“Cabe ao TSE comprovar que estão certos, ou onde poderão corrigir essas inconsistências […] queremos eleições limpas e transparentes”, disse Bolsonaro.

Em entrevista à TV Record, que foi transmitida ao vivo e na íntegra pelas redes sociais do presidente, Jair Bolsonaro (PL) questionou os institutos de pesquisa eleitoral, nesta segunda (31).

Na ocasião, o presidente da República, se as pesquisas de intenção fossem “verídicas”, ele não teria sido eleito em 2018. Também comentou sobre registro de pesquisas no Tribunal Superior Eleitoral e diferença de pontos de Lula.

“Até poucas semanas, as pesquisas davam diferença de 25 pontos do Lula em relação a mim. Agora, como eles têm que registrar no TSE as pesquisas, a diferença está bem pequena, quase na margem de erro”, afirmou Bolsonaro,

A respeito do processo eleitoral e as suspeitas em torno das urnas eletrônicas, Bolsonaro assegurou que representantes das Forças Armadas foram convidados para participar do processo eleitoral e, em seu trabalho, já levantaram diversas inconsistências.

“As Forças Armadas peticionaram o ministro Barroso presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, sobre essas vulnerabilidades Ele não nos respondeu em tempo hábil, dizendo que estava em recesso. Foi reiterada agora, essa questão. Cabe ao TSE, agora, mostrar e comprovar que estão certos, ou onde poderão corrigir essas inconsistências. O que mais queremos e desejamos e não abrimos mão são eleições limpas e transparentes para o ano corrente”, disse Bolsonaro.