PDT alega não ter intenção de fazer oposição à próxima gestão, mas entram em bloco comandado por sigla de Josimar, o primeiro dissidente do grupo Dino.

Após a abertura oficial dos trabalhos na Assembleia Legislativa nesta quarta (2), o PDT anunciou sua entrada em um novo bloco no parlamento estadual e deu mais uma demonstração de rompimento com a gestão socialista.

O Bloco Parlamentar Democrático, liderado pelo deputado Vinicius Louro (PL), será o maior da ALEMA e conta com seis pedetistas no Legislativo maranhense, deputados estes que apoiam projetos políticos opostos ao pré-candidato da escolha pessoal de Flávio Dino, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Ou seja, apesar dos discurso de unidade, boa convivência e relacionamento harmônico com o Poder Executivo, na prática, entretanto, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que assume em abril, vai enfrentar uma realidade diferente da que vem sendo comandada por Flávio Dino (PSB) já que o maior bloco da Casa Legislativa será comandado pelo PL e pelo PDT. Completam o blocão os partidos Republicanos, PRTB, PTB, PSL, PMN, PTC e PSDB. O deputado tucano Wellington do Curso será o vice-líder do bloco.

Ao todo, 19 parlamentares de nove partidos diferentes farão parte do blocão. Portanto, o Bloco Parlamentar Democrático é liderado pela legenda que tem como pré-candidato a governador o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL); integrantes da sigla liderada pelo também pré-candidato ao Palácio dos Leões, senador Weverton (PDT); além da presença do deputado federal Edivaldo Holanda (PTC), pai do pré-candidato a governador Edivaldo Holanda Júnior (PSD).

Até o momento, integrantes do PDT tem deixado claro que não pretendem fazer oposição à próxima gestão. Inclusive, quando abrir a janela partidária, pode ser que boa parte dos deputados deve trocar de partido, mas isso não configurará mudança nos blocos da Assembleia, podendo alterar, na verdade, o posicionamento de alguns parlamentares dentro do próprio blocão.