turnos, às 09h e às 16h, na sede do Sindicato, Rua Afonso Pena, no Centro. O encontro vai tratar com a categoria sobre os últimos acontecimentos da negociação da Convenção Coletiva de Trabalho da classe, cujo evento será feita uma reavaliação sobre a Greve Geral do Transporte Público de São Luís.

Nas últimas semanas, diversas reuniões envolvendo os rodoviários e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET) foram promovidas, sendo que em nenhuma delas se chegou a um consenso. A classe patronal oferece apenas 5% de reajuste salarial. Já os rodoviários reivindicam 15% de reajuste salarial; R$ 800 reais de ticket alimentação; e manutenção do plano de saúde concedido aos trabalhadores.

No entanto, se já estava difícil encontrar um consenso, haja vista que a classe patronal alega não ter condições de atender os direitos exigidos pelos rodoviários mesmo com subsídio do Município à época, antes da nova tarifa do transporte coletivo, o novo aumento no valor do combustível, tem dificultado ainda mais um acordo.

O Município de São Luís concedeu R$ 0,20 de reajuste no preço da passagem, contrariando a solicitação dos empresários, que exigiam R$ 1,20. Já o Governo do Estado, responsável pelas linhas semiurbanas, concedeu aumento no preço da tarifa de R$ 0,30. Mesmo com benefícios fiscais, diminuição de custos com a retirada de cobradores, remissão de dívida tributária e redução de alíquota do ISS, o SET afirma que a tarifa do transporte deveria ser R$ 4,83, de acordo com estudo do sindicato.

“Vamos seguir lutando pela garantia dos nossos direitos. É inadmissível o que a patronal e o município estão fazendo com nossa categoria. Os Rodoviários merecem ser respeitados. Nossas reivindicações são legítimas e não abriremos mão, em hipótese alguma, do nosso reajuste salarial”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

A greve já dura mais de um mês e só não há paralisação total da frota por determinação da Justiça, que exigiu circulação de 60% dos ônibus. Os trabalhadores, no entanto, mantiveram o estado de greve.

Uma nova paralisação total dos sistemas não está descartada.