Mesmo em ano eleitoral, governador poderá transferir recursos para as prefeituras com mais liberdade, respaldado no combate à nova onda de Covid-19.

No dia em que testou positivo para o novo coronavírus, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), decretou calamidade pública em todo o estado.

Mesmo em ano eleitoral, o governador poderá transferir recursos para as prefeituras com mais liberdade, respaldado no combate à nova onda de Covid-19. O ato tem validade até o dia 31 de março.

Após a edição desse ato, pessoas ligadas ao governador já acreditam que a próxima medida deva ser o cancelamento do Carnaval oficial do governo em todo o Maranhão. Em contrapartida, no mês passado, o governo esteve licitando a contratação de trios elétricos para o pré e o Carnaval, cuja estrutura para a animação do Reinado de Momo tem gasto estimado acima dos quatro milhões de reais.

Municípios como Imperatriz, São José de Ribamar, Pinheiro e São Luís já cancelaram o Carnaval. Até o momento, Dino não determinou novas medidas para tentar diminuir a crescente de casos do novo coronavírus, devido a variante Ômicron.