Devido aos ataques, o país russo tem sofrido retaliações. A medida do presidente é uma resposta às plataformas ocidentais.

A agência reguladora da mídia russa informou nesta sexta (4) que bloqueou o Twitter e Facebook no país. A ação é uma resposta do presidente Vladimir Putin às plataformas ocidentais, que aplicaram sanções contra veículos de comunicação pró-Moscou durante a invasão russa à Ucrânia.

Ao anunciar a medida, órgão regulador de comunicações da Rússia, Roskomnadzor, afirmou que, desde 2020, houve 26 casos de “discriminação” contra as mídias do país no Facebook.

“Nos últimos dias, a rede social restringiu o acesso a contas: o canal de TV Zvezda, a agência de notícias RIA Novosti, Sputnik, Russia Today, os recursos de informação Lenta.ru e Gazeta.ru”, diz o comunicado da agência reguladora, alegando que as restrições violam a legislação russa.

Nesta semana, a Meta anunciou a restrição do alcance de dois veículos de comunicação governistas em toda a União Europeia, sendo elas as agências de notícias RT News e do Sputnik News. Já no último dia 26, o Twitter divulgou que seus serviços estavam restritos para internautas russos. Apesar do bloqueio russo ao Facebook determinado nesta sexta (4), o presidente de Assuntos Globais da Meta, Nick Clegg, afirmou que a companhia tentará restabelecer os serviços.

“Em breve, milhões de russos comuns se verão isolados de informações confiáveis, privados de suas formas cotidianas de se conectar com familiares e amigos, e silenciados de falar […] Continuaremos a fazer tudo o que pudermos para restaurar nossos serviços, para que permaneçam disponíveis para as pessoas se expressarem com segurança e se organizarem para a ação”, disse Clegg em um comunicado.