A inflação americana foi impactada fortemente no mês passado pelo aumento do preço da gasolina após o início da guerra na Ucrânia

O Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, aumentou nesta quarta (16) as taxas de juros em 0,25 ponto percentual, para de 0,25% e 0,50% ao ano. Esta é a primeira alta desde dezembro de 2018. O Fed também sinalizou que as taxas de juros devem atingir um intervalo entre 1,75% e 2% até o final de 2022.

“A inflação permanece elevada, refletindo os desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia, os preços mais altos de energia e as pressões mais amplas sobre os preços”, destacou o comunicado do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).

A inflação americana foi impactada fortemente no mês passado pelo aumento do preço da gasolina após o início da guerra na Ucrânia. Em março de 2020, os Estados Unidos zeraram suas taxas de referência para tentar aplacar os danos da pandemia. A consequência dessa medida foi a retomada do pleno emprego, porém com a inflação perto de 8%. maior patamar registrado desde 1982.

Para tentar conter a inflação, no começo da pandemia o Fed ainda injetou trilhões de dólares nos mercados para sustentar bolsas com a recompra de títulos, como mostrou o Valor Econômico. O banco central americano estima que a inflação deve ficar acima da meta de 2%, permanecendo em 4,1% ao longo deste ano. Até 2024, a inflação deve cair para 2,3%. Além disso, o crescimento econômico foi projetado em 2,8% em 2022, a previsão de dezembro projetava o crescimento em 4,0%
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/economia/breves/banco-central-dos-eua-sobe-juros-pela-primeira-vez-desde-2018/
Copyright © 2022, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.