A informação foi divulgada nesta segunda (31) pela agência de notícias estatal KCNA.

A Coreia do Norte testou um míssil com capacidade nuclear de alcance intermediário Hwasong-12. O último lançamento com a mesma capacidade ocorreu em 2017.

“O teste de disparo de inspeção foi realizado com o objetivo de inspecionar seletivamente o míssil balístico de longo alcance superfície-superfície Hwasong-12 e verificar a precisão geral deste sistema de armas”, informou a agência de notícias do país KNCA.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, alegou que a recente enxurrada de testes norte-coreanos lembra quando a ditadura coreana lançou seus maiores mísseis e atraiu ameaças dos Estados Unidos, em 2017. O ministro da Defesa sul-coreano, Suh Wook, visitou o Comando de Mísseis do Exército de seu país hoje (31) para averiguar sua prontidão diante dos lançamentos da Coreia do Norte.

“A série de testes de mísseis da Coreia do Norte, incluindo mísseis balísticos de alcance intermediário, representam uma ameaça direta e séria para nós e um grave desafio à paz e estabilidade internacionais […] Vamos manter uma postura de prontidão militar total que pode responder imediatamente a qualquer situação”, disse Suh Wook em um comunicado.

O ministro da Defesa do Japão, Nobuo Kishi, disse que o aumento dos testes norte-coreanos não pode ser tolerado. Os Estados Unidos também demonstraram preocupação, alegando que os lançamentos de mísseis da Coreia do Norte possam ser precursores da retomada dos testes de armas nucleares.