Vereador e pré-candidato à presidência da CMSL defendeu uma pré-campanha com conflito de ideias, mas sem confronto entre os colegas de Parlamento.

O vereador Dr. Gutemberg Araújo (PSC), pré-candidato à presidência da Câmara Municipal de São Luís, falou sobre as eleições para a Mesa Diretora da CMSL que deve ocorrer na primeira quinzena do mês de abril.

Embora a presença e apoio de Eduardo Braide (Podemos) tenha um simbolismo importante, Gutemberg afirmou à Rádio Nova FM, nesta quinta (10), que não é candidato do prefeito de São Luís, mas dos vereadores que defenderam seu nome na disputa, haja vista que ele próprio apresenta características agregadoras por conseguir dialogar com todas as correntes políticas, além da experência devido ao seu histórico e currículo acumulado em seus 5 mandatos de vereador.

Em entrevista ao programa “Tá Na Pauta”, o parlamentar fez questão de ressaltar que a independência da Câmara é algo inegociável, defendendo uma pré-campanha com conflito de ideias, mas sem confronto entre os colegas de Parlamento.

“A depender de mim, vai reinar a paz. Isso é uma convocação que eu faço para todos os colegas vereadores. Não podemos confundir a eleição com a governabilidade ou com o exercício dentro da Câmara. Ali é uma Casa de conflitos de ideias, mas temos que ter um cuidado para que isso não se transforme em confronto. Confronto é negativo, é improdutivo e não constrói. Nós temos que ter um cuidado para que essa pré-campanha não traga ferimentos”, declarou.

Gutemberg também falou sobre a criação da Escola do Legislativo como forma de capacitar servidores públicos da Casa, pois, segundo ele, a proposta será focada no desenvolvimento de processos formais de educação, através de cursos, seminários, palestras e debates, pretendendo estabelecer uma formação permanente e continuada dos colaboradores para fortalecer a atuação do órgão, na construção de uma sociedade justa e igualitária.

Na oportunidade, o vereador prometeu melhorar ainda mais a comunicação institucional da Casa e disse que pretende implementar um sistema de compliance com intuito de estabelecer regras e condutas que aumentem a transparência, confiabilidade e capacidade de resposta do Legislativo em relação à prestação de contas e gastos públicos.