Ministro da Economia assegurou que não são estimativas, mas contratos já assinados de investimentos para os próximos anos.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou de uma conferência promovida pelo Credit Suisse, nesta terça (1), e demonstrou confiança na retomada do crescimento do Brasil nos próximos meses, a partir da atração de investimento privado.

“O Brasil se tornou a maior fronteira de investimentos do mudo no setor real […] Não dependemos mais de um setor público que exauriu sua capacidade de investimento pelas estripulias do passado”, assegurou o chefe da equipe econômica.

Na ocasião, Guedes reconheceu as dificuldades de estabelecer um programa consistente de privatizações, mas garantiu que um eventual segundo mandato do presidente Jair Bolsonaro seria importante para a economia brasileira consolidar os recentes avanços.

“Temos dificuldades em implementar as privatizações, apesar de o presidente ter tido 60 milhões de votos e ter se comprometido com um programa liberal. Às vezes, a oposição está dentro do governo”, criticou Guedes.

Durante sua participação, o ministro da Economia destacou os avanços do país na abertura comercial, negou que o forte crescimento da arrecadação em 2021 tenha sido resultado da elevação da inflação e reclamou das críticas recebidas pela gestão de que o atual governo estaria apostando no “populismo fiscal”.

“Erraram as previsões sobre a dívida pública por trilhões. Tem muita gente pessimista falando bobagem. Não são mais analistas, são militantes”, disse.