Léo Coutinho virou réu  e também foi indiciado em inquérito conduzido pela Polícia Federal.

O ex-prefeito de Caxias, Leonardo Barroso Coutinho, é acusado de apropriação indébita previdenciária. A denúncia aceita pela juíza Gisa Fernanda Nery Mendonça Benício, da 2ª Vara Criminal de Caxias, culminou na abertura da ação penal contra o ex-prefeito.

Segundo o Ministério Público do Maranhão e auditoria do Ministério da Previdência Social, entre 2010 e 2015, a prefeitura de Caxias teria deixado de repassar contribuições previdenciárias. O défict atuarial do Caxias-Prev, até 2014, era 169 milhões. Leonardo, segundo a denúncia, não repassou ao instituto de previdência as contribuições descontadas dos servidores municipais.

Novo inquérito

Léo Coutinho também foi indiciado em inquérito conduzido pela Polícia Federal que apura a prática de falsidade ideológica majorada. De acordo com relatório da PF, ele teria declarado falsamente, em documento público, que 59 de um total de 60 parcelas de um termo de acordo de parcelamento e confissão de débitos previdenciários estavam sendo pagas integralmente.