Vereador Raimundo Penha, responsável pelo pedido de adiamento da votação para dar vistas aos projetos, justificou novo prazo.

Os vetos do prefeito Eduardo Braide (Podemos) a respeito das emendas inseridas em dois projetos aprovados pelos vereadores de São Luís que seriam apreciados hoje (9), na Câmara Municipal, ficaram para a próxima segunda (14).

Na ocasião, foram vetadas a inclusão de alunos de escolas comunitárias ao benefício do cartão alimentação e o pagamento de abono salarial com recursos do Fundeb a servidores administrativos da educação municipal.

De acordo com o vereador Raimundo Penha (PDT), o pedido de vista foi para ter mais tempo para discutir emendas relacionadas a alimentação e abono para profissionais da educação vetadas pelo chefe do Executivo Municipal, cujo prazo permite ouvir diversas entidades da sociedade, entre elas a Prefeitura de São Luís.

“Eu tenho dialogado permanentemente com a secretária de educação. Ontem mesmo conversamos e amanhã temos uma nova reunião. Estamos pesquisando modelos de outras cidades que já avançaram um pouquinho mais que São Luís, e também para não ser uma solução apenas com objetivo político de criar dificuldade para o prefeito e jogar uma categoria contra ele”, afirmou Raimundo Penha.

Na oportunidade, o parlamentar alegou que o objetivo não é dividir, mas juntar para fazer com que o benefício chegue à categoria e nas escolas comunitárias, e explicou as questões orçamentárias.

“Esse recurso, ele é do orçamento de 2021. Não existe mais orçamento de 2021, nós já estamos executando o orçamento de 2022. Então, fica a pergunta: poderia ser feito algo retroativo? E aí nós vamos deixar muito claro para a população. Se não tiver como ser feito, vamos dizer ‘o nosso voto foi por coerência, não tem como ser pago, mas estamos com o compromisso de, no próximo rateio, o de 2022, ser pago”, concluiu.