Governador adotou a estratégia de “jogar parado” e conta com articulação de forças de centro que o apoiassem para ser uma alternativa da terceira via.

Mesmo com derrota nas prévias tucanas, Eduardo Leite (PSDB) passou a ser sondado pelo ex-ministro Gilberto Kassab e pode migrar para o PSD.

Mediante a desistência do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em sua pré-candidatura à Presidência da República, o governador do Rio Grande do Sul discute a possibilidade de uma candidatura a presidente, desde que envolva articulação com outros partidos do centro.

O nome de Eduardo Leite teve projeção nacional com as prévias do PSDB, em novembro do ano passado e, desde então, passou a ser sondado e mantém uma agenda de articulações com outras siglas do seu campo político. Segundo informações, o gaúcho tem sido cobrado para aparecer mais no jogo político nacional por nomes do PSDB descontentes com a escolha do governador João Doria.

Eduardo Leite já se encontrou três vezes com Kassab, desde dezembro, o que mostra que o gaúcho tem bom canal de diálogo com o líder do PSD. Inclusive, Kassab afirmou recentemente que, se a candidatura de Pacheco não for pra frente, há nomes que são constantemente lembrados dentro da legenda.

Eduardo Leite afirma reiteradamente que não será candidato a nenhum cargo neste ano, mas aliados sustentam que ele não descarta concorrer ao Palácio do Planalto pelo PSD.