Imprensa lacradora mente para intimidar parlamentar e calar debate sobre eficácia do passaporte vacinal

O deputado estadual Yglésio Moyses (PROS) foi alvo de um ataque intimidatório de setores da imprensa petista. Apesar de já ter manifestado seu apoio à vacinação, o parlamentar teve suas últimas declarações sobre o passaporte vacinal deturpadas pela patrulha ideológica para caracterizá-lo como “antivacina”. A intenção da publicação contra o parlamentar é calar a única voz que questionou a eficácia do passaporte vacinal proposto pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB).

Segunda a matéria publicada, o deputado é “antivacina” pelo simples fato de levantar o debate sobre a eficácia do passaporte vacinal em relação à variante Omicrôn. Uma simples pesquisa pelas redes sociais do parlamentar nos últimos meses revelam que Yglésio não só defende a vacinação, como foi o primeiro político do estado a defender a tese das chamadas doses de reforço.

O episódio aconteceu em junho de 2021. Na ocasião, Yglésio defendeu a revacinação de idosos. A sugestão do deputado chegou a ser confrontada pelo secretário estadual de saúde, Carlos Lula. Hoje e dia, Lula é um dos principais defensores das doses de reforço.

De resto, a desonestidade da publicação é visível pois coloca como iguais os atos de vacinar e a obrigatoriedade de passaporte vacinal. Apoiar vacina não é imperativo para defender passaporte vacinal.