Após protestos, governo cancelou licenças da empresa que terá um prejuízo estimado em mais de U$$ 1.4 bilhão. Decisão acobteceu uma semana após governo australiano deportar sérvio Novak Djokovic

O governo sérvio decidiu reagir após a deportação do tenista número 1 do mundo da Austrália. Uma semana pós Novak Djokovic ser impedido de jogar o Austraian Open por recursar-se a tomar a vacina experimental contra Covid-19, os sérvios cancelaram as licenças da mineradora Rio Tinto.

A exploração de lítio na Sérvia fazia parte de um plano de negócios da empresa para tornar-se a maior fornecedora da matéria-prima para a produção de baterias da Europa. O projeto contava com investimentos na casa de US$ 1,4 bilhão. Após o anúncio do ato do governo sérvio, as ações das empresas despencarem 4,8%.  após o anúncio marcar o fim definitivo do projeto de e qualquer esperança de que a Rio Tinto se tornasse o maior fornecedor de lítio da Europa em uma era de tecnologia de renováveis intensiva em lítio.

O lítio é vital para a criação de baterias. A perda da mina na Sérvia pela empresa representa um grande golpe para a ambição da Rio Tinto de entrar no top 10 produtores globais de lítio.

A decisão vem menos de uma semana depois que o governo australiano enfureceu a Sérvia ao perseguir, prender e deportar o tenista número um do mundo, Novak Djokovic. O campeão feito oposição ferrenha à Rio Tinto. Ele usa frequentemente sua conta no Instagram para criticar a empresa.

“Diante dos atuais protestos civis em toda a Sérvia que indicam a necessidade de uma abordagem séria e concreta para importantes questões ambientais, decidi abordar o público, convencido da grande importância desses temas para todos nós”, escreveu Djokovic.