O detento bateu a cabeça da mulher contra o chão e depois a enforcou. Ele disse à polícia que cometeu o crime porque a vítima estaria se prostituindo.

Um feminicídio foi registrado em um presídio no interior de São Paulo no último domingo (13). A vítima foi morta pelo próprio marido durante a visita íntima na Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, em Presidente Venceslau.

A mulher tinha 41 anos e era moradora da capital paulista. No domingo pela manhã, visitou o companheiro, foi agredida e estrangulada até a morte. Segundo informações, o assassinato aconteceu por volta das 11 horas. A vítima foi morta por enforcamento, após ter a cabeça batida contra o piso da cela “várias vezes”.

Outro preso e a companheira dele, que também participava de visita íntima no momento, tentaram intervir, mas sem sucesso. O criminoso foi contido sem apresentar resistência e transferido para a Penitenciária 1 “Zwinglio Ferreira”, também no município, onde foi colocado em cela própria.

Interrogado no local, o assassino admitiu a autoria do crime e afirmou que matou a esposa porque ela “estaria se prostituindo”. O detento foi autuado em flagrante pela Polícia Civil por homicídio doloso qualificado.