Somente em 2021, o governo do Maranhão desembolsou R$ 37 milhões com o uso de aeronaves.

Nem mesmo a crise econômica trazida pela pandemia da Covid-19 foi capaz de frear os gastos do governo Flávio Dino (PSB) com empresas de transporte aéreo. Somente em 2021, o governo do Maranhão desembolsou R$ 37 milhões.

Apenas uma das empresas contratadas, a Solar Taxi Aéreo Ltda, recebeu mais de R$ 15 milhões da Secretaria de Estado do Governo (Segov) para atender às demandas de viagens de Dino e de seus auxiliares.

Os dados estão disponíveis no portal da transparência do governo, e os valores se referem ao pagamento de cinco empresas. Top Line Taxi Aéreo Ltda (R$ 199.641,50), Aerotop Táxi Aéreo Ltda (R$ 1.138.460,48), Brasil Vida Taxi Aéreo Ltda (R$ 5.310.385,24) e Helisul Táxi Aéreo Ltda (R$ 15.404.530,68).

Em comparação com o primeiro mandato de Dino, entre 2014 a 2018, quando o governo gastou com o uso de aeronaves R$ 44.013.684,63 milhões. Em todo o ano de 2021 foram gastos R$ 37 milhões. Em 2015,  foram gastos R$ 6.166.849,06 milhões . Já em 2016, as despesas mais que dobraram. Flávio Dino pagou R$ 15.402.727,61 milhões para utilizar as aeronaves como meio de transporte. Em 2017, o governador desembolsou R$ 13.487.607,96 milhões para locar aviões de pequeno porte. Em 2018, último ano do primeiro mandato, Dino gastou R$ 8.956.500,00 milhões.

Vale lembrar que quando assumiu o Palácio dos Leões, Dino criticou os contratos milionários de locação de aeronave do governo passado e disse que fixaria um valor para custear o deslocamento com aviões de pequeno porte e helicópteros, que seria cerca de R$ 14 milhões. Porém, o governador não cumpriu com a promessa e passou a gastar valores estratosféricos com as aeronaves.