Parlamentar diz que falta do componente pulmonar inflamatório e da trombose se trata de mutação significativa em direção à um vírus de gripe comum.

O deputado estadual e médico Yglésio Moyses, afirmou por meio de suas redes sociais que dentro de alguns meses a Organização Mundial de Saúde (OMS) deve reclassificar a variante ômicron e que a adoção do passaporte vacinal por contra da variante é inútil.

“Passaporte vacinal pra ômicron é completamente inútil com as atuais vacinas que chegam ao Brasil, que protegem apenas 30%. Se alguém deixar uma janela ou porta de casa 70% aberta, quem duvida que não vai haver um roubo?”, afirmou o parlamentar, alegando que, com a com a ausência do componente pulmonar inflamatório e da trombose não vai mostrar covid clássica. Logo, é inegável que se trata de mutação significativa em direção à um vírus de gripe comum.

“Em alguns meses, os cientistas da OMS vão reclassificar a variante ômicron como uma causadora de síndrome respiratória superior específica ou chamá-la de covid-21,ao invés de covid-19. A ausência do componente pulmonar inflamatório e da trombose não vai mostrar covid clássica. É inegável que se trata de mutação significativa em direção à um vírus de gripe comum. A Espanha adotou as medidas corretas e deve passar a tratar da covid como uma gripe simples e suas condições de isolamento reduzidas”, disse Yglésio Moyses.