Embora os sintomas não sejam tão diferentes daqueles causados por outras variantes, muitos dos pacientes têm relatado dores na garganta.

O Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA) concluiu na última semana que o avanço da Covid-19 era, na verdade, da variante Ômicron.

O sequenciamento genômico de 68 amostras foram coletadas entre 14 de dezembro de 2021 e 21 de janeiro de 2022. Destas, 58 foram diagnosticadas com a variante ômicron e 10 com a delta. As 58 provas da variante ômicron estão distribuídas em 14 cidades.

Os casos confirmados da ômicron foram constatados nos municípios de Anajatuba, Balsas, Barreirinhas, Cururupu, Itapecuru Mirim, Paço do Lumiar, Pinheiro, Santa Inês, Santa Helena, São José de Ribamar, São Luís, Turiaçu, Tutóia e Urbano Santos.

Nas amostras sequenciadas positivas para ômicron, 57% são do sexo feminino e 43% do sexo masculino.

Confira a nota na íntegra:

“A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que o Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA) concluiu, nesta quinta-feira (3), o sequenciamento genômico de 68 amostras coletadas entre 14 de dezembro de 2021 e 21 de janeiro de 2022. Destas, 58 foram diagnosticadas com a variante ômicron e 10 com a delta. Os casos confirmados da ômicron foram identificados nos municípios de Barreirinhas, Cururupu, Santa Helena, Santa Inês, Turiaçu, Tutóia, Urbano Santos, Paço do Lumiar, Pinheiro, Anajatuba, Balsas, Itapecuru Mirim, São José de Ribamar e São Luís. A variante acometeu todas as faixas etárias, sendo confirmados, entre 0 a 9 anos, um caso; 10 a 29 anos, dois casos; 20 a 29 anos, oito casos; 30 a 39 anos, doze casos; 40 a 49 anos, doze casos; 50 a 59 anos, sete casos; 60 a 70 anos, cinco casos; mais de 70 anos, dez casos; e um caso não possui identificação de idade. Nas amostras sequenciadas positivas para ômicron, 57% são do sexo feminino e 43% do sexo masculino”.